Ácido hialurônico: conheça a substância que combate o envelhecimento da pele

A substância pode ser aplicada ou usada em cremes e ajuda a hidratar e rejuvenescer a pele

O que é o ácido hialurônico

O ácido hialurônico é uma substância naturalmente presente no organismo humano, uma molécula de açúcar que atrai a água e pode atuar como um lubrificante e absorver choques em partes móveis do corpo como as articulações. Do ácido hialurônico no nosso corpo, 56% dele está na pele, onde ele atua preenchendo o espaço entre as células, o que a mantém lisa, elástica e bem hidratada. Porém, com o tempo, sua concentração na pele diminui, o que causa o aparecimento de rugas e também seu ressecamento. 

Desde 1996, no entanto, começou-se a usar o ácido hialurônico animal na pele para tratar as rugas e recuperar o antigo viço. Hoje, ele pode ser de origem animal (vindo da crista do galo) ou por biotecnologia (através da fermentação bacteriana). Independente da fonte, o ácido hialurônico é submetido a uma série de procedimentos químicos visando à obtenção do produto final, o hialuronato de sódio, com a menor concentração possível de proteínas (quer sejam de origem animal ou bacteriana) ou ainda de endotoxinas bacterianas. Ao final do processo de purificação é obtido o produto final na forma de gel purificado, que pode ser aplicado diretamente na pele ou fazer parte da composição de cosméticos. 

Indicações do ácido hialurônico

O ácido hialurônico é indicado principalmente para melhorar o viço da pele, suavizando rugas e outras marcas da idade. Quando usado de forma injetável, ele pode ser usado no contorno de face, lábios (contorno e volume), sulcos naso-labiais, sulco naso-jugal (olheiras), rugas faciais, e para repor volume em face, mãos e algumas regiões corporais. 

Além disso, uma outra técnica em que o ácido hialurônico é usado é a volumização do rosto, sendo aplicado na região dos malares, mandíbula e nas laterais do rosto. Isso é indicado principalmente com o passar dos anos, pois em algumas partes do rosto o tecido subcutâneo é perdido com a idade. Nesse método, ele pode ser aplicado com microcânulas, o que traz mais conforto e segurança para a aplicação, e também é usada uma anestesia local. 

Como usar o ácido hialurônico

O ácido hialurônico pode ser encontrado em forma de cremes tópicos ou injetável. No último caso, a aplicação deve ser feita por um especialista (dermatologista ou cirurgião plástico). 


Hoje o ácido hialurônico é uma das substâncias mais usadas em preenchimentos, pois um implante reabsorvível, biocompatível e não há relato de hipersensibilidade. É também um dos pilares do rejuvenescimento por hidratar o local de forma intensa. 


Por fim, o ácido hialurônico também pode ser usado para melhorar processos ortopédicos e/ou reumatológicos articulares e na oftalmologia, no chamado humor vítreo, que contribui na forma esférica dos olhos. 


Cuidados antes de usar o ácido hialurônico

Antes de indicar o tratamento, deve-se fazer anamnese e exame clínico do paciente para descartar possíveis contraindicações ao tratamento. Evitar bebidas alcoólicas em doses exageradas na véspera. O ácido noturno deve ser descontinuado um dia antes e no dia no procedimento. Medicamentos anticoagulantes como Ácido Acetilsalicílico, ginko biloba, entre outros, devem ser evitados na semana anterior ao procedimento. O filtro solar deve ser mantido em caráter rigoroso antes e depois do procedimento 

Cuidados depois de usar o ácido hialurônico

Alguns estudos científicos recomendam fazer massagem no local com a ponta dos dedos por de dois a três dias, mas caso haja hematomas, massagear se torna contraindicado. O ideal é não se expor ao sol, principalmente se os roxos se formarem, e pode-se usar gelo no local nas primeiras 24 horas. 

Contraindicações

A aplicação do ácido hialurônico não deve ser feita em indivíduos com hipersensibilidade conhecida ao composto. Também é contraindicada em pessoas com problemas com a coagulação. Não deve ser aplicado dentro ou perto de áreas em que haja doença ativa de pele, inflamações ou feridas. Não deve ser injetado em uma área onde um implante permanente tem sido colocado. 

Grávida pode usar?

Não há contraindicação quanto aos cremes que contém ácido hialurônico em sua composição. Quando falamos na aplicação da substância, não existem estudos indicando se é seguro ou não para gestantes e lactantes. No primeiro trimestre da gravidez este uso está proibido, mas depois disso não existe uma contraindicação absoluta. Como geralmente se trata estético, o mesmo só pode ser feito após autorização do obstetra responsável. 

Possíveis riscos

O uso de cremes com ácido hialurônico em sua composição não traz riscos, se for usado conforme a orientação de cada fabrincante. Já a aplicação da substância diretamente na pele pode trazer problemas quando o procedimento é mal feito ou o produto é de qualidade duvidosa. Por isso é importante fazer o procedimento em local confiável. 

É comum que algumas reações adversas apareçam após a aplicação, como eritema transitório, edema, dor, prurido, contusões, descoloração ou sensibilidade no local da injeção. Normalmente a resolução é espontânea, dentro de um ou dois dias após a aplicação. 

Antes e depois do ácido hialurônico

O resultado ao aplicar o ácido hialurônico na pele é o de suavizar as rugas, dando naturalidade à face, além de remodelar o rosto, evidenciando seus ângulos e respeitando os pontos de iluminação da pele. Nesses aspectos, o método é um dos mais eficientes. 

Alie ácido hialurônico com...

Alimentação balanceada A alimentação também influencia na saúde da pele, e em sua aparência. Prefira gorduras insaturadas, provenientes de alimentos como azeite e peixes, e evite gorduras saturadas, como as presentes nos doces e frituras. 

Parar de fumar Mulheres que fumam tendem a ter mais problemas após qualquer tipo de procedimento, inclusive preenchimento com acido hialurônico. Além disso, o cigarro está associado ao envelhecimento, pois libera diversas substâncias nocivas que aumentam a formação de radicais livres, o que ocasiona maior e mais precoce formação de rugas. 

Fontes
Dermatologista Valeria Campos (CRM-SP 73176) membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia
Dermatologista Luciana Lourenço (CRM-SP 82887), dermatologista pela Sociedade Brasileira de Dermatologia
Dermatologista Daniela Landim (CRM: 106025), pós graduada em medicina estética 

links patrocinados
Este conteúdo ajudou você?
Sim Não