Limpeza de pele: o tratamento que extermina cravos e milium

Ao contrário do que muitos pensam, procedimento é contraindicado para remover espinhas

POR MANUELA PAGAN

O que é a limpeza de pele

Limpeza de pele: tratamento estético elimina cravos e milium

A limpeza de pele é um procedimento estético, realizado em consultórios ou clínicas de estética, que tem como objetivo remover cravos e impurezas da pele. A limpeza de pele também remove o milium, que são pequenos cistos salientes causados pelo acúmulo de óleo e pele nos poros.

Indicações da limpeza de pele

Limpeza de pele - foto: Getty Images
Limpeza de pele

A limpeza de pele é indicada, principalmente, para remoção de cravos abertos (pontos pretos) ou fechados (pontos brancos) e remoção de miliuns. Serve também para remover as células mortas e manter a pele macia e saudável. Todos os tipos de pele recebem muito bem esse procedimento. A limpeza bem realizada ajuda no equilíbrio das peles seca, normal, oleosa e mista. Além do rosto, é possível realizar o procedimento em qualquer outra parte do corpo, como colo e costas.

Como é feita a limpeza de pele

Assepsia da pele - foto: Getty Images
Assepsia da pele

A grande maioria das limpezas de pele segue um passo a passo com etapas bem definidas, que vão desde a higienização da pele até a aplicação do filtro solar. Em geral, a pessoa irá deita-se em uma maca para realizar a limpeza de pele e usa uma proteção para os olhos, que pode ser o próprio algodão. A sessão dura, em média, uma hora. Conheça todas as etapas do procedimento:

- Assepsia: a pele é higienizada com loções de limpeza desengordurantes, cuja ação varia de acordo com o tipo de pele. O objetivo é remover maquiagem, cosméticos e até mesmo as impurezas decorrentes da poluição e a oleosidade da pele.

- Esfoliação: é feita a aplicação de produtos específicos com efeito abrasivo para promover um afinamento da camada córnea, a camada mais superficial da pele, facilitando a extração de cravos e acnes que não estejam inflamadas."A microesfoliação da pele do rosto, pescoço e colo é feita de forma delicada, com movimentos suaves e circulares", explica a dermatologista Carolina Marçon.

- Extração: Essa é a etapa mais longa da limpeza de pele, e pode durar 30 minutos ou mais, dependendo do estado da pele. Em seguida da esfoliação, a pele é submetida a um vapor com ozônio, que tem como finalidade abrir os poros e dar emoliência para a pele, facilitando a drenagem, sempre manual e cuidadosa dos cravos, espinhas e dos miliuns (bolinhas amareladas com sebo dentro. O tempo de exposição ao vapor com ozônio é de, no máximo, cinco minutos, isso porque, apesar do ozônio ser um gás de excelente efeito bactericida e fungicida, seu excesso pode provocar efeitos tóxicos quando inalado por um tempo prolongado, principalmente em gestantes. Após esse tempo, é aplicado, por mais dez minutos, apenas o vapor de água sobre a pele coberta por uma fina camada de algodão embebido em emoliente

A retirada de cravos e miliuns, deve utilizar técnicas corretas de manipulação.

Os cravos são espremidos com os dedos, mas o profissional nunca aperta a pele diretamente, sempre usa uma gaze médica para fazer a extração. Isso evita machucar a pele e também ajuda a reduzir a dor. Já os miliuns são removidos com a ajuda de uma microagulha, porque é necessário romper a casquinha que recobre o cisto para expelir a bolinha de sebo do seu interior. Durante a limpeza de pele, não é recomendado extrair espinhas, pois isso pode deixar cicatrizes na pele, além de gerar mais inflamação. Além disso, o procedimento não deve ser doloroso. A extração deve ser feita delicadamente e devagar de forma que o paciente sinta-se confortável. "Para pacientes mais sensíveis a dor, pode-se usar anestésico tópico previamente, mas geralmente isso não se faz necessário", explica a dermatologista Carolina Marçon.

Após a extração, é utilizado um aparelho de alta frequência para cicatrizar e atuar como anti-inflamatório sobre os pontos da pele que sofreram microlesões.

- Massagem: nessa fase será realizada uma massagem com manobras suaves e metódicas com finalidade terapêutica ou estética, que auxiliam na aplicação de substâncias hidratantes e calmantes. Para a diminuição da vermelhidão, comum logo após a limpeza, também podem ser aplicadas compressas com loções calmantes e águas termais.

