Cremes para o rosto: entenda as diferenças entre cosmético e dermocosméticos

Escolha o que melhor atende as necessidades da sua pele

POR MANUELA PAGAN - ATUALIZADO EM 28/01/2016

O leque de opções de produtos para cuidados com a pele, que antes contemplava cremes simples, indicados praticamente para todo tipo de pele, agora conta com as mais diversas composições. Além dos cosméticos, apareceram também os dermocosméticos, mas você sabe qual é a diferença entre esses dois grupos? "Os dermocosméticos, também chamados de cosmecêuticos, agem mais profundamente na pele que um cosmético, mas tem um efeito menor que o de um medicamento", explica a dermatologista Érica Monteiro, membro do Instituto Protetores da Pele (IPP).

Para obter esse efeito, eles têm ações muito diferentes e devem ser usados com objetivos distintos. A seguir nós comparamos os produtos e mostramos em que situações um é melhor que outro.

Como eles agem

"Os dermocosméticos agem nas camadas mais profundas da pele, promovendo modificações fisiológicas que melhoram a aparência, sempre embasado por estudos clínicos", explica a dermatologista Silvia Takakuwa, da Medical Laser. "Já os cosméticos alteram apenas aparência da pele, limpam, perfumam, hidratam e protegem - agem superficialmente, mas não tratam o problema".

Isso acontece porque os dermocosméticos têm ativos com maior capacidade de penetração na pele, já os cosméticos possuem ação superficial. Enquanto um cosmético vai ajudar a cobrir uma mancha, disfarçar uma acne ou ajudar a hidratar a pele superficialmente, o dermocosmético vai atuar no tratamento do problema. Por isso que o mais indicado para tratar rugas, cicatrizes da acne, clarear manchas e olheiras, entre outros problemas, são os dermocosméticos. A diferença principal, portanto, não é que um é melhor que o outro, e sim que as suas funções e propósitos são diferentes.