Entenda os riscos da carência de vitamina A na infância

Ministério da Saúde oferece megadose do nutriente para prevenir doenças futuras

POR CAMILLA ROLIM - PUBLICADO EM 24/08/2012

 Ao longo da campanha para atualizar as carteiras de vacinação, feita durante o mês de agosto, o Ministério da Saúde também investiu em uma frente especial para o Norte, Nordeste e parte do Estado de Minas Gerais: nessas regiões, as crianças de até cinco anos também receberam uma megadose da vitamina A, essencial para o desenvolvimento saudável desta faixa etária. "O Brasil é o país de toda a América com mais casos de deficiência de vitamina, o problema já se tornou caso de saúde pública", afirma o pediatra Sylvio Renan, da MBA Pediatria e Nefrologia. A importância desse nutriente vai desde o aprimoramento da visão (casos graves de deficiência chegam a causar cegueira) até proteção contra doenças e reforço da imunidade. Bebês de 0 a 1 ano de idade devem consumir 375µg diários de vitamina A, enquanto crianças de 1 a 3 anos de idade precisam de 400µg no mesmo período. A dose sobe para 500µg na turma de 4 a 6 anos de idade. Para entender melhor os riscos dessa carência nutricional, veja a galeria a seguir.

Para enxergar melhor

"Células da retina usam a vitamina A para fornecer os ajustes da luminosidade e educar o cérebro quanto à noção de claro e escuro", afirma a nutricionista Simone Freire, especialista em Saúde Pública pela Unifesp. A carência do nutriente, além de afetar o desