Açúcar: adorado pelas crianças e temido pelos pais

O responsável pela felicidade instantânea pode ser substituído

ARTIGO DE ESPECIALISTA - ATUALIZADO EM 25/07/2016

Dr. Daniela Avila Hueb
Nutrologia - CRM 96027/SP

Está mais do que na cara que a gula nos deixa arrependidos da compra de guloseimas minutos depois. Missão mais impossível ainda é ir ao supermercado com crianças. Tente explicar a eles que é melhor não levar biscoito recheado, chocolate, sorvete, balas e outras guloseimas, todas de uma vez, porque a saúde vai sair prejudicada. O choro é certo. Por isso, o equilíbrio na alimentação precisa começar desde cedo ou o seu pequeno vai sofrer mais tarde se ficar tão refém de açúcar.

Doce vilão
Criou-se muito pânico ao redor do açúcar. Mas o vilão dessa história toda é o tipo refinado, mais tradicional e barato. É que esse açúcar passa por um processo de refinamento no qual ele perde todas as vitaminas. Foi por isso que ganhou a fama (muito justa) de caloria vazia. O açúcar refinado não faz mais nada além de cair direto em nossa corrente sangüínea (por isso ele aumenta rapidamente o nível de glicose do sangue) e, se bobearmos no consumo de guloseimas doces, é certo que alguns quilos a mais vão aparecer fácil.

Esse tipo de açúcar pode até ser eliminado de nossos hábitos sem causar problema nenhum. As substâncias responsáveis por nos dar energia são os carboidratos complexos (que vêm de cereais, pães, batata, mandioca, milho, leguminosa) e os simples (encontrados na frutose, lactose e glicose). Moral da história: o açúcar refinado não faz falta alguma.

PUBLICIDADE

Energia e felicidade
Isso mesmo. O consumo de açúcar faz com que nosso organismo seja invadido por uma sensação de euforia. Por isso, as crianças costumam ficar elétricas e incansáveis após uma sobremesa, não é só a felicidade de ter comido um docinho. Porém, após o consumo de açúcar, o próprio corpo é estimulado a produzir insulina, que baixa os níveis de açúcar, trazendo cansaço.

Viu só como é fácil viciar em açúcar? Para não cair na tentação de comer com urgência algo com açúcar, o jeito é educar o paladar e abrir o leque de opções na hora da sobremesa. Lembre-se que os maiores exemplos de uma criança vêm de casa, ou seja, se você não resistir a um bom ou biscoito recheado, fica difícil para o seu filho.

Problemas de saúde

Quem dera! As cáries dentárias também estão associadas ao consumo exagerado de açucar, mesmo porque criança tem sempre uma bala ou pirulito na boca. Os adultos, em compensação, não dispensam o cafezinho. Se os dentes não forem escovados em seguida, a boca se torna um ambiente propício ao surgimento de cáries. Também associado ao ganho de peso, entram os problemas cardiovasculares e a hipertensão.

Entretanto, o açúcar não pode ser considerado responsável pelo diabetes. O tipo 1 resulta da destruição das células do pâncreas, que pode ocorrer por conta de anticorpos, radicais livres de oxigênio ou genética mesmo. O tipo 2 vem dos vários graus de resistência à insulina que uma pessoa apresenta ao longo dos anos e a maioria dos casos acontece com obesos. Sendo assim, o açúcar não pode ser totalmente liberado aos diabéticos.

Mude o paladar
É difícil ser feliz sem açúcar, mas o lado bom é que existem alternativas ao refinado que fazem todo mundo voltar a sorrir fácil. Por exemplo, o açúcar mascavo é muito nutritivo, já que não passa por todas as etapas de refinamento e conserva parte do cálcio, ferro, das proteínas e vitaminas B1 e B2. Já o açúcar orgânico possui propriedades semelhantes às do mascavo porque ele não sofre refinamento, além disso, não são usados agrotóxicos no plantio da cana. O mel contém minerais (cálcio, fósforo, potássio, ferro), vitaminas e proteínas e o açúcar light tem menos calorias que o refinado.

A stévia é um tipo de adoçante extraído de uma planta com o potencial de adoçar 300 vezes mais do que o açúcar comum. Além, é claro, dos adoçantes comuns.

O ideal é as crianças consumirem doces aos finais de semana ou em festas, passeios ou viagens. O ideal també é não ter essas guloseimas em casa diariamente. Se eles pedirem, tenha opções de frutas secas, que são docinhas, gelatinas, sucos naturais, bolachinhas integrais, entre outros. Estes é que são nutritivos, fortalecem a circulação e auxiliam no crescimento e na saúde dos pimpolhos. É fundamental que eles adquiram disciplina desde cedo e não sofrerem no futuro com doenças decorrentes da alimentação inadequada na infância.

Por isso, que tal propor uma salada de frutas adoçada com mel ou frutose para a sobremesa de hoje? Nunca é tarde para mudar os hábitos e dar boas vindas à saúde, concorda? Pais, sejam mais conscientes com a saúde do seu filho.