PUBLICIDADE

Psoríase pode aumentar riscos de doenças cardiovasculares

Pesquisa aponta doença de pele como fator de risco para infarto e derrames

Pessoas que sofrem com a doença de pele psoríase estão mais propensas a desenvolver problemas cardiovasculares, como infarto, derrames e aterosclerose, segundo um estudo norte-americano divulgado pelo Instituto Nacional de Saúde dos Estados Unidos.

A Psoríase manifesta-se, basicamente, por lesões que fazem a pele descamar e formar uma espécie de relevo avermelhado. As áreas de atrito, como cotovelos e joelhos, são foco do problema. "Mas ele também afeta o couro cabeludo, as palmas e as plantas das mãos e pés e unhas", afirma o dermatologista César Cuono, especialista do MinhaVida.

A pesquisa identificou que pessoas que têm psoríase estão mais suscetíveis a desenvolver diabetes, hipertensão e aumento das taxas do colesterol ruim (LDL) condições que elevam os índices de problemas cardiovasculares.

Os pesquisadores avaliaram mais de 5.700 pacientes, sendo que 3.236 desses apresentavam psoríase. A maior parte dos participantes era do sexo masculino e tinha, em média, 68 anos de idade.

De acordo com as análises, a psoríase não é uma causadora dos problemas cardiovasculares, mas torna-se um fator de risco semelhante ao tabagismo. "Não está claro se o tratamento da doença reduz esse risco. Nós pensamos que sim, mas isso precisa ser confirmado", avalia o pesquisador Robert Kirsner, vice-presidente do departamento de dermatologia da Universidade de Miami.

Mesmo após considerar os fatores de risco tradicionais para doença cardíaca, em comparação com outros pacientes, as pessoas com psoríase mostraram:

- 78% mais chances de ser diagnosticados com doenças isquêmicas do coração (como infarto e angina);
- 70% mais chances de ser diagnosticados com AVC;
- Mais de duas vezes mais chances de ser diagnosticada com a aterosclerose.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)