Prostatite tem sintomas claros, mas os homens fogem do médico

Sem tratamento, a doença que causa dor nos testículos torna-se crônica

POR MINHA VIDA - PUBLICADO EM 25/11/2008

A prostatite, doença caracterizada pela inflamação das glândulas da próstata, é conhecida por apenas 15% dos homens em todo o mundo. Os dados são da Fundação Americana de Doenças Urológicas, e não param por aí: as mulheres sabem mais sobre a doença do que os homens.

Os sintomas não deixam a doença passar despercebida e indicam claramente que algo não vai bem. "Desconforto ao urinar, febre e dor nos testículos e no períneo são alguns dos indicativos da doença, infecciosa na maioria dos casos, causada pela bactéria Escherichia coli", descreve Dr. Evandro Cunha, diretor do Hospital Urológico de Brasília. A prostatite pode surgir em qualquer idade, sendo que 70% dos quadros são diagnosticados apenas com a manifestação dos sintomas que, nos casos agudos, são bastante intensos.

O diagnóstico não é complicado e acontece pelo exame de urina, (do primeiro e segundo jatos e também daquela colhida após exame de toque retal) e pela análise da secreção prostática. Após a confirmação, além de medicação, são recomendadas medidas adicionais, como dieta com restrição de condimentos e maior ingestão de líquidos. "Pacientes em tratamento devem, ainda, aumentar a atividade sexual a fim de eliminar a secreção. Cabe destacar que a prostatite não apresenta riscos para a parceira", afirma o urologista.

A doença não é precursora do câncer, como temem alguns pacientes. Contudo, o tratamento deve ser levado a sério, estendendo-se de 21 a 90 dias de acordo com cada caso. "A próstata, como órgão envolvido na reprodução humana, possui uma linha de defesa importante. A mesma dificuldade que a bactéria tem para vencer essa barreira, os medicamentos também terão. A interrupção da medicação pode ocasionar riscos de cronicidade da doença", conclui.

Este conteúdo ajudou você?
Sim Não