Laser e cirurgia plástica são opções no tratamento da flacidez

Fenômeno vem com a idade, mas é possível revertê-lo

ARTIGO DE ESPECIALISTA - ATUALIZADO EM 21/07/2016

Dr. Claudio Mutti de Lima
Ginecologia e Obstetrícia - CRM 59687/SP

A flacidez é uma grande preocupação. Esse medo surge porque estamos com uma expectativa de vida cada vez maior, mas ninguém quer aparentar muita idade. Nossa aparência funciona como nosso cartão de visita.

A flacidez não é específica das mulheres, apesar de ser mais comum a este sexo devido a fatores hormonais. Entretanto, devido ao grande e crescente número de pessoas com obesidade e sobrepeso - inclusive entre adolescentes - esta enfermidade torna-se cada dia mais comum.

No corpo humano, o colágeno desempenha várias funções, como, por exemplo, unir e fortalecer os tecidos. Já é provado que a partir dos 25 anos de idade, a produção e qualidade desta proteína de colágeno entram em declínio, chegando em torno de 30% da produção original aos 50 anos. Com o passar do tempo, o corpo também pode sofrer algumas privações das substâncias que levam à formação de colageno, principalmente na alimentação, que pode ser muitas vezes carente de vitaminas e proteínas.

Durante os primeiros anos até a puberdade, essas deficiências não são visíveis e nem mostram suas evidências. A falta de colágeno vai se tornar mais visível e notável quando entramos na fase da maturidade. Também é nessa etapa da vida que começam a aparecer as rugas, pois a pele não tem mais a mesma elasticidade de antes.

PUBLICIDADE
laser

Outros fatores importantes determinam a flacidez, como, por exemplo, a perda importante e rápida de peso. A pele que "sobra" não tem a mesma capacidade de retração, e esta deficiência é traduzida clinicamente por flacidez. Tambem o sedentarismo, o fumo, a má alimentação, o estresse e o sol - que causa a elastose solar (que consiste de uma alteração na derme, levando a uma flacidez e atrofia pela destruição das fibras de colágeno e fibras elásticas) - constituem outros fatores responsaveis pela flacidez.

Quanto mais jovens, maior a capacidade adaptativa. Mas, ao envelhecer, essa capacidade vai diminuindo progressivamente. Assim, precisamos lancar mão, além da melhora dos nossos hábitos, também do uso da tecnologia.

Existem vários tratamentos para a flacidez corporal e facial, que podem ser utilizados em qualquer tipo ou cor de pele, e em qualquer época do ano. São eles:

- Laser Titan: infravermelho que trata flacidez, utilizado em qualquer parte do corpo.
- Accent: Aparelho e radiofrequência que faz com que as fibras de colágeno retraiam. Também estimula a produção de novo colágeno. - Nir: Infravermelho utilizado para tratar flacidez.
- Tight Skin: Combina a irradiação infravermelha e âmbar. Estimula as células endoteliais, células de Langherhans e plaquetas, além de promover a contração do colágeno de forma uniforme, melhorando assim a flacidez e a qualidade da pele.

- Carboxiterapia: Injeção de gás medicinal com uma pequena agulha, que promove a melhoria da circulação local. Isso faz com que ocorra um estímulo da produção de colágeno e, por conseguinte, uma melhora da flacidez.
- Intradermoterapia: Consite na injeção local de medicamentos para melhora da flacidez local.
- Cirurgia Plástica: indicada para os casos em que os aparelhos e laser não são suficientes, o que pode ocorrer em alguns casos.
- Orientação nutricional: Orientar em relação aos tipos de alimento que possuem maior quantidade de nutrientes e vitaminas que melhoram a produção de colageno, além de eliminar os radicais livres (responsaveis não só pelo envelhecimento da pele, como tambem pelo aparecimentos de outras doenças). Também há orientação para diminuir o fumo e álcool, além do incentivo à pratica de esportes.

Em geral, a associação destas terapias fornecerá resultados mais satisfatórios.