PUBLICIDADE

Veja como melhorar problemas nos pés, como calos e unhas encravadas

Deixe a vergonha de lado e coloque os pés para fora sem medo com as dicas dos especialistas

Sandálias são o melhor calçado para dias quentes, elas aliviam o calor nos pés e são mais confortáveis para caminhar. Mas há quem evite a todo custo deixar os dedos e calcanhares de fora por vergonha de problemas como ressecamento da pele, calos ou unha encravada. "Apesar de incômodos, no entanto, todos eles podem ser tratados rapidamente e você consegue usar sandálias ainda neste verão", afirma a podóloga Vera Feliciano, diretora da Dream Feet. Confira as dicas de especialistas no assunto.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Rachadura |Ressecamento

Rachadura |Ressecamento - Getty Images
Rachadura |Ressecamento - Getty Images

Os pés carregam o peso do corpo, sofrem atrito e têm a pele mais espessa. No verão, então, é preciso ficar ainda mais atento aos cuidados, já que os calçados abertos deixam os pés bem mais expostos a outras agressões, como o contato com a poeira e a poluição. Você pode tratar o ressecamento com um profissional e depois manter os cuidados em casa.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

A podóloga Vera Feliciano explica que as rachaduras tendem a melhorar se você fizer uma hidratação profunda mensalmente usando cremes específicos para os pés. Para dar continuidade ao tratamento em casa, a dermatologista Marcia Linhares, da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), recomenda hidratar os pés com cremes à base de ureia e lactato de amônio. "E não faça esfoliação nos pés mais de uma vez na semana ou eles podem ficar ainda mais ressecados, apesar da impressão momentânea de maciez", afirma a médica. Uma dica: usar os cremes à noite e colocar meias faz com que a pele absorva melhor os produtos.

Calos

Calos - Getty Images
Calos - Getty Images

Os calos nos pés são resultado de pressão repetitiva no local, a pele vai se encorpar para criar uma proteção contra um sapato que força demais um cantinho do dedo, por exemplo. Problemas posturais e até as costuras dos sapatos podem criar calos, segundo a dermatologista Isabel Martinez, diretora Clínica Martinez. Além de manter os pés hidratados, é preciso que você se afaste dos sapatos que incomodam. Os modelos com pontas arredondadas tendem a machucar menos e, no caso de calçados novos, vale a pena hidratar os pés antes de calçá-los (isso diminui o atrito da pele junto ao sapato). O uso de cremes para descamar a pele (ceratolíticos) também pode ser indicado pelo dermatologista caso os calos sejam muito espessos e recorrentes.

Frieira

Frieira - Getty Images
Frieira - Getty Images

Seus pés, muitas vezes, passam o dia sem respirar dentro de um sapato ou tênis quente e úmido. O ambiente é ideal para o surgimento dos fungos que causam frieira. Coceira e ardor são os sintomas mais comuns do problema, de acordo com a podóloga Marina Benevides, da Clinic Pé Shopping Ibirapuera. Para evitar o problema e não ser barrado no clube, a dermatologista Isabel Martinez orienta aos seus pacientes que alternem os sapatos, evitando repetir o mesmo por dois dias seguidos. Meias 100% algodão também mantêm os pés secos e evitam o aparecimento dos fungos.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Unha encravada

Unha encravada - Getty Images
Unha encravada - Getty Images

Dependendo da forma como a unha é cortada e as cutículas são retiradas, sua unha caba encravando - isso acontece quando ela não tem espaço para crescer e faz isso pressionando a pele. "Nunca corte as unhas pelos cantos, as pontas precisam ficar livres", afirma a dermatologista Marina Benevides. No caso dos pés, as unhas devem ser cortadas sempre retas e nunca muito curtas.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

O tratamento varia de acordo com a intensidade de cada caso e pode ser simples, como o afastamento da pele inflamada por um chumaço de algodão, ou exigir procedimentos cirúrgicos, caso de quem precisa extrair a unha para que ela nasça sem causar inflamação. Em caso de infecções, pode ser necessária a utilização de antibióticos de uso local ou via oral e o dermatologista pode receitar.

Olho de peixe

Olho de peixe - Getty Images
Olho de peixe - Getty Images

Olho de peixe, também conhecido como verruga plantar, é um problema causado pelo Vírus do Papiloma Humano (HPV), segundo a podóloga Vera Feliciano. O problema é sério e, a partir do momento em que se instala, depende de tratamento combinado entre dermatologista e podólogo para ser eliminado. Na maioria dos tratamentos, os especialistas recomendam o uso de fórmulas manipuladas e a aplicação de ozônio, que tem ação antivírus. "Para prevenir o problema, sempre use chinelos de banho em áreas públicas, seque os pés cuidadosamente após entrar em contato com a água e evite usar sapatos de outras pessoas."

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Joanetes

Joanetes - Getty Images
Joanetes - Getty Images

Os joanetes surgem nos pés por problemas genéticos ou pelo uso contínuo de sapatos com bicos apertados. Em casos mais graves, é preciso fazer cirurgia, já nos mais simples, a correção pode ser feita com a ortoplastia, um molde de silicone desenvolvido no pé do paciente - o amortecimento do acessório alivia as dores, principalmente nos casos em que o dedão vira em direção ao segundo dedo do pé e os tecidos ao redor da articulação ficam inchados e sensíveis, de acordo com a podóloga Marina Benevides.

Inchaço

Inchaço - Getty Images
Inchaço - Getty Images

Várias são as causas do inchaço nos pés, desde o consumo excessivo de sal, passando pela má circulação, excesso de peso e falta de líquido no organismo, ou até mesmo a gestação e o período menstrual. De acordo com a podóloga Vera Feliciano, quando se trata de má circulação, pode ser feita uma drenagem linfática ou uma sessão de laser vermelho. "Ele fortalece os vasos, facilitando o retorno venoso e deixando o sangue com a oxigenação em equilíbrio." Para aliviar os sintomas procure elevar as pernas ao menos durante meia hora ao dia. "Evite também permanecer muito sentada ou na mesma posição, caminhe em intervalos regulares a cada 12 horas", afirma Marina Benevides. Na dúvida, procure um especialista.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)