Oito alimentos que não são o que parecem e podem prejudicar a saúde e a dieta

Cereja, chocolate, suco, pão integral, estas opções e outras três podem não ser o que você imagina

POR BRUNA STUPPIELLO - ATUALIZADO EM 08/11/2016

Você sabia que alguns alimentos são modificados pela indústria alimentícia para baratear o seu custo? Porém, muitas vezes o consumidor desconhece quais são essas alterações. Por exemplo: Você sabia que a cereja em caldas pode ser chuchu? E que o delicioso chocolate pode ser outro doce?

Listamos oito alimentos que não são exatamente o que parecem, explicamos se há problemas no consumo da versão "impostora" e, para que você não troque gato por lebre, explicamos como descobrir quais os ingredientes que realmente compõe estas comidas.

Cereja por chuchu

Fique atento quando for consumir cerejas em calda, algumas vezes o alimento pode ser bolinhas de chuchu embebidas em groselha ao invés da fruta. "Isto é feito para baratear os custos, em média a cereja pode custar cerca de R$ 45,00 e o chuchu R$ 2,00 o quilo", conta a nutricionista Rita Novais, especializada em nutrição clínica e Vigilância Sanitária de Alimentos.

A cereja é mais saudável por ser rica em antocianinas, que possuem ação antioxidante, e em fibras, que contribuem para melhorar o trânsito intestinal. "A substituição pelo chuchu não é interessante para a saúde devido à quantidade de açúcar e corantes que leva em sua preparação", explica a nutricionista clínica Keli Coutinho.

Para não se confundir na hora da compra é importante checar a embalagem, pois vender um produto informando que é outra coisa é ilegal e pode dar até um ano de detenção e multa de 3 milhões de reais.

Caso não seja possível ver o rótulo, note o aspecto do alimento. "Observe se a suposta cereja tem caroço, se for do tipo sem caroço, cheque se as bolinhas têm a concavidade em que ficava a semente", orienta Novais.

Além da cereja natural, outros substitutos saudáveis para o alimento são as frutas vermelhas no geral. Isto porque, assim como a cereja, elas contam com propriedades antioxidantes e são ricas em selênio, que faz parte da estrutura de mais de 20 diferentes proteínas que têm como algumas funções proteção contra o estresse oxidativo e regulação de ação de hormônio tireoidianos. Estes alimentos também possuem vitaminas C, que melhora a imunidade e previne doenças cardiovasculares, e E, que tem ação antioxidante e assim combatem os radicais livres.