PUBLICIDADE

Consumir queijo não aumenta risco de ataque cardíaco ou AVC, diz estudo

Mesmo com alto potencial de gorduras saturadas, o alimento, quando consumido sem exageros, não causa danos à saúde

Em 12/5/2017
Redação
Escrito por Redação
Redação Minha Vida

É comum conhecer alguém que evita comer queijos por achar que eles contribuem para o ganho de peso e doenças, porém esses laticínios possuem diversos benefícios interessantes para a saúde, sendo rico em nutrientes importantes para o corpo, como cálcio, proteínas e em vitaminas.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

De acordo com um novo estudo internacional, o consumo de queijo, leite e iogurte, mesmo em suas opções mais gordurosas, não aumentam o risco de uma pessoa ter problemas cardíacos graves ou doenças cardiovasculares.

A pesquisa, publicado no European Journal of Epidemology, avaliou 29 estudos anteriores sobre o assunto, realizados nos últimos 35 anos e que envolveu 938.465 participantes de todo o mundo.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Os resultados contradizem a visão de que os produtos lácteos podem ser prejudiciais por ter um alto teor de gordura saturada. Segundo Ian Givens, pesquisador da Universidade de Reading, na Inglaterra, essa teoria é completamente equívoca.

"Existe uma ampla, mas errada, crença entre o público de que os produtos lácteos em geral podem ser nocivos, mas isso é um equívoco. Embora seja uma crença amplamente difundida, nossa pesquisa mostra que isso é errado", revelou.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

O estudo mostrou que o consumo desses alimentos não aumentou o risco de doenças cardiovasculares, evidenciando ter um impacto 'neutro" a saúde humana. Além disso, foi constatado que o consumo de produtos lácteos fermentados pode até mesmo diminuir o risco de o indivíduo vir a ter um ataque cardíaco ou um AVC.

No entanto, Ian Givens comenta sobre o aumento da publicidade nos últimos anos vinculando o consumo de gorduras saturadas com o aumento do risco de doenças cardiovasculares, o que fez com que esta crença se estabelecesse na população britânica.

Isso explica por que os consumidores passaram a comprar cada vez versões de baixo teor de gordura de produtos lácteos, por exemplo, o fato de 85% de todo o leite vendido no Reino Unido atualmente seja semi-desnatado ou desnatado

Para os pesquisadores, a queda no consumo de laticínios pode poderia ocasionar problemas de saúde relacionados à falta de cálcio, como a osteoporose. A pesquisa foi parcialmente financiada por três grupos ligados à indústria de laticínios: Global Dairy Platform, Dairy Research Institute e Dairy Australia). Contudo, eles descartam que tenha havido influência das empresas sobre a conclusão do estudo.