- Máscaras: é o procedimento de finalização da limpeza de pele e dura de 10 minutos a 20 minutos. A escolha do tipo de máscara depende do tipo de pele. Normalmente opta-se por máscaras calmantes, à base de azuleno, mentol.

- Filtro solar: a aplicação do protetor solar faz parte da última etapa da limpeza de pele. É aplicado em forma de gel ou loção para não obstruir os poros, sempre com fator de proteção igual ou superior a 30 para garantir que a pele está sendo protegida dos efeitos nocivos dos raios solares, como manchas. Como após a limpeza, a pele estará sensível isso também evitará queimaduras.

Preste atenção:

 "Os produtos utilizados durante a limpeza de pele devem ser de boa procedência, sejam nacionais ou importados, e estar dentro do prazo de validade para que não haja risco de provocar alergias e irritações", recomenda a dermatologista Carolina Marçon, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia. "Produtos manipulados e à base de ácidos ou produtos tópicos com componentes hormonais só podem ser usados com a orientação e supervisão de um médico dermatologista".


Periodicidade da limpeza de pele

O tempo entre uma limpeza e outra vai depender muito do tipo de pele de cada paciente. Peles normais à secas podem repetir a limpeza a cada dois meses. Já a pele mista a oleosa e com presença de cravos exige um cuidado maior, o ideal é fazer uma limpeza de pele por mês e utilizar produtos cosméticos adequados para cada caso. Indivíduos com um grau de acne muito intenso, devem sempre ter a orientação de um dermatologista para um melhor resultado.

Contraindicações da limpeza de pele

Cravos - foto: Getty Images
Cravos

Ao contrário do que muitos pensam, a limpeza é contraindicada para remover espinhas, pois pode deixar cicatrizes, além de gerar mais inflamação e agravar o quadro de acne. A limpeza de pele não é recomendada para peles muito sensíveis, aquelas que ficam vermelhas com facilidade, que sob o sol fazem rubor; as com muita descamação, e que costumam desenvolver alergias e irritações com facilidade. Além das peles com muita espinha.

Também não é recomendado fazer a limpeza em pele bronzeada. Após a exposição prolongada ao sol, a melanina (substância responsável pelo escurecimento da pele) está em plena atividade. Portanto, o contato com alguma substância mais agressiva pode provocar o aparecimento de manchas que vão ficar ainda mais evidentes quando o bronzeado sumir. Cosméticos que tenham ácidos na composição também estão proibidos nesse período. A pele está sensível demais e eles podem causar manchas.  

Cuidados após a limpeza de pele

A pele demora cerca de 48 horas para se recuperar após a limpeza de pele. Alguns cuidados devem ser tomados nesse período e também após.

Recuperação da pele

Todos os procedimentos da limpeza, em especial a extração dos cravos, sensibilizam e irritam a pele. A extração de milium pode inclusive formar casquinhas, porque a pele sofrerá microcortes.  

Cuidados nas primeiras 48 horas

Cuidados com a pele - foto: Getty Images
Cuidados com a pele

Produtos à base de ácidos e despigmentantes ou produtos tópicos com componentes hormonais devem ser receitados somente por médicos e o paciente deve ser orientado quanto ao uso. Está indicado o uso de produtos com propriedades calmantes, como a água termal, e cicatrizantes nos primeiros dois dias após o procedimento. A maquiagem também pode ser utilizada nesse período.

Cuidados diários

Os cuidados diários são essenciais para uma pele bonita e para uma boa manutenção dos resultados da limpeza. "O kit básico de cuidados é composto por um bom gel de limpeza, um tônico e hidratante diurno e noturno para prevenir o envelhecimento", recomenda a dermatologista Carolina Marçon. "É interessante utilizar um esfoliante uma a duas vezes por semana para renovar a pele". Mas atenção: o uso de esfoliante está liberado apenas após sete dias da limpeza de pele.

Exposição ao sol

O ideal é ficar 48 horas sem se expor ao sol. Além disso, aplicar filtro solar com, no mínimo, FPS 30, é essencial.

Uso de cosméticos e maquiagem

O uso de ácidos deve ser evitado logo após a limpeza de pele se a pessoa tiver a pele muito sensível e vermelha, para que a irritação não piore. A mesma recomendação vale para os cremes oleosos, que podem obstruir os poros. Maquiagem pode ser utilizada normalmente.

