Mentoplastia: conheça os prós e contras da cirurgia plástica do queixo

Ela pode ser feita para aumentar ou reduzir essa região do rosto e muitas vezes é aliada à rinoplastia

O que é a mentoplastia

A mentoplastia é o nome da cirurgia realizada para tratar a forma do mento, isto é, o queixo dos pacientes (parte que envolve mandíbula, pescoço e o um terço inferior da face) seja para aumentá-lo ou diminuí-lo.

As mentoplastia de aumento são muito mais comuns que as de redução, até porque o procedimento que envolve a segunda é muito mais complexo. Pode ocorrer a avanço ou retração da mandíbula ou avanço ósseo apenas do osso do queixo. Mas é uma cirurgia bem mais complicada com indicação que vai além da estética.

Outros nomes

Cirurgia do queixo, cirurgia do contorno cervical, genioplastia

Indicações da mentoplastia

A mentoplastia é utilizada para correção das mais diversas deformidades funcionais ou estéticas. A indicação do procedimento adequado para corrigir uma deformidade do mento é baseada no tipo e na extensão da deformidade, podendo este ser considerado proeminente (macrogenia), deficiente (microgenia) ou assimétrico. Ainda pode ser indicada para auxiliar no tratamento da apneia obstrutiva.


Critérios para o novo queixo

A mentoplastia deve ser feita analisando o rosto como um todo, para que o resultado final seja mais harmônico com o conjunto. Primeiro deve-se observar como e a forma da mandíbula. É realizada uma análise facial que identifica o perfil de um paciente com desarmonia facial. É imperativo determinar se o que ocorre é uma deformidade de oclusão e/ou esquelética ou se o mento encontra-se apenas projetado ou retraído. Então, a partir dessa análise será determinada o que necessitará para um queixo mais harmônico com o restante da face.

Normalmente, quando ocorre um desenvolvimento ósseo levemente menor do que o esperado, é necessário uma inclusão de uma prótese no queixo, infiltração com gordura ou pmma, dependendo de cada caso. Muito importante também e o contorno da mandíbula. Muitas vezes ocorre adiposidade no pescoço e flacidez do músculo platisma. Nestes casos a lipoaspiração ou ate mesmo uma cervicoplastia e muito bem vinda para definir bem a mandíbula, principalmente no angulo lateral.

Associação com a rinoplastia
Há uma relação direta entre o nariz e o queixo na harmonia do rosto. Portanto, algumas vezes é necessário aliar estes dois procedimentos para que o paciente tenha um resultado mais satisfatório, pois quando ambos a mentoplastia e a riniplastia são indicadas e uma não é feita, haverá a sensação de que algo ainda não está correto. Essa associação é tão comum que merece até uma nomenclatura própria: perfiloplastia.

Quem é o profissional apto a realizar a mentoplastia?

O mais indicado é que a lipoaspiração seja realizada com um cirurgião plástico, profissional treinado a fazer este procedimento.

Pré-requisitos para fazer a cirurgia

Como qualquer cirurgia, é importante ter indicação clinica. Além disso, deve ser possível ter melhora efetiva do contorno mandibular-cervical. Boas condições de saúde para a intervenção também é fundamental.

Pré-operatório da mentoplastia

O pré-operatório passa por uma análise facial, como já citado, bem como uma história médica e odontológica completas. Na análise facial, a face é dividida em três partes, com a boca e o queixo ficam no terço inferior. O cirurgião necessita comparar as proporções em cada terço, a fim de determinar o procedimento mais adequado para restabelecer o equilíbrio. O paciente irá ser fotografado de vários ângulos para documentar a condição do queixo antes da cirurgia. O tratamento ortodôntico muitas vezes deve ser feito antes da mentoplastia. Isso porque os dentes influenciam a posição dos lábios e estes determinam a estética do perfil, por isso é essencial corrigir as más posições dentárias.

Como é feita a mentoplastia

Alguns cirurgiões gostam de iniciar esse procedimento com uma lipoaspiração do pescoço, o que define melhor o contorno mandibular e faz com que seus ângulos ficam mais visíveis. Depois, na mentoplastia de aumento, é colocado um implante ou um novo osso, que pode ser posicionado tanto através de uma incisão na parte inferior do queixo, quanto por dentro da boca.

Quando utilizado implante, cria-se o que os cirurgiões chamam de "loja", para inclusão da mesma. Esse implante pode ser de silicone ou mesmo enxerto de gordura. Já quando há um reposicionamento do osso (seja para aumento ou redução do queixo), ele precisa ser serrado e reposicionado, depois é fixado com placas e parafusos na nova posição desejada. Ou seja, é um procedimento bem mais invasivo.

Não existe obrigatoriedade quanto ao tipo de anestesia para esse procedimento, mas pode ser aconselhado que se use anestesia local associada com sedação quando vai se proceder apenas a mentoplastia. Quando serão associadas outras cirurgias, pode-se optar pela anestesia geral. Entretanto, isso deve ser uma combinação entre o cirurgião e o paciente.

Duração da cirurgia

Quando se opta pela inclusão de implante para aumentar o mento, a cirurgia dura em cerca de uma hora. Se é feito avanço ósseo, o procedimento tem uma duração maior, entre 90 e 120 minutos.

Pós-operatório

A alta é dada no mesmo dia. Quando um implante é colocado, a prótese é mantida imobilizada por cerca de uma semana. Caso tenha sido feita uma lipoaspiração do pescoço em conjunto, ele também fica protegido por uma faixa. Na primeira semana procure não fazer esforço e evite movimentos bruscos no local. A retirada dos pontos, o curativo e uma avaliação pós-operatória é realizada em torno de uma semana depois da cirurgia. Prescreve-se medicação analgésica e antibiótico para reduzir o risco de infecção.

O período de reabilitação após a mentoplastia pode levar várias semanas. Os primeiros 10 a 14 dias são caracterizado pelo edema, ou seja, o inchaço da região. Após esse período os pacientes retornam as suas atividades laborais. Pode ocorrer dormência do lábio e queixo, mesmo que temporário. Ainda se faz necessária cabeceira elevada e evitar dormir deitado de lado. Como em outros procedimentos cirúrgicos, deve-se evitar a exposição solar enquanto houver hematomas, exercícios físicos, bem como suspender o tabagismo já no pré-operatório.

No início do período de recuperação é preferível optar por diet líquida, progredindo, gradualmente, para alimentos mais macios e, normalmente, ao final de uma semana, libera-se a ingestão de alimentos normais. A higiene oral é importante ser reforçada com soluções antissépticas, principalmente caso a incisão tenha sido feita intraoral.

Por um mês é indicado fazer drenagem linfática no pescoço três vezes na semana. Em dois a três meses, o edema irá desaparecer e em seguida, o resultado final vai ser notado.

Possíveis complicações da mentoplastia

Como qualquer cirurgia, complicações como infecção, hemorragia e alergias à anestesia podem ocorrer. Os riscos de inserção de um implante de queixo incluem: a deformidade do queixo; lesão do nervo mentoniano, levando à perda de sensibilidade ou paralisia dos músculos do queixo; erosão óssea abaixo do implante; alteração posicional do implante e extrusão do implante. Já os riscos específicos associados à mentoplastia por deslizamento ósseo incluem: sub ou supercorreção do defeito; falha do segmento de osso a "cicatrizar" adequadamente com as outras partes da mandíbula; danos nas raízes dos dentes e hematoma.

Antes e depois da mentoplastia

A mentoplastia, quando bem indicada e executada, torna possível melhorar a aparência e a harmonia facial. A forma do queixo tem uma influência notável sobre a aparência geral da face e do pescoço. Melhorar a forma do queixo pode ter efeitos positivos em outras áreas devido à harmonia facial que será proporcionada.

Fontes
Cirurgião plástico e cosmiatra Márcio Castan (CRM-RS 27.261), membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP)
Cirurgião plástico André Eyler (CRM-RJ: 667.862), membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica e Sociedade Americana de Cirurgia Plástica
Cirurgião plástico Edmar da Fontoura Lopes (CRM 229.730), membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, do Colégio Brasileiro de Cirurgiões e da International Society of Aesthetic Plastic

Este conteúdo ajudou você?
Sim Não