Conheça as 10 principais diferenças nos cuidados com as peles branca e negra

Oleosidade, acne, rugas e manchas e outros itens que pedem tratamentos específicos

POR REDAÇÃO - PUBLICADO EM 03/10/2008

A beleza de Alícia, personagem de Thais Araujo na trama da Globo durante o horário nobre, tem chamado a atenção. A personagem tem muito estilo, além de um cabelo e pele impecáveis. O segredo? Cultivar cuidados específicos. A pele negra e a branca têm características diferentes e, portanto, precisam de cuidados diferentes , afirma a dermatologista Carla de Albuquerque, da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

A seguir, a especialista apresenta os dez pontos que mais demandam atenção nos hábitos diários de beleza e saúde da pele, ensinando o que você pode fazer para prevenir e tratar problemas como rugas, manchas, oleosidade e flacidez, de acordo com o seu tipo de pele.

1. Proteção solar
Pele negra:
a pele negra contém maior quantidade de melanina, o que confere uma maior proteção natural contra a radiação solar. Por outro lado, a tendência a manchas também é maior. Dessa forma, é importante, o uso diário de fotoprotetor em todas as áreas expostas da pele, mesmo na pele negra, com FPS 15, no mínimo

Pele branca: sem dúvida alguma, é a pele mais susceptível aos efeitos nocivos da radiação solar. Uso diário de fotoprotetor com FPS 30 em todas as áreas expostas é o mínimo recomendado.

2. Oleosidade
Pele negra:
Os negros, geralmente, têm a pele do corpo mais ressecada e a pele facial mais oleosa, embora isso possa variar de pessoa para pessoa. Daí, a necessidade de usar produtos diferentes para hidratar face e corpo.

Pele branca: tende a ser mais equilibrada em termos de hidratação, mas isso também não é regra. A oleosidade, tanto da pele branca quanto da pele negra, depende também de vários outros fatores, como idade, alterações hormonais, hábitos de vida e problemas de saúde.

3. Formação de acne
Pele negra:
devido à maior oleosidade da pele, as pessoas de pele negra são mais atingidas pela acne. O tratamento, nos dois tipos de pele, depende do grau da acne, podendo ir desde tratamentos tópicos até via oral com isotretinoina (roacutan).

Pele branca: tende a ser um pouco menos oleosa que a pele negra. No entanto, a acne depende de muitos outros fatores e não apenas a cor da pele. Por isso, também ocorre com bastante freqüência em pessoas de pele clara.

4. Rugas
Pele negra:
a pele negra possui maior quantidade de melanina do que a pele branca. Isso resulta em uma maior proteção natural ao sol e, conseqüente, menor grau de fotoenvelhecimento (envelhecimento precoce causado pelo sol). Na pele negra, devemos evitar peelings profundos e lasers, devido ao risco de manchar a pele.

Pele branca: a pele branca tende a desenvolver rugas mais precocemente do que a pele negra por ter menor quantidade de melanina. A pele clara pode ser submetida a todos os tratamentos anti-idade, inclusive lasers e peelings profundos.

5. Formação de manchas
Pele negra:
a maior quantidade de melanina e o aumento da ação dos melanócitos (células que produzem a melanina) podem resultar numa maior facilidade para desenvolver manchas. Um pêlo encravado ou uma espinha espremida facilmente resultam em manchas escuras. O tratamento é feito com filtros solares, ácidos e peelings. A hidroquinona, bastante empregada no combate às manchas, precisa ser pensada como uma alternativa apenas quando há supervisão médica, pois ela pode causar alguns efeitos colaterais nesse tipo de pele (manchas ainda mais escuras do que as anteriores ou manchinhas brancas, que aparecem em forma de pontos onde a hidroquinona é aplicada)

Pele branca: teoricamente, tem menor tendência a formar manchas do que a pele negra. No entanto, devido à grande mistura de raças no Brasil, algumas pessoas de pele clara desenvolvem manchas com facilidade. O tratamento com hidroquinona também pode causar manchas ainda mais escuras, como na pele negra. Por isso, o acompanhamento do dermatologista é fundamental.



6. Flacidez
Pele negra:
a pele negra tende a ser menos flácida, porque envelhece menos, devido à proteção da melanina (pigmento que dá coloração à pele). Além disso, ela é mais resistente devido à espessura da camada mais externa da pele, chamada córnea: a espessura ajuda a preservar a hidratação interna e a manter a pele firme e resistente.

Pele branca: por ser menos protegida do sol, pois tem menos melanina, tende a apresentar flacidez mais cedo, pois a radiação solar degrada o colágeno e a elastina, substâncias responsáveis pela sustentação da pele.

7. Cicatrizes
Pele negra:
apresenta aumento da atividade dos fibroblastos (células responsáveis pela cicatrização), levando a uma maior tendência na formação de quelóides. O tratamento clareia os quelóides e também faz com que eles murchem . As alternativas são cremes específicos, infiltrações de corticóide, betaterapia (radiação com íons) e laser.

Pele branca: menor tendência a cicatrizes hipertróficas e quelóides. A cicatriz é menor do que o quelóide e não ultrapassa seus próprios limites laterais, tendendo a regredir com o tempo. O quelóide, por sua vez, ultrapassa lateralmente o limite inicial da cicatriz, crescendo de forma tumoral, sendo geralmente maior do que as cicatrizes hipertrróficas.

8. Olheiras
Pele negra:
devido a maior quantidade de melanina, as olheiras com predomínio do componente pigmentar podem ser mais freqüentes na pele negra. Tratamento com laser pode causar manchas nesse tipo de pele, então a melhor alternativa consiste no uso de cremes clareadores com fotoprotetor.

Pele branca: tendem a ter olheiras com componente vascular mais exacerbado, ou seja, a pele fina e clara da região das pálpebras deixa aparecer por transparências os inúmeros vasos do região. Tratamento com laser é mais seguro nesse tipo de pele.

9- Pêlos encravados
Pele negra:
os folículos (locais onde estão os pêlos) são curvos e, quando os fios crescem, não conseguem sair totalmente do folículo, criando uma reação inflamatória chamada de pseudofoliculite. O tratamento com depilação a laser seria a melhor opção, mas tem que ser feito com bastante cautela nesse tipo de pele, pois pode manchar.

Pele branca: pode ter também pseudofoliculite, porém com menor freqüência que a pele negra. Tratamento com laser proporciona ótimos resultados.

10- Câncer de pele
Pele negra:
pele naturalmente mais protegida do sol, ela desenvolve câncer da pele com freqüência bem menor que a pele branca. No entanto, a pele mais escura não traz imunidade total contra o problema e um fotoprotetor com FPS 15, no mínimo é necessário diariamente.

Pele branca: tem uma chance 15 vezes maior de desenvolver câncer de pele do que as pessoas de pele negra. Por isso, a proteção solar é indispensável, com FPS 30 de preferência.

PUBLICIDADE