Sementes equilibram o organismo e ajudam a perder peso

Conheça os benefícios desses alimentos para a saúde e para a dieta

Há uma lista gigante de alimentos que devem ser consumidos para melhorar o funcionamento do corpo. O que nem todos sabem é que as sementes também devem fazer parte dessa seleção especial. Essas pequenas notáveis são importantes para uma vida saudável e, claro, turbinam qualquer dieta. Queridinhas entre os nutricionistas, elas ajudam a equilibrar o organismo e possibilitam o controle de substâncias ruins no corpo.

Aliada da dieta
As sementes oleaginosas, como as de girassol, abóbora, linhaça e gergelim guardam grandes quantidades de ácidos graxos monoinsaturados. Lançando mão dessas substâncias, elas ajudam na prevenção de doenças relacionadas ao coração - como o infarto, por exemplo. O sistema é eficiente: as sementes contribuem para o controle os níveis de triglicérides, do colesterol total bem como o colesterol ruim (LDL).

Além das temidas doenças que atingem o coração, as sementes evitam o surgimento de outras, como o Mal de Alzheimer. Isso acontece porque elas contêm antioxidantes - como vitamina E, selênio e manganês - que diminuem as chances do aparecimento de doenças crônico-degenerativas, ou seja, que não tem cura e atingem o corpo gradualmente.

PUBLICIDADE
Sementes ajudam a equilibrar o organismo - Foto: Getty Images
Sementes são aliadas da dieta

As sementes também guardam boas doses de magnésio. Os benefícios neste caso, então, são muitos: a substância auxilia na retenção de cálcio nos ossos, contração dos músculos, além de possuir ação anti-inflamatória e fazer bem ao coração, uma vez que equilibram os índices de pressão das artérias.

Benefícios das sementes
O consumo ideal desses alimentos deve acontecer entre as refeições principais e a cada três horas. Dessa forma, a guerra contra a balança ganhará novos aliados - uma vez que as sementes catalisam o metabolismo favorecendo, portanto, queima extra de calorias - o que ajudará a usar roupas justas com mais confiança.

Entre as sementes, a que desponta como a mais importante para o consumo humano é a quinoa, por conter inúmeros nutrientes. Cultivadas há milênios por alguns povos da América Latina, elas superam os demais cereais na quantidade de proteínas. A cada 100 gramas, encontra-se 13 de proteína, substância que pode ajudar a diminuir o consumo de carne na dieta.

O ômega 3 e 6 presentes nessa espécie de semente fazem bem para a vida do coração e controlam a taxa de glicose. E a quantidade de benefícios parece interminável: melhoram as funções do intestino, garante metabolismo eficiente, cuidam da pele, visão e sistema nervoso e ajudam a renovar as células mortas do organismo.

O gergelim, bem como as fibras, possui o poder da equilibrar o intestino. Além de combater o colesterol, a semente lubrifica as paredes do órgão e diminui as chances de prisão de ventre. As sementes de girassol e de linhaça podem trabalhar juntas pelo bem do coração. Enquanto uma controla a pressão arterial, a outra ajuda na proteção do coração. A semente de abóbora manda para longe o colesterol. O amendoim, por sua vez, está longe de ser um vilão. Segundo pesquisas realizadas pela Universidade da Flórida, descobriu-se que o típico alimento das festas juninas possui ácidos graxos poliinsaturados responsáveis pela prevenção de doenças cardíacas, sem contar que ele previne o câncer e, o melhor, inibe o apetite.