Nossa saúde depende da qualidade dos nossos pensamentos

Negatividade é capaz de alterar formação das células e gerar doenças

ARTIGO DE ESPECIALISTA - PUBLICADO EM 07/06/2011

Você já parou para pensar quais são os pensamentos negativos que constantemente ocupam a sua mente? O que esses pensamentos querem te dizer? Você tem consciência de como isso atrapalha sua vida, sua saúde e seus relacionamentos? É por esse motivo que um tratamento deve olhar o paciente em todos os seus aspectos: alimentação, funcionamento dos órgãos e, principalmente, emoções e sentimentos.

A vontade de mudar é a chave para o crescimento em todas as áreas da vida, mas, às vezes, mudar dá medo, pois não sabemos o que pode acontecer. O medo paralisa. O novo é o desconhecido e faz com que abandonemos o sonho de mudança para voltar ao comodismo, nossa zona de conforto.

PUBLICIDADE

Eckhart Tolle em seu excelente livro O Poder do Agora diz: "o medo é sempre de alguma coisa que poderá acontecer, não de alguma coisa que está acontecendo neste momento. Você está no aqui agora ao passo que a sua mente está no futuro. Essa situação cria um espaço de angústia".

Você é o que é porque assim o deseja. Se realmente quisesse ser diferente, estaria buscando uma mudança neste exato momento. E é com você que quer mudar que eu gostaria de falar. Aquilo que prende sua atenção determina suas ações. Onde você se encontra hoje é resultado dos pensamentos que estão na sua mente.

Nossas doenças são essas emoções somatizadas nos nossos órgãos de choque. Cuidar dos pensamentos é fundamental, já que eles geram emoções e estas, quando são negativas, geram doenças. Já está comprovado que os pensamentos são capazes de modificar nossas células. Somos co-criadores da nossa realidade e das doenças que podem afetar nossa saúde.

Vamos citar a depressão, por exemplo. Ela gera uma tristeza que não passa, uma sensação de abatimento que vai tomando conta e faz com que corpo e mente não funcionem bem. Não há apetite, o sono é irregular, o intestino muitas vezes não funciona todos os dias, a autoestima vai para o brejo, nada mais dá prazer, falta concentração, sente-se lentidão física e mental, perde-se interesse pelo que se gostava e falta vontade de viver.

Se analisarmos as causas emocionais para esse comportamento vamos encontrar infinitas justificativas: a perda do emprego, a perda de alguém especial, a morte de um familiar, problemas financeiros, traumas de infância, filhos com problemas, frustrações, falta de perspectiva na vida etc.

De acordo com a medicina chinesa, a depressão pertence ao departamento do fígado. É ele quem diz sim ou não ao que pode ou não entrar na corrente sanguínea. Com isso, proporciona um ambiente tranquilo, inclusive para o sistema nervoso.

Rudolf Steiner, pai da Antroposofia, afirma que o fígado é o órgão da vontade. Quando temos vontade e interesse pela vida, nosso meridiano do fígado fica equilibrado, ou seja, vamos conseguir tomar decisões assertivas. Então tome cuidado com o consumo de álcool, pois ele neutraliza justamente as células encarregadas de filtrar as toxinas que vêm do intestino.

Gorduras e excesso de comida também prejudicam o fígado, porque fazem com que ele fique sempre trabalhando. O fígado é um órgão de planejamento e, por isso, precisa de descanso para conseguir filtrar o sangue.

Preocupações, ideias fixas e comportamento obsessivo prejudicam o fígado, gerando raiva, irritação e instabilidade emocional.

Quem fica vermelho de raiva ou está sempre com os olhos vermelhos está com o fígado intoxicado. Já quem costuma ter o rosto avermelhado está com o fígado congestionado.

Através da doença os pacientes aprendem a ser moderados, a ter paciência e a se controlar no que se refere a excesso de bebida, comida e sexo. A pessoa é obrigada a pensar naquilo que seu corpo consegue suportar e no que é veneno para ela. É bom perceber quando se ultrapassa os limites, voando alto demais, com ilusões.

Por esses motivos um tratamento deve trabalhar em todas essas áreas conjuntamente: o equilíbrio da alimentação, o discernimento das emoções, o limite das atitudes e os pensamentos doentios.

Eu utilizo a terapia ortomolecular, a acupuntura e as sessões de análise transpessoal para criar esse suporte. Precisamos do corpo físico, assim como do corpo emocional e do energético, porque eles são nossos instrumentos de relação com o mundo e precisamos estar bem para trocarmos experiências e afetos. É desta maneira também que nos expressamos, adquirimos valores e ganhamos um sentido para nossa vida.

Temos um aminoácido que contribui diretamente para a estabilização do humor: o triptofano. Ele estimula a produção de serotonina, que é calmante, e dá sensação de bem estar. Hoje já foi confirmado que a maior parte da serotonina fica armazenada no nosso intestino. Portanto, seu mau funcionamento vai influenciar seu humor, sua tolerância e sua paciência.

Precisamos citar também o ferro, o magnésio e o potássio, que são minerais importantes para pessoas com quadros de depressão. Quem apresenta deficiência desses nutrientes sofre interferências relacionadas diretamente com o funcionamento do corpo e das emoções.