publicidade

Três metas para organizar a alimentação no dia a dia

O equilíbrio entre as refeições evita o ganho de peso

Por Especialista - publicado em 07/12/2010


Atualmente, escolher o que se come fica cada dia mais difícil devido ao fato de termos inúmeras opções e quando nos deparamos com esta trajetória, muitas vezes, o que prevalecem são o prazer e a praticidade e não a necessidade fisiológica básica do ser humano e o conhecimento sobre nutrição.

Para que a relação "homem-alimento" continue prazerosa é necessário manter o equilíbrio entre: comer porque é necessário e comer porque os alimentos são gostosos e nos dão prazer.

Perceba que os alimentos vêm alterando, devido às mudanças contemporâneas, seus aspectos no que diz respeito à praticidade.

Dificilmente um único setor social muda, ou seja, quando temos alteração na economia, na cultura, na sociedade, esta mudança também surge na alimentação.

Portanto, apesar de cada esfera ter sua hora de mudança, todas mudam. Dois cuidados a serem tomados atualmente são: não comer em excesso e não manter grandes privações, pois ambos acabam sendo padrões de desvios e atualmente é muito fácil desequilibrar-nos em qualquer aspecto da vida, inclusive na alimentação. 

"Dois cuidados a serem tomados atualmente são: não comer em excesso e não manter grandes privações".

Trabalhos vêm apontando que padrões de dietas restritivas, ou seja, dietas que retiram alimentos "gostosos" e calóricos e que mantém um padrão pré-estabelecido de consumo de alimentos, não auxilia na educação dos hábitos alimentares, pois geralmente o que se torna "proibido" pode ter um efeito rebote.

Este faz com que as pessoas que passam por este tipo de conduta se tornem mais estimuladas a consumir o que foi "proibido". A ideia é que repensemos nas características de estilo de vida e tenhamos objetivos claros para que a alimentação equilibrada seja uma medida de prevenção contínua dentro de uma complexidade entre corpo e mente.

O equilíbrio do consumo alimentar deve sempre fazer parte do nosso dia a dia e não num único período da nossa vida. Para isto, manter metas na alimentação é algo recomendável e nos auxilia a perceber o que está sendo cumprido, pois quando percebemos que burlamos uma meta, geralmente repensamos sobre nossas atitudes e objetivos. 

Dicas para se alimentar bem e saudavelmente
Existem três metas propostas pelo Núcleo de Estudos de Obesidade e Exercícios Físicos (NEOBE) da USP criado pela Prof. Dra. Claúdia Cezar e colaboradores que vêm sendo seguidas no PAPO (Programa de Atividades para o Paciente Obeso) grupo que coordeno atualmente na UNIFESP:

1)Comer de três em três horas, sendo que no final da terceira hora, você deve estar com fome e então saberá que sua refeição estava em uma quantidade adequada, e se não apresentar fome, você deverá começar uma diminuição de 10% do total consumido, até o momento que você sinta fome no final da terceira hora;

2) Não repetir a porção;

3) Não beliscar nos intervalos. Essas três metas auxiliam na organização da alimentação no dia a dia e têm o objetivo de equilibrar o consumo. Certamente será necessário ter uma revisão do que está sendo consumido e, neste caso, vale a pena conhecer um pouco mais de nutrição para equilibrar a alimentação. Geralmente, o que temos observado tanto em pesquisa como na prática clínica, é a inclusão de alimentos lácteos, verduras e frutas. Portanto, com essas orientações você pode observar que não tem privações e nem exageros, ou seja, tudo se resume à questão do equilíbrio na relação "homem-alimento". 


Faça sua avaliação de peso. É rápida e gratuita Seu peso dos sonhos é o ideal para você?

Responda a avaliação e descubra se seu peso
atual e sua meta de emagrecimento são saudáveis.

Este conteúdo ajudou você? Já ajudou você e + 1254 pessoa(s) Já avaliou

Imprima

Erro

erro

Comente

Compartilhe

Shopping Vida Saudável

PUBLICIDADE

Copyright 2006/2014 Minha Vida - Todos os direitos reservados

"As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e o acompanhamento de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas."


Você está usando uma versão antiga do seu navegador :( Para obter uma melhor experiência, atualize agora!
X