"Não conseguia sentir aquele amor incondicional": mãe fala sobre a depressão pós-parto

Após o nascimento do filho, youtuber Naysa Brum começou a sentir tristeza profunda e percebeu que algo estava errado

POR AMANDA CRUZ - PUBLICADO EM 13/12/2016

Uma gestação tranquila e saudável. Assim, foram os nove meses de espera da youtuber carioca Naysa Brum pelo pequeno Arthur. No dia 29 de abril de 2014, ele veio ao mundo e, junto com sua chegada, surgiu também um sentimento totalmente novo para a jovem mãe. "Não conseguia sentir aquele amor incondicional pelo meu filho, que todos falam que sentimos quando o bebê nasce", lembra ela.

PUBLICIDADE

Logo no segundo dia de vida do filho, Naysa percebeu que havia algo errado: "Os primeiros sintomas que tive na depressão pós-parto foram uma tristeza profunda e uma sensação de abandono e, logo em seguida, veio muita irritabilidade e mau humor. O nascimento do meu filho deveria ser um momento alegre, mas eu estava muito triste e sem ânimo. Percebi que aquilo não era normal".

As visitas não eram bem-vindas, muito menos se quisessem ajudar. "Parecia que eu não tinha capacidade de cuidar dele sozinha, mas, ao mesmo tempo, eu não queria ver ninguém. Queria por perto apenas minha mãe e meu filho. Não conseguia ficar perto nem do meu marido", conta.

O nascimento do meu filho deveria ser um momento alegre, mas eu estava muito triste

Foi então que ela começou a pesquisar sobre a depressão pós-parto e se identificou com muitos sintomas. "Parecia que aquele sentimento não passaria nunca. Era assustador", ela conta. Mas, com calma, muita paciência da família e persistência, tudo foi melhorando.

Demorou cerca de um mês até que esse turbilhão de sentimentos ruins passasse naturalmente. Ela não precisou de acompanhamento médico, pois os seus sintomas foram amenizando com os passar dos dias, mas vale ressaltar que a depressão pós-parto pode atingir níveis mais ou menos graves, sendo necessária em grande parte das vezes a ajuda profissional e até o uso de medicamentos.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

"Graças a Deus não sentia vontade de fazer mal ao meu filho ou de ficar longe dele, algo comum de acontecer na depressão pós-parto. Mas é importante ter calma, não se desesperar e nem se culpar pelos seus sentimentos. Tenha em mente que tudo vai passar. E, se necessário, procure sim ajuda profissional", finaliza Naysa.