Sem causar dor, inflamação na gengiva pode levar à perda dos dentes

POR MINHA VIDA PUBLICADO EM 10/10/2006

Sempre que você escova os dentes é a mesma história: durante o esfrega-esfrega, a espuma branca acaba ficando cor-de-rosa, por causa do sangramento na gengiva. "Não sentia dor, nem ardência. Era só um filete de sangue, que escorria a cada vez que precisava higienizar a boca", afirma o estudante Raphael Navas. A explicação para o desconforto só veio quase 4 meses depois, numa visita de rotina ao dentista: Raphael era vítima de gengivite, inflamação bacteriana muito comum hoje em dia. "Como dificilmente causa dor, a inflamação na gengiva acaba sendo deixada de lado por muitos pacientes", afirma o dentista Roberto Lotufo, professor de Periodontia da Universidade de São Paulo. Se não for tratado, o problema pode levar à perda de um ou mais dentes, sem nem sequer um "ai" precisasse ser dito. Mais grave do que a gengivite (quando só a gengiva inflama), na periodontite, os ossos da região também ficam comprometidos. Resultado?

Seus dentes ficam moles e podem cair a qualquer momento por falta de sustentação. Mais usados na mastigação e difíceis de serem limpos, os dentes do fundo são os mais suscetíveis ao mal, como aconteceu na arcada superior do Raphael. "Sorte que, a cada seis meses, vou ao dentista. Não achei que tivesse algum problema, afinal minha boca não doía", lembra. O mau hálito, no entanto, incomodava. Para disfarçá-lo, o estudante vivia mascando chiclete. Vermelhidão, inchaço e mau hálito freqüentes são outros sintomas, que pedem uma avaliação especializada para serem analisados. Efeitos colaterais
Além do mau hálito e do risco de perder um ou mais dentes, os problemas na gengiva ainda podem acarretar outras deficiências no organismo. "As bactérias que se alojam na boca podem levar a infecções respiratórias, gastrites e até distúrbios cardiovasculares", diz o dentista. Quem tem implantes dentários também está sujeito às mesmas inflamações no chamado tecido perimplantar (espécie de mucosa, com menos irrigação sangüínea). A gestação também pede cuidados especiais."Principalmente até o terceiro mês de gravidez, as mudanças hormonais são muito grandes e podem atrapalhar a resposta do sistema imunológico", afirma o dentista. "Mas isso só quando há uma doença periodontal pré-existente. É besteira dizer que a grazvidez, por si, compromete a saúde bucal". Só um cuidado: forçar demais a escova, em movimentos horizontais que raspem a gengiva, não ajuda em nada na preservação da saúde bucal. Ao contrário, isso contribui para machucar o tecido, expor a raiz do dente e aumentar a sensibilidade na região, de acordo com o dentista, que também é presidente da Sociedade Brasileira de Perirodontia. (Sobrape). Para remover a placa bacteriana (ou biofilme dentário, como chamam os especiailstas), bastam uma escova macia e o fio dental usados após cada refeição. "É necessário atrito mecânico para limpar os dentes, bochecho não resolve", segundo o especialista









Este conteúdo ajudou você?
Sim Não