Estrias brancas: veja tratamentos para amenizar essas marcas

Apesar de não ser possível remover essas estrias, muitos tratamentos ajudam a torna-las menos visíveis

POR NATHALIE AYRES - ATUALIZADO EM 19/01/2017

Ao contrário da celulite, é quase um consenso que as estrias são muito difíceis de serem tratadas. Quando elas ficam brancas então, é impossível conseguir se livrar das marcas completamente. "As estrias passam por três fases: a fase de inflamação, que é quando elas estão avermelhadas; uma fase intermediária, em que a inflamação começa a sumir; e a fase atrófica, em que elas ficam brancas e aquela região da pele perde colágeno e fibras, o que dificulta a recuperação", diferencia a dermatologista Valéria Campos, membro do Departamento de Laser da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD).

Mas isso não significa que não seja possível amenizar as estrias brancas! "Os diferentes tipos de tratamentos estéticos têm o objetivo de estimular a formação do tecido colágeno subjacente, deixando-o mais parecido com a pele", considera o médico Nelson Rosas, diretor médico do Centro de Tratamento Estético do Rio de Janeiro (CETERJ) e presidente da Sociedade Brasileira de Medicina Estética.

Claro que tudo varia de acordo com a localização das estrias, inclusive! "O resultado do tratamento é variável, depende da localização das estrias, do organismo da pessoa e da largura e espessura da estria", enumera a dermatologista Eliandre Palermo, presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica (SBCD).

Quer tentar? Conversamos com os especialistas sobre os melhores tratamentos para amenizar as estrias brancas e quais resultados esperar. Confira a lista a seguir e escolha o seu:


SAIBA MAIS

Radiofrequência

A radiofrequência é um tratamento feito com um aparelho que emite correntes de alta frequência quem conseguem penetrar de forma mais homogênea e profunda na pele. "Atua na renovação das estruturas da derme, renovando o colágeno sem ferir a superfície", considera o médico Nelson Rosas, presidente da Sociedade Brasileira de Medicina Estética. E produzir colágeno é um fator primordial no tratamento dessas estrias.

Mas a dermatologista Valéria Campos, membro do Departamento de Laser da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) tem usado um tratamento diferenciado com essa aparelho, que promete resultados ainda mais satisfatórios. "A radiofrequência é usada para formar microplasmas na pele, pequenos furinhos fracionados que permitem que ativos penetrem na pele, como vitamina C e E e ferúlico", descreve a especialista. Depois, é feito um ultrassom estético de impacto, que ajuda os produtos a penetrarem mais profundamente na pele.

Resultados esperados: A radiofrequência comum costuma trazer melhora da qualidade da pele e redução da largura e relevos das estrias tratadas, tudo isso lá pela terceira sessão. Já o método usado por Valéria Campos consegue até mesmo eliminar as estrias mais finas, reduzindo as bordas das mais grossas, mas traz esse tipo de resultado até mesmo na primeira sessão, dependendo do paciente.