PUBLICIDADE

Café pode ajudar na prevenção contra câncer de próstata

Tanto a versão com cafeína como a descafeinada são benéficas ao corpo

Homens que tomam quantidades moderadas de café regularmente têm menos riscos de desenvolver câncer de próstata, especialmente a forma mais letal dele, diz um estudo feito por cientistas da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos. De acordo com dados do IBGE, o câncer de próstata mata aproximadamente 15 mil homens todos os anos no Brasil.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

O estudo começou em 1986 e contou com a participação de aproximadamente 48 mil homens. Durante esse período, os hábitos alimentares de cada um dos participantes foram acompanhados pelos cientistas. Até 2006, quando acabou a coleta de dados, cinco mil homens desenvolveram câncer de próstata. Entre eles, 642 tiveram a forma mais letal do câncer.

Depois de analisar os resultados, os cientistas observaram que os homens que tomavam de três a cinco xícaras de café diariamente tinham 20% menos chances de desenvolver a doença, se comparados às pessoas que não ingeriam a bebida. Já a proteção contra tipos mais agressivos de câncer chegou a ser 60% maior.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Mesmo sem ter provas concretas da relação entre o café e a doença, os autores do estudo acreditam que os antioxidantes contidos na bebida, que diminuem a proliferação de novas células cancerígenas, podem explicar essa relação. O que surpreendeu os autores do estudo foi que tanto a versão com cafeína como a descafeinada apresentaram o mesmo grau de proteção contra o câncer de próstata.

Outro alimento que ajuda na prevenção de câncer de próstata: os brócolis. Um estudo feito por cientistas britânicos mostrou que o consumo regular do vegetal provoca modificações na atividade de certos genes associados ao desenvolvimento desse tipo de câncer.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Alguns estudos anteriores já sugeriam que uma dieta rica em vegetais crucíferos, como brócolis, couve-flor, repolho e agrião, pode reduzir o risco de câncer. Porém, a atuação de determinados alimentos ainda não tinha sido descoberta.

Com essa pesquisa do Instituto de Pesquisas sobre Alimentos de Norwich, na Inglaterra, foi dada a largada rumo à comprovação prática de que os brócolis alteram a produção de proteínas chamadas de fatores de crescimento. Tais fatores de crescimento estimulam a divisão ou o desenvolvimento celular, que contribuem para a evolução do câncer.

A conclusão é resultado de um ano de estudo. Homens considerados como participantes de grupos de risco foram divididos em duas equipes: uma comeu 400 gramas de brócolis por semana e outra, 400 gramas semanais de ervilha, além de sua dieta habitual. Depois de seis meses, amostras de tecidos foram retiradas de suas próstatas a fim de medir a atividade de diversos genes.

No grupo de homens que consumiu brócolis, as amostras mostraram alterações na produção de fatores de crescimento, como o TGF beta 1 e o EGF, assim como da insulina, hormônio que também é associado à evolução do câncer de próstata e outros tumores.