Profissionais que podem realizar a limpeza de pele

Na limpeza da pele com acne, a técnica, o cuidado e a habilidade do esteticista devem ser redobrados e a parceria com o dermatologista é de extrema importância para o êxito do tratamento. "Para efetuar esse procedimento o médico deve conhecer a anatomia e a fisiologia da pele, fazer uma avaliação detalhada para estabelecer o tipo de pele e sua adequação aos cosméticos e princípios ativos a serem utilizados", explica Carolina Marçon. Quanto ao esteticista, é de extrema importância dominar a técnica de extração e reconhecer o que pode e o que deve ser manipulado em relação às lesões da pele e como aplicar os cosméticos. Estabelecidas essas condições, pode-se trabalhar a pele do paciente com a segurança necessária, acabando com o mito de que a limpeza estraga a pele e provoca cicatrizes.

Perguntas frequentes

A dermatologista Mônica Fiszbaum conta que algumas dúvidas já se tornaram cativas no consultório e continuam em pauta entre homens e mulheres que procuram orientação profissional antes de entregar o rosto para ser renovado. Veja quais são elas:

Todo mundo deve fazer limpeza de pele?

Não. Pacientes com a pele cheia de espinhas amareladas devem evitar o procedimento. Nessa situação, a infecção pode se disseminar e o tratamento, em vez de ajudar, vai comprometer a saúde cutânea. Nessas situações, o melhor é fazer um tratamento com o dermatologista, esperar as espinhas sumirem e, aí sim, incluir a limpeza na rotina.

Posso fazer limpeza quando estiver bronzeada?

Não é recomendado. Após a exposição prolongada ao sol, a melanina (substância responsável pelo escurecimento da pele) está em plena atividade. Portanto, o contato com alguma substância mais agressiva pode provocar o aparecimento de manchas que vão ficar ainda mais evidentes quando o bronzeado sumir.

Depois de fazer a limpeza, é permitido tomar sol?

Em excesso, não. Saindo da clínica, fique 48 horas sem se expor ao sol. Além disso, aplique filtro solar. Cosméticos que tenham ácidos na composição também estão proibidos. Nesse período a pele está sensível demais e eles podem causar manchas. A mesma recomendação vale para o cremes oleosos, que podem entupir os poros.

Grávidas podem fazer limpeza de pele?

A não ser que a futura mamãe já tenha o hábito incluído no cotidiano, melhor evitar. Mas a explicação para isso tem fundo emocional: os médicos preferem proteger a paciente de qualquer tratamento que possa causar dores ou estresse.

É possível prevenir cravos?

Evitar os pontinhos pretos que insistem em marcar seu rosto é praticamente impossível, afinal não dá para frear a oleosidade natural da pele e, menos ainda, protegê-lo da poluição, os dois fatores que desencadeiam o surgimentos dos cravos. Mas não é por isso que você precisa passar o tempo todo com o rosto prejudicado. Alguns cuidados caseiros são suficientes para remover os pontinhos ainda que, a longo prazo, não substituam uma limpeza de pele. Tônicos e produtos adstringentes oferecem ótimos resultados, assim como sabonetes de ação profunda. Só tome cuidado para não usar produtos inadequados para o seu tipo de pele. Eles podem ressecar demais o rosto, levando o organismo a produzir ainda mais sebo e, consequentemente, favorecendo o aparecimento dos cravos e até de espinhas. No caso das mulheres, dormir maquiada também é fatal: os cosméticos entopem os poros, e o rosto rapidamente enche-se de pontos pretos.

Peeling ou limpeza de pele?

O peeling é um procedimento que pode ser utilizado para o tratamento de acne e controle da oleosidade da pele, mas é completamente diferente da limpeza de pele. O peeling químico consiste na aplicação tópica de determinadas substâncias químicas capazes de provocar reações que vão desde uma leve descamação até remoção da pele em diferentes graus. Isso significa que haverá descamação e troca da pele. Nestes procedimentos, podem ser utilizados diversos tipos de ácidos de acordo com o resultado que se deseja obter e com a profundidade que se deseja atingir.

O peeling deve ser indicado e realizados pelo médico. Somente o especialista é capaz de escolher o melhor produto na concentração adequada e também dominar os efeitos colaterais que possam estar envolvidos. Mesmo no caso dos peelings superficiais é importante avaliar a capacidade de resposta e a cicatrização da pele, além das relações custo - benefício do procedimento em questão.

Fontes consultadas:

Dermatologista Carolina Marçon (CRM: 113379), membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Dermatologista Mônica Fiszbaum (CRM: 53.387), membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

links patrocinados
Este conteúdo ajudou você?
Sim Não