Minha Vida - Saúde, Alimentação e Bem-Estar

Agite o corpo e evite os remédios para o colesterol

Exercícios aumentam o HDL e evitam o acúmulo de gordura nas artérias

Por Minha Vida - publicado em 17/04/2009


Depois da visita ao médico, a prescrição: dieta e academia. Pelo menos, por enquanto, você ficou livre dos remédios para controlar o colesterol e, se quiser continuar assim, precisa encontrar logo uma academia ou uma atividade física que caiba na agenda. O que, no começo, pode parecer difícil, tem tudo para se tornar um prazer.

Quem insiste, no entanto, só tem a comemorar. Os efeitos positivos dos exercícios físicos são inúmeros para a saúde e, a cada dia, sai um dado novo, revelando associações que pareceriam impensáveis tempos atrás (como a melhora da memória ou o aumento da segurança emocional nas pessoas que treinam diariamente). Em se tratando de colesterol, os benefícios quase pedem uma calculadora para serem somados: os exercícios evitam o acúmulo de gordura no organismo e ainda mantêm o sistema cardiorrespiratório mais saudável, com maior capacidade de bombeamento do sangue.

A diminuição nos níveis de gordura não acontece apenas devido ao aumento na queima calórica de quem treina. "A prática de exercícios também incentiva a produção de enzimas que controlam a quantidade da gordura circulante no organismo. Quanto mais exercícios, maior a quantidade destas enzimas e, portanto, menor o risco de doenças do coração", afirma o cardiologista Roque Savioli, especialista do MinhaVida.

Apesar de muito eficientes e indispensáveis em muitos casos, os medicamentos não conseguem aumentar os níveis de colesterol bom (HDL) com a mesma eficiência dos treinos aeróbios, se eles forem praticados regularmente no começo, o ideal é treinar meia hora por dia, de acordo com o cardiologista.

Natação

Apesar de muito eficientes e indispensáveis em muitos casos, os medicamentos não conseguem aumentar os níveis de colesterol bom (HDL) com a mesma eficiência dos treinos aeróbios, se eles forem praticados regularmente no começo, o ideal é treinar meia hora por dia, de acordo com o cardiologista.

Treino perfeito
O coordenador técnico da academia Runner, Giovane Salvatore, tem a receita para quem busca mais saúde a partir da atividade física. "O melhor exercício de todos é aquele que dá prazer. Só com ele você mantém a prática e abandona de vez a vida sedentária", afirma. Feita a escolha, o acompanhamento de um médico e de um treinador podem ajudar a obter resultados mais eficientes. Entre os pontos em que vale a pena ficar de olho, estão:

Regularidade
Pode ser natação, bicicleta ou futebol com os amigos. O importante é praticar a sua atividade favorita, ao menos, três vezes por semana. Só assim seu corpo começa a responder ao novo ritmo, mais ativo, e as taxas de colesterol passam a entrar nos eixos.

Intensidade
Não é o caso de terminar o treino com a língua para fora. Mas também não dá para treinar, ler revista e papear, tudo ao mesmo tempo. O ideal é que o treino cause um desgaste no seu limite de esforço. Se alguém perguntar as horas, você precisa ter condições de responder, sem precisar parar. Mas contar os detalhes da noitada enquanto corre só indica uma coisa: está na hora de intensificar o seu programa.

Controle o colesterol

Duração
Intensidade e duração devem ser trabalhadas lado a lado. Você pode aumentar a duração de um treino e diminuir na intensidade de esforço. Ou aumentar o esforço e diminuir a duração. São formas diferentes de estímulo que, junto ao seu médico e um professor de Educação Física, você deve variar para manter o corpo num estado de desafio permanente.

Malhando o colesterol
Em nosso sangue, existem basicamente dois tipos de colesterol: o LDL (conhecido como ruim, porque pode ficar depositado nas artérias e provocar o entupimento delas) e o HDL, chamado bom, porque diminui o acúmulo de gordura. Na situação ideal, as taxas de HDL, portanto, devem ser dominantes e os exercícios físicos ajudam muito nisso. Veja abaixo algumas opções, sugeridas pelo professor de Educação Física Clóvis Coltre, que dá aulas numa escola particular de São Paulo.

Ao ar livre
Aposte em longas caminhadas e corridas: dois dos exercícios aeróbios mais comuns e de ótimos resultados. Com a ajuda deles, o corpo transforma glicose em energia a partir do consumo de oxigênio (daí o termo aeróbio). Este tipo de treino amplia as cavidades do coração e melhora o bombeamento do sangue para o corpo, diminuindo a probabilidade de que se acumulem placas de gordura nas artérias.

Esqueça a corrida de velocidade (100m rasos): atividade em que o corpo transforma glicose em energia sem o uso do oxigênio (exercício anaeróbio). Não é indicada para quem tem colesterol alto, porque tende a diminuir o diâmetro das cavidades, causando hipertrofia das paredes do coração (o diâmetro menor mais o acúmulo de gordura do colesterol alto podem ser fatais e levar a um infarto, por exemplo). 

Na academia
Aposte em aulas aeróbias, esteira e bike: até que suas taxas de colesterol entrem nos eixos, o melhor é focar nos treinos aeróbios, que aumentam os níveis de HDL (o colesterol que faz uma espécie de faxina nas suas artérias, varrendo as placas de gordura para fora).

E a musculação?
Depois de estabiliza as taxas de colesterol, levantar peso é uma boa idéia. Isso porque os músculos fazem parte dos chamados "tecidos inteligentes", queimando calorias no repouso (a queima demanda energia que, gasta, não se acumula sob a forma de gordura).

Além disso, os músculos músculos favorecem a produção de enzimas que retiram as gorduras chamadas triglicérides do sangue, reduzindo ainda mais o LDL. "Mas, como a musculação não trabalha no aumento do HDL, preferimos indicar os treinos aeróbios no início de um tratamento", afirma o cardiologista Roque Savioli. 


Este conteúdo ajudou você? Já ajudou você e + 1254 pessoa(s) Já avaliou

Imprima

Erro

erro

Comente

Compartilhe

Shopping Vida Saudável

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

siga o minha vida e melhore sua qualidade de vida

Saiba mais

Copyright 2006/2014 Minha Vida - Todos os direitos reservados

"As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e o acompanhamento de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas."