Causador de muitos transtornos, estresse também está por trás do mau hálito

Ele diminui o volume da saliva e aumenta a produção de substâncias ricas em enxofre, causando o cheiro desagradável

POR REDAÇÃO - PUBLICADO EM 28/05/2008

Ansiedade, correria, preocupação e tempo são palavras determinantes de um dos males do século, o estresse. Causador de diversas reações no organismo, o estresse pode ser um fator decisivo quando o assunto é mau hálito.Na hora da tensão diária da vida moderna, o volume da saliva diminui (hiposalivação) e as substâncias ricas em enxofre aumentam, provocando a halitose, ou mau hálito.

O cheiro desagradável ligado às emoções é resultado de uma perturbação da homeostase orgânica, propriedade auto-reguladora do organismo e que permite manter o estado de equilíbrio do corpo.

Essa perturbação favorece a produção do hormônio ACTH que estimula as glândulas supra-renais, responsáveis por fabricar substâncias que fragilizam os tecidos bucais e aumentam a acidez da saliva , completa o implantodontista Sidnei Goldmann, pós-graduado em estética bucal.

Causada por diversos fatores bucais e não bucais, fisiológicos ou patológicos, a halitose varia com o período do dia e a idade da pessoa. Dentre os fatores bucais (cáries e doenças periodontais), a causa mais comum é a higiene oral

inadequada e conseqüente formação da saburra lingual e placas dentárias.

Com relação as causas extrabucais, as comuns são as doenças do fígado, tabagismo, deficiência de vitamina A e D, perturbações do sistema gastrointestinal, diabetes, intestino preso e estresse.

O mau hálito é um sintoma das alterações no organismo que pela questão da saúde e bem estar social deve ser tratado. O indivíduo com mau hálito não consegue perceber o odor desagradável que exala. No entanto, a pessoa com halitose sofre com o distanciamento do seu grupo social , completa Sidnei Goldmann.





PUBLICIDADE