Consumo excessivo de carne vermelha pode aumentar risco de câncer de mama

Substituir a porção por leguminosas, aves e peixes foi associado com um risco 14% menor da doença, diz estudo

POR REDAÇÃO - PUBLICADO EM 11/06/2014

Há muitos fatores de risco conhecidos para câncer de mama - sexo de nascimento, idade, histórico familiar, obesidade, consumo de álcool e outros. Agora, um estudo publicado dia 11 de junho no BMJ descobriu que ingerir carne vermelha em excesso durante a idade adulta pode fazer parte dessa lista.

Os pesquisadores da Harvard School of Public Health coletaram dados de 88.803 mulheres na pré-menopausa (com idades entre 26 a 45) a partir do um questionário feito no Nurses' Health Study II em 1991. Durante 20 anos de acompanhamento, os autores identificaram 2.830 casos de câncer de mama a partir dos registros médicos das participantes.

O questionário perguntava sobre o consumo de diferentes alimentos, e dividia a frequência em várias categorias, variando de "nunca ou menos de uma vez por mês" para "seis ou mais por dia." Os alimentos incluídos no estudo foram carnes vermelhas in natura e processadas, aves, peixes, legumes, nozes e outros. Junto com a ingestão de alimentos, outros fatores de saúde foram levados em consideração, tais como altura, peso, história médica pessoal e familiar, raça e tabagismo.

O estudo descobriu que uma maior ingestão de produtos de carne vermelha durante início da idade adulta foi associado com um risco aumentado de câncer de mama em 22%, se comparado com as mulheres que ingeriam menos carne vermelha. Por outro lado, uma maior ingestão de aves durante o início da idade adulta foi associado com uma menor incidência de câncer de mama em mulheres na pós-menopausa.

Substituir uma porção de carne vermelha por dia por uma porção de outro alimento rico em proteínas, tais como leguminosas, aves e peixes, foi associado com um risco 14% inferior de câncer da mama em geral e câncer de mama na pré-menopausa.

Os investigadores concluem que substituir uma porção de carne vermelha por uma combinação de legumes, aves, nozes e peixes pode reduzir o risco de câncer de mama. Além disso, também é importante escolher cortes magros de carne vermelha e preferir pequenas porções, caso vá ingerir o alimento.

Mais pesquisas são necessárias, mas os autores afirmam que os resultados enfatizam a importância de uma dieta equilibrada desde o início da vida adulta. Segundo os cientistas, o acompanhamento deve ser feito principalmente para aqueles que possuem um histórico de familiar de doenças, como o câncer de mama.

Prove sete alimentos que previnem câncer de mama
Em teoria, todo mundo deveria seguir uma dieta balanceada com muitas frutas, verduras, legumes e grãos formando um prato bastante colorido. Na prática, entretanto, as coisas funcionam de forma bem diferente e a maioria das pessoas só percebe a importância dos bons hábitos alimentares quando aparece alguma doença. Entre elas, o câncer de mama. Segundo a nutricionista Débora La Regina, do Centro Paulista de Oncologia (CPO), mudanças na alimentação acontecem logo após a primeira consulta. "Isso acontece não porque as condições de saúde exigem tratamento especial, mas porque, na maioria das vezes, faltam nutrientes essenciais que ajudariam na prevenção desse tipo de câncer", afirma. Se você acha que anda com as refeições meio sem graça, veja as dicas das especialistas para colocar mais cor no seu prato e reforçar a saúde

Frutas Vermelhas

"Frutas vermelhas, como framboesa e amora, contêm fitonutrientes anticancerígenos chamados antocianinas que retardam o crescimento de células pré-malígnas e evitam a formação de novos vasos sanguíneos, que podem alimentar um tumor", explica a nutricionista Daniela Cyrulin, da Nutri & Consult. Esses alimentos também são ótimas fontes de vitamina C, flavonóides e fibras, essências ao funcionamento do organismo.