PUBLICIDADE

Chip da beleza: veja como funciona e os efeitos colaterais do implante hormonal

O chip tem prometido o tão sonhado corpo num passe de mágica hormonal

E se você pudesse conseguir o corpo que sempre sonhou apenas com a liberação de alguns hormônios através de um pequeno tubinho de silicone no seu braço? Não seria uma ótima ideia? O chip da beleza tem prometido o tão sonhado corpo num passe de mágica hormonal. Mas, respire fundo, porque há muita história para contar escondida nessa cartola.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

O que é o chip da beleza?

A ideia dos chips da beleza, que na verdade, são pequenos bastões de silicone e podem ser implantados nos braços, nádegas ou na região do abdome, vem inicialmente da anticoncepção.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Eles foram desenvolvidos para fornecer de forma contínua o hormônio Progesterona por 3 anos, e assim evitar gestações. No entanto, com o crescimento da chamada Medicina Antienvelhecimento, ou Antianging, os bastões de silicone passaram a transportar além de Progesterona, outros hormônios, como: Estrógeno, Hormônio do Crescimento, Testosterona e DHEA (dehidroepiandrosterona), Cortisol, dentre outros.

Esses hormônios utilizados nos implantes de beleza são chamados de bioidênticos, por serem iguais aos hormônios que o nosso corpo fabrica, porém produzidos em laboratório.

Como funciona

A escolha da combinação de hormônios para cada paciente vai depender das queixas, desejos do paciente e dos seus exames. Por exemplo, se o objetivo é o ganho de massa muscular ou para melhorar o libido - que é o desejo sexual - a combinação poderá incluir Testosterona, seja para homens ou mulheres.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

A Testosterona é o principal hormônio naturalmente produzido pelo homem e que nas mulheres é encontrada normalmente em níveis baixos. A ideia de se usar Testosterona se explicaria pelo aumento da massa muscular, libido e força, além do aumento do metabolismo.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

A justificativa da colocação dos implantes é que a pessoa receba uma modulação hormonal em pequenas quantidades, mesmo que determinado hormônio não esteja em falta no seu organismo. Isso significa que, no caso do envelhecimento, onde há uma redução natural e esperada do Hormônio de Crescimento (GH), poderia ser colocado no implante uma certa quantidade de GH para manter a massa magra.

Efeitos colaterais do chip da beleza

O que está por trás de toda essa mágica hormonal é que os efeitos no organismo de determinados hormônios não são somente benéficos. Tome como exemplo a própria Testosterona em mulheres. Sim, o uso de Testosterona faz ganhar massa muscular, mas também acentua características masculinas, como:

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Se fosse só esse o problema... mas não é.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Já parou para pensar porque os homens enfartam mais que as mulheres? Porque até a menopausa nas mulheres têm o efeito protetor do Estrógeno mais elevado e a Testosterona baixa, o que é o normal e esperado pela própria regulação do organismo.

Poderíamos ficar aqui escrevendo e lendo todas as várias pesquisas sobre o assunto, desde o aumento dos riscos de determinados cânceres com o uso acima do recomendado do GH. Cada hormônio que é colocado nos implantes têm diversas pesquisas falando dos seus contras quando utilizados em situações em que não é necessário. O resumo disso é que hormônios têm a indicação correta de uso quando a falta deles é claramente diagnosticada: na criança com falta de GH e não consegue crescer, no homem que comprovadamente não fabrica Testosterona... e por aí vai.

Recomendações

Para tentar alertar a população, o Conselho Federal de Medicina (CFM) e a Sociedade Brasileira de Endocrinologia (SBEM) emitiram pareceres condenando a prática dos implantes hormonais e da modulação hormonal para fins estéticos. O FDA - Food and Drug Administration - órgão que regulamenta medicamentos no Estados Unidos, também já emitiu pareceres contra o uso de hormônios bioidênticos.

Finalmente, a ideia aqui é que você se informe. Informe-se sobre a capacitação do seu médico (registro no CFM, Registro de Especialista - RQE) e sobre os procedimentos que você irá fazer, sejam eles quais forem e de qual especialidade você esteja se tratando. E lembre-se daquele velho ditado: nem tudo que reluz é ouro.