Ácido retinoico: conheça os prós e contras desse tratamento para estrias e envelhecimento da pele

O ácido pode ser usado em cremes ou peelings, e trata o envelhecimento causado pela exposição solar

O que é o ácido retinoico

O ácido retinoico é uma substância derivada da vitamina A e um dos compostos mais estudados para tratamento tópico do envelhecimento da pele, seja o intrínseco, ou determinado geneticamente, seja o envelhecimento extrínseco, ou causado pela exposição solar. Uma avaliação recente da Cochrane revelou que, das opções médicas para o tratamento da pele fotoenvelhecida, os retinóides são das poucas substâncias com incontestável eficácia, por atuarem através de ligação a receptores nucleares específicos nas células da pele, e assim exercerem suas funções terapêuticas.

Outros nomes

Tretinoina, retinol

Indicações do ácido retinoico

O ácido retinoico é indicado, principalmente, no tratamento dos sinais do fotoenvelhecimento, que incluem: rugas finas, hiperpigmentação, manchas, sardas, aspereza, e irregularidades na textura pele. A radiação ultravioleta do sol estimula a produção de substâncias que danificam o colágeno da pele, causando o aparecimento de todos esses sinais, e o ácido retinoico ajuda a repará-lo, além de estimular a produção de colágeno novo.


Além disso, ele também pode ser usado em alguns outros tratamentos. Em altas concentrações o produto melhora muito o aspecto das estrias, principalmente as recentes (vermelhas).


O ácido retinoico é muito usado no tratamento da acne, complementando os demais tratamentos. Apesar de não curar completamente o excesso de oleosidade da pele, ameniza o problema e costuma ter uma ação bastante duradoura, após o tratamento. Nas pessoas com acne, os poros da pele entopem com maior facilidade o que leva à formação dos cravos (comedões) e espinhas. Isso por que ocorre queratinização anormal dos poros, ou seja, um excesso de queratina em suas paredes internas, fechando-os. O ácido retinóico normaliza a queratinização dentro dos poros e impede esse entupimento, evitando o aparecimento de novas lesões de acne. Melhora a textura da pele, o que ajuda também no tratamento das cicatrizes de acne.


É utilizado na forma de cremes, géis, loções, sérum e, quando mais concentrado, aplicado na forma de peeling, muitas vezes seriados, ou seja, aplicados uma vez por semana, pelo dermatologista no consultório.


O peeling químico com ácido retinóico também é indicado para tratamento de manchas, como o melasma, em concentrações entre 5% e 10%. Em geral, é feita uma aplicação semanal, durante cinco semanas, com aumento progressivo da concentração, a cada semana. Ele é usado no controle da acne, oleosidade, melhora de rugas finas, melasma e outras manchas escuras da pele.


Como usar o ácido retinoico

O ácido retinoico é usado principalmente em cremes, e sua dosagem depende da indicação do dermatologista, dependendo da extensão do problema.

O mais indicado é aplicar uma vez por dia, durante a noite, após a lavagem do rosto. Deve-se usar a quantidade de creme correspondente a uma ervilha para cada parte do rosto: testa e parte superior do rosto, queixo e cada uma das bochechas. Após 20 minutos da aplicação, o ideal é hidratar a pele.

Em algumas situações a pele pode ficar irritada, com descamação, vermelhidão, coceira ou ardência, até porque algumas pessoas são incapazes de tolerar aplicações mais frequentes do que duas ou três vezes por semana. Caso isso ocorra, o ideal é interromper o tratamento por dois dias, aplicar hidratante e reiniciar o tratamento com pequenas quantidades de creme em dias alternados. Se, pelo contrário, você não apresenta ou irritação, o ideal é ir aumentando aos poucos a quantidade, conforme a tolerância da sua pele.

Como o produto deixa a pele mais sensível ao sol, o ideal é usar protetor solar com fator de proteção solar (FPS) de 30 ou mais quando sair ao ar livre.

Após 6 a 9 meses de uso diário, a frequência da aplicação do retinoide tópico pode ser reduzida para dias alternados. Parece não haver nenhum limite para a duração do tratamento, no entanto, o uso prolongado pode levar ao aparecimento de vasinhos na pele e, portanto, o tratamento deve ser sempre acompanhado pelo dermatologista.

Peeling
O peeling é uma espécie de base contendo o ácido retinóico que deve ficar na pele por aproximadamente seis horas e depois retirada com água e sabão ou uma loção de limpeza. Após alguns dois ou três dias se inicia uma descamação clara e suave na pele, que dura aproximadamente três dias.

Cuidados antes de usar o ácido retinoico

Em primeiro lugar, o ácido retinoico não pode ser usado sem prescrição médica, pois o especialista é que saberá qual a concentração mais adequada do ácido no produto.

Antes de fazer o peeling, o ideal é que a pele esteja limpa e desengordurada. O mesmo vale para o creme, que deve ser utilizado depois da lavagem do rosto, mas com ele seco, para melhorar a absorção do produto.

Cuidados depois de usar o ácido retinoico

O ácido retinoico torna a pele mais sensível, portanto após seu uso, o ideal é não expor a pele ao sol sem a proteção adequada, ou isso pode causar forte irritação na pele com descamação, vermelhidão e até mesmo o surgimento de manchas.

Contraindicações

Qualquer produto com ácido retinoico não deve ser aplicado sobre a pele inflamada, eczematosa ou com queimaduras de sol.

O uso do ácido retinoico é contraindicado para que tem infecções ativas na pele, como herpes simples ou infecções bacterianas e deve ser evitado em portadores de rosácea. Além disso, o ideal é que não seja feito por pessoas que necessariamente se expõem ao sol, seja por praticarem esportes, viajarem ou por trabalharem ao ar livre.

Grávida pode usar?

O ácido retinoico pode afetar a formação do feto, por isso a substância é totalmente proibida na gestação. Na amamentação, é possível usá-lo, mas prefere-se que seja após o bebê completar seis meses, pois já terá um peso maior e absorverá menos as substâncias presentes no leite materno.

Muitas pessoas tem uma pele que tolera pouco o ácido retinoico. Como ele costuma deixar a pele muito sensível, ela pode ficar irritada, com descamação, vermelhidão, coceira ou ardência. Caso isso ocorra, o ideal é interromper o tratamento por dois dias, aplicar hidratante e reiniciar o tratamento com pequenas quantidades de creme em dias alternados.

Muitas vezes a pessoa pode desenvolver uma dermatite retinoide, quando o creme tem concentrações exageradas do retinol. Nesse caso, o ideal é suspender o uso e procurar novamente seu dermatologista, que irá ajudar a encontrar a dose adequada.

Antes e depois do ácido retinoico

Ao usar o ácido retinoico para fotoenvelhecimento, começa-se a perceber melhora nas rugas no primeiro mês de tratamento ou até mesmo duas semanas após o início de seu uso. O claramento da pele se torna visível a partir de mais ou menos 45 dias. As rugas começam a realmente desaparecer dentro de quatro meses, e nesse período o clareamento de manchas também se inicia.

Em geral, se não houver nenhum sinal de melhora em quatro meses, o ideal é deixar o tratamento de lado, pois é menos provável que ele traga benefícios.

Fontes
Revisado pela dermatologista Natalia Cymrot (CRM-SP 84.332), mestre em dermatologia pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo
Dermatologista Carolina Marçon (CRM-SP: 113.379), membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD)

Este conteúdo ajudou você?
Sim Não