Descaso dos homens com a saúde pode afetar o sexo

Qualidade da vida sexual está ligada à saúde física e psicológica

ARTIGO DE ESPECIALISTA - PUBLICADO EM 03/08/2010

foto especialista
Érico de Rolvare

Saúde Masculina

Não é novidade para ninguém que os homens são bem menos cuidadosos com a própria saúde do que as mulheres. De acordo com dados do Ministério da Saúde, a cada três pessoas que morrem no Brasil, duas são homens. Doenças do coração são as principais causas de morte ente o sexo masculino.

Esses números levaram o governo federal a criar uma Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem, cujo grande desafio é mudar a cultura masculina em relação à medicina preventiva. Em geral, eles vão pouco ao médico, a menos que já estejam bem doentes. Ignoram consultas preventivas, atrasam a busca por ajuda especializada e sofrem calados antes de tomar uma atitude. 

Isso não quer dizer que o homem seja despreocupado. Pelo contrário. Há assuntos que preocupam, despertam a atenção da classe masculina e geram uma série de dúvidas. Questões ligadas à vida sexual, como ejaculação precoce e dificuldade de ereção estão no topo das preocupações dos homens.

Poucos se dão conta, porém, de que a qualidade da vida sexual está ligada à saúde física e psicológica. Maus hábitos, como sedentarismo e tabagismo, prejudicam a saúde e refletem negativamente na vida sexual. De acordo com Sociedade Brasileira de Urologia, aproximadamente 50% dos homens adultos com mais de 40 anos têm alguma queixa em relação às suas ereções. 

Muitos casos de disfunção erétil, popularmente conhecida como impotência, estão ligados a causas psicológicas. Problemas na circulação do sangue também representam uma causa bastante significativa da falta de ereção. Os problemas circulatórios têm muito a ver com o descaso do homem com a própria saúde. Obesidade, hipertensão e diabetes descontrolados, entre outros, prejudicam o sistema circulatório e o coração, podendo gerar uma série de problemas, incluindo a disfunção erétil.

É preciso estar atento, deixar a timidez de lado na hora de buscar ajuda e, principalmente, seguir as recomendações médicas para uma vida saudável em todas as suas esferas - incluindo a satisfação na vida sexual. Como eu sempre digo: não adianta resolver os sintomas sem buscar as causas do problema. 

Este conteúdo ajudou você?
Sim Não