Mas que salada!

POR REDAÇÃO - PUBLICADO EM 03/08/2006

Turbinar a dieta, fazendo da saladinha sua refeição principal, pode ser uma ótima maneira de poupar calorias. Só é preciso tomar cuidado para que essa economia não atrapalhe sua saúde. "Se não for preparada adequadamente, a salada pode deixar o organismo carente de uma série de nutrientes", afirma a nutricionista da consultoria RGNutri, Andréa Andrade. Pior: mal elaborado, o prato pode até te deixar com mais fome, tingindo de preto o sonho de usar um biquíni branco no próximo verão.

Meta da segunda-feira
Você decidiu encarar uma dieta. Na empolgação, não resta dúvida: trocar o arroz e feijão por algumas folhinhas temperadas vai fazer o ponteiro da balança descer rapidinho. Qual das opções você escolheria para a substituição do prato quente?

a) Salada completa: alguns vegetais folhosos, legumes e umas lasquinhas de peixe ou frango.
b) Prato cheio de folhas coloridas e legumes crus regados a muito vinagre e limão.
c) Além das folhas e legumes, diferentes tipos de queijo, torradas e batata palha vão compor sua salada. Afinal, você vai substituir seu almoço por ela. Contando as calorias
Ao substituir o prato quente pela salada, você:

a) Continua a dieta ao longo do dia. A salada foi apenas uma das refeições que mereceu cuidados.
b) Investe na sobremesa, afinal você merece depois de um almoço meio sem graça.
c) Sente-se livre para comer (quase) tudo o que deseja no restante do dia, a cota de economia já foi cumprida pelas próximas horas.

A pitadinha que faz a diferença
Sem dúvida, o molho dá um toque especial à salada. Dentre as muitas opções das prateleiras, você lança mão de:

a) Azeite, vinagre ou limão, já que você prepara seu próprio molho em casa.
b) Óleos vegetais comuns, uma opção simples, mas suficiente para garantir o gostinho especial da salada.
c) Qualquer molho pronto, eles são mais práticos e têm sabores bastante variados.



Xô, rotina!
Ao longo da semana, você busca alternativas para não enjoar do cardápio. Para incrementar sua salada e diversificar a refeição, você:

a) Escolhe folhas e legumes diferentes, deixando o prato bem colorido. Também varia na escolha das proteínas.
b) Continua optando pelas folhas e legumes de sua preferência, mas varia o tipo de molho.

c) Duplica a quantidade de folhas no prato. Afinal, alface e alguns ingredientes extras não engordam mesmo.

De olho neles
Os legumes marcam presença em um prato de salada que se preze. Assim como as folhas, a maioria contém baixas calorias, exceto:

a) Batata, mandioca e mandioquinha.
b) Cenoura, pimentão e abobrinha.
c) Pepino, berinjela e vagem.

Crus ou cozidos?
Ao preparar os legumes que vão fazer parte da sua salada, você:

a) Faz a devida higienização, mas deixa todos crus. Além de ser mais prático, eles perdem menos nutrientes se ingeridos desta forma.
b) Sempre prefere alimentados cozidos, temperados com sal.
c) Dificilmente adiciona legumes ao prato.

Cardápio verde
Na sua opinião, fazer da salada seu prato principal por mais de duas semanas é:

a) Supertranqüilo, já que você é criativa e consegue incluir ingredientes que, de fato, suprem as necessidades nutricionais do organismo.
b) Meio difícil, pois você só segue o cardápio à base de folhas, rodelas de tomate e vinagre quando quer emagrecer.
c) Um horror. Você sofre ao passar tanto tempo comendo apenas folhas.






RESULTADO

Maioria A
Se a maioria das suas respostas foi letra A, considere-se um expert em montar pratos balanceados de salada. Os molhos também merecem atenção especial, pois você certamente leu os rótulos desses produtos e descobriu que eles podem acabar com a versão light de qualquer salada. As versões industrializadas e aquelas que levam creme de leite e maionese na

composição passam longe da sua mesa. "A melhor opção para temperar a salada é o azeite. Geralmente, recomenda-se uma colher de chá a cada prato", explica a nutricionista da consultoria RGNutri, Andréa Andrade. Procurar opções à base de iogurte é a dica da especialista para quem quer variar o molho e continuar na linha.


Maioria B

Você está no caminho certo, mas ainda comete alguns errinhos na hora de equilibrar os ingredientes da sua salada. Para que a troca da salada pelo prato quente seja eficaz para a dieta e, ao mesmo tempo, para a saúde, não basta selecionar algumas folhinhas verdes. "A variedade de cores (tanto das folhas quanto dos legumes) indica diferentes tipos de nutrientes",
afirma Andréa. Se um dia você optar por um prato de alface americana, rúcula, tomate, cenoura ralada, croutons e atum, por exemplo, no dia seguinte, você pode trocar a alface americana pela lisa, o tomate pela beterraba e o atum por peito de peru, respeitando cada grupo alimentar. Mas atenção a certos legumes ricos em carboidratos, como a batata, a mandioca e a mandioquinha.


Maioria C
Você assinalou a letra C por mais de quatro vezes? Então está na hora de rever seus conceitos sobre saladas. O radicalismo é um de seus principais erros. Só folhas não bastam para deixar ninguém de pé: é preciso montar uma salada light, que tenha o mesmo valor nutricional de um bom prato quente. Por outro lado, abusar dos frios gordos, como queijo amarelo e presunto,ou ainda, adicionar mais de um tipo de cada grupo de alimentos, aumenta e - muito! - as calorias da refeição.

Faça nossa avaliação nutricional gratuita e descubra quais são as dietas indicadas para o seu perfil.









PUBLICIDADE