Sete exames para fazer no seu bebê antes de deixar a maternidade

Teste do pezinho e outros exames fazem diagnóstico precoce e otimizam tratamentos

POR LAURA TAVARES - ATUALIZADO EM 24/06/2015

Cuidados relacionados à prevenção não só livram você de muitas doenças como aumentam as chances de sucesso de um eventual tratamento nos casos em que, pela genética ou fatores ambientais, os cuidados não foram suficientes para afastar um problema de saúde. No caso de um recém-nascido, as precauções começam antes mesmo de deixar a maternidade - quanto mais cedo melhor, porque um diagnóstico preocupante tem mais chances de ser revertido. O teste do pezinho e a tipagem sanguínea são exemplos de exames que ajudam bastante os especialistas a identificarem doenças que exigem reação urgente.

Veja sete exames importantes, ainda que nem sempre obrigatórios ou oferecidos pela rede pública de saúde, que são recomendados para o recém-nascido. A pediatra Rejane Silva Cavalcante, do departamento Científico de Neonatologia da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBD), e o pediatra e neonatologista Jorge Huberman, neonatologista do Hospital Albert Einstein explicam quais são eles e como funcionam.

Teste do pezinho básico

O que diagnostica: fenilcetonúria (deficiência no metabolismo de determinada proteína que pode levar ao retardo mental), hipotireoidismo congênito (deficiência na produção de hormônios da tireoide que pode afetar o desenvolvimento da criança ou levar ao retardo mental), fibrose cística (doença hereditária que pode gerar acúmulo de muco nos pulmões e no pâncreas, podendo levar à morte), hemoglobinopatias (doenças de sangue, como a anemia falciforme)

Quando deve ser feito: 48 horas após o nascimento

Como é feito: por meio da coleta de sangue do calcanhar (pela praticidade) ou da veia do bebê. Ele precisa ter sido amamentado antes do exame, pois o leite materno deixa problemas metabólicos do organismo mais evidentes.

Disponibilidade: obrigatório e realizado gratuitamente pela rede pública de saúde