PUBLICIDADE

Como escolho meu filtro solar?

Passar as férias na praia e voltar para casa com aquela corzinha de fazer inveja é sonho de dez entre dez turistas de verão. O problema acontece quando o tempo é curto e a exposição ao sol acaba sendo longa demais. Resultado: vermelhões e ardência pelo corpo todo, sem falar nos riscos de câncer de pele. Para espantar essas preocupações junto com brisa, o primeiro passo é escolher - e muito bem! - o seu filtro solar. Junto com a dermatologista Noemi Weber Wahrhaftig, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia, Minha Vida preparou uma seleção quentíssima de dicas que vão agilizar suas compras, garatindo um bronzeado seguro e duradouro para este verão. Confira a seguir a conversa, com tudo o que você precisa saber sobre FPS, UVB, UVA e as milhares de siglas das embalagens de filtros solares. Como é calculado o FPS? Dá mesmo para confiar?
O fator de proteção solar (FPS) é resultado de uma divisão. Os cientistas dividem a energia de raios ultravioletas B (UVB) necessária para produzir vermelhidão sobre uma pele protegida pela energia ultravioleta necessária para produzir vermelhidão numa pele não protegida.

A partir desse resultado, surgem os números impressos nos rótulos dos produtos. O que significa o valor do FPS?
Ele indica o grau de proteção da pele. Um FPS 15 mostra que você está 15 vezes mais protegida contra os raios UVB do que se não estivesse usando nada. Qual a diferença entre UVB e UVA? Os dois fazem mal à saúde?
A radiação solar é distribuída em comprimentos de onda que vão do infravermelho até os raios ultravioletas. Os raios do tipo C, por exemplo, são totalmente absorvidos pela atmosfera da Terra. Já os do tipo UVA não são absorvidos e incidem direto sobre a superfície terrestre durante todo o dia, causando manchas, flacidez e rugas. Quanto aos UVB, são filtrados pela camada de ozônio que envolve o planeta e, quando excessivos, são os responsáveis pelas queimaduras e câncer de pele. O FPS protege apenas contra os raios ultravioletas do tipo B?
Isso acontecia antigamente, quando a preocupação principal era prevenir os males mais graves, como câncer. Hoje em dia, os melhores produtos contam com filtros anti-UVA e anti-UVB. Como sei que fator é ideal para proteger minha pele?
Um dermatologista é a pessoa mais indicada para fazer esta indicação com segurança. Na dúvida, nunca use filtros com FPS abaixo de 15, não importa o tom da sua pele. No rosto e nas mãos, use fator 30 no mínimo, pois a pele é mais sensível a manchas e envelhecimento. É verdade que existem protetores especialmente criados para usar na praia?
Sim, eles são conhecidos por protetores físicos ou de barreira, dissipam ou refletem a radiação ultravioleta e raramente causam alergia. Também existem os filtros químicos, que absorvem a radiação, não deixam que ela passe pela pele e devem ser utilizados em períodos de longa exposição solar. Para uma efetiva proteção é aconselhado um produto à base de componentes químicos e físicos. Como descubro se meu filtro solar é químico ou físico?
Basta conferir no rótulo. Os físicos contam com óxido de titânio e óxido de zinco na fórmula. Já os filtros químicos incluem PABA e outros componentes, como benzofenonas, salicilatos, ácido sulfônico, parsol 1789, eusolex 2020 e cinamatos. O que é melhor: um protetor apenas com FPS ou com outros agentes?
É preciso levar em conta o objetivo do uso do filtro solar. Se for para a praia, um com FPS adequado resolve. Já no uso cotidiano, é interessante investir em outros agentes, principalmente se você não tem muita paciência para passar vários cremes. Preciso passar protetor nos lábios?
Sim, porque essa região é uma das primeiras a queimar. Se você tem a pele muito clara e os lábios carnudos, a obrigação é dobrada porque a pele da sua boca, provavelmente, é muito fina. E uma dica: além dos lábios, os filtros em bastão são alternativas práticas para proteger áreas estreitas, como orelhas, nariz e ao redor dos olhos. E os cabelos? Também precisam de proteção?
Os cabelos também precisam de proteção: boné, chapéu, viseira ou cremes capilares com filtro solar. Os fios mais claros, tingidos ou com luzes e reflexos sofrem bastante com a ação solar. A tendência é que eles desbotem, percam a cor ou ressequem sem os cuidados certos. Quem tem a pele morena precisa de protetor solar ou pode usar só o bronzeador?
Bronzeadores ou filtros com FPS abaixo de 15 não são aconselháveis, por mais tolerância ao sol que sua pele tenha. Os riscos de câncer aumentam com as loções bronzeadoras, sem esquecer as rugas e manchas, que atingem qualquer um, sem distinção, e são prevenidas graças aos filtros com proteção UVA. Os autobronzeadores são recomendados pelos médicos? Como usá-los?
O autobronzeador é uma opção para você ganhar uma corzinha sem tomar sol. Esses produtos contém substâncias que escurecem um pouco a pele. No entanto, é necessário fazer uma esfoliação antes de aplicá-lo, para evitar que as células mortas causem um bronzeado manchado. Alem disso, hidrate a pele depois e continue usando protetor. Só tome cuidado com as as manchas (a aplicação deve ser uniforme) e se você tiver um histórico de alergias. O que significa PABA? Devo usar um protetor solar com ou sem isso?
PABA é a sigla de ácido paraaminobenzoico, um dos primeiros ingredientes de proteção usados nos filtros solares químicos. Mas muitas pessoas apresentaram quadros alérgicos a essa substância, que também mancha tecidos de algodão e sintéticos. Por isso, hoje muitos filtros tem no rótulo: "não contém PABA" ou "PABA free". E o tipo de pele interfere na escolha do protetor?
Sim. Pessoas de pele oleosa devem dar preferência a filtros em gel e sem óleo (muitas embalagem trazem a inscrição em inglês oil free). Peles secas pedem loções cremosas ou cremes. Sprays, que se espalham mais facilmente, são ideais para esportistas. Principalmente no caso das crianças, cheque o rótulo para ter certeza de que o filtro é à prova d água.











NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)