Termoterapia: conheça os prós e contras do tratamento para celulite

O termo engloba tratamentos que usam calor, como mantas térmicas e radiofrequência

O que é termoterapia

Termoterapia é todo processo que usa a mudança de temperatura dos tecidos do corpo para realizar algum tratamento, seja estético ou terapêutico. Na estética, ele normalmente envolve os tratamentos de calor, que é aplicado com o objetivo induzir as enzimas e ativos de produtos para que penetrem mais rápido no organismo. A radiofrequência é um tipo de termoterapia, mas ela também pode ser feita com mantas térmicas também.

Tratamentos que usam a temperatura mais baixa são chamados de crioterapia.

Outros nomes

Terapia com manta térmica

Indicações da termoterapia

A termoterapia pode ter diversas indicações. Quando feita com a manta térmica, ela normalmente atua promovendo a sudorese, o que é benéfico para a retenção de líquidos e também para a eliminação das toxinas do corpo. Mas, de modo geral, o calor é usado para facilitar a entrada no corpo de cosméticos ou enzimas aplicadas na pele, portanto os benefícios vão variar de acordo com o objetivo dos ativos, que podem ser para combater celulite, promover redução de medidas, entre outras finalidades. O calor pode também ajudar a quebra das gorduras, mas não é um tratamento tão eficiente nesse aspecto.


Já a radiofrequência é indicada para tratar flacidez, celulite e rugas principalmente, assim como acne e estrias.


A termoterapia com manta térmica é benéfica para quem sobre com artrite, artrose, reumatismo.


Como é feita a termoterapia

Ela pode ser feita tanto com a aplicação de mantas térmicas, quanto com a radiofrequência.

No primeiro tratamento, a pele é higienizada e esfoliada para tirar camadas de impurezas. Depois disso aplica-se um gel com enzimas para quebrar gordura e colocamos o filme plástico para fazer uma oclusão (abafar). Em seguida vem a manta térmica.

São usadas mantas que atingem a temperatura máxima de 40 graus Celsius, que funcionam à energia elétrica e são compostas de eletrodos que dissipam o calor. E quanto maior a quantidade de gordura localizada na região da aplicação, maior a temperatura aplicada, para que o calor seja capaz de penetrar em todas as camadas de gordura. Pode ser usada uma manta que cobre o corpo todo, ou mantas menores, que são colocadas em regiões como pernas, flancos, coxas, braços, abdômen, bumbum e culote.

O infravermelho pode ser usado em associação a esse tratamento, principalmente em regiões com mais gordura, pois ajuda na penetração do calor e dos ativos.

Já a radiofrequência é feita primeiro higienizando a área da pele em que ela será feita com água e sabonete ou óleo de limpeza. Em seguida será aplicada vaselina na área a ser tratada caso seja parte do corpo ou gel de condução quando a área de tratamento for facial. Através dos aplicadores posicionados na pele, são realizados disparos de radiofrequência no local tratado. Após se retira o material aplicado e termina a sessão.

A técnica não é invasiva e causa efeitos apenas na área de tratamento. O objetivo de cada sessão é elevar a temperatura da pele e do tecido subcutâneo até 39°C a 42°C e mantê-la por um período de 14 minutos. Após o tratamento é retirado o gel ou a vaselina da pele.

Sessões

Sessões de termoterapia com manta térmica para desintoxicar normalmente são feitos uma vez por semana, processo que demora até três sessões. Já os tratamentos localizados podem ser feitos de uma a duas vezes por semana até atingir o resultado esperado. Cada sessão demora uma hora e 20 minutos e a manutenção mensal pode ser necessária.

Já na radiofrequência é feita entre três e 10 sessões, de acordo com o grau de flacidez e a área tratada. A aplicação dura de 20 a 40 minutos e pode ser feita manutenção anual.

Profissionais que podem fazer

A termoterapia com mantas térmicas pode ser feita por profissionais da área de saúde, como esteticistas, fisioterapeutas e dermatologistas. Já a radiofrequência deve ser feita apenas por dermatologistas e fisioterapeutas treinados.

Cuidados antes da termoterapia

Antes de qualquer sessão de termoterapia (seja com manta térmica ou uso de radiofrequência) é necessário que o paciente se preocupe apenas a limpeza adequada da pele.

Cuidados após a termoterapia

Após a sessão com mantas térmicas, recomenda-se que pessoa beba bastante líquido para repor o que foi perdido de forma saudável. Mas o ideal é que a pessoa escolha entre água e sucos leves sem açúcar.

Já após a radiofrequência, é preciso ter um cuidado especial com a proteção solar e com a vermelhidão, inchaço e leve urticária causada após o processo.

Contraindicações

O tratamento com manta térmica é contraindicado para tem pressão alta e trombose, pois aumenta atividade sanguínea.

Já no tratamento com radiofrequência, são contraindicações: qualquer doença de pele na área tratada, uso de marca-passo, desfibrilador, ou qualquer implante eletrônico contraindica o tratamento com radiofrequência. Coagulopatias, sangramento excessivo ou hematomas, histórico de trombose profunda e uso de medicamentos como anticoagulantes e corticoides de modo contínuo e uso de isotretinoína nos últimos seis meses também impedem o método. Pessoas com tumores malignos ativos ou recentes, doenças da tireoide descontrolada, qualquer histórico de doenças estimuladas pelo calor, como a herpes, no local a ser tratado, desordem endócrina, como diabetes;e HIV também não podem passar por sessões de radiofrequência.

O tratamento com radiofrequência não deve ser feito em regiões com implantes sintéticos, sobre tatuagens ou maquiagem definitiva. Após aplicação de botox, é necessário aguardar pelo menos quatro dias para fazer a radiofrequência, após preenchimentos e peeling químicos deve-se aguardar duas semanas. Após peeling profundo e procedimentos com laser é necessário esperar um mês.

Grávida pode fazer?

Nenhum dos tratamentos relacionados a termoterapia é indicado para gestantes.

Possíveis complicações da termoterapia

No tratamento com manta térmica, as únicas complicações possíveis são alterações na pressão sanguínea e queimaduras, mas isso só acostuma acontecer se o profissional é despreparado ou quando o histórico de saúde do paciente não é bem pesquisado (no caso de quem tem pressão alta).

Já na radiofrequência, podem ocorrer queimaduras geradas pelo calor emanado pelo aparelho. Para evitar a complicação, é necessário que o aparelho esteja bem calibrado e a técnica seja realizada da maneira correta.

Antes e depois da termoterapia

Após o tratamento completo com as mantas térmicas, os resultados dependem, é claro, do que o paciente estava tratando. Mas pode ser esperado: redução de medidas, desintoxicação da pele, eliminação do líquido retido no organismo, hidratação da pele, melhoria da elasticidade, redução da celulite e da gordura localizada. Porém, o tratamento tem resultados discretos.

Na radiofrequência, espera-se que a pele se mostre mais firme, resultado que começa a ser visto em geral após a terceira sessão. Mas dependem de vários fatores, como idade, local de aplicação, grau de flacidez, número de sessões e manutenção dos resultados obtidos.

Fontes
Dermatologista Alessandra Drummond (CRM: 5289443-5), membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia
Esteticista Simone Gonçalves Garrett, do Club Capelli no Rio de Janeiro

Este conteúdo ajudou você?
Sim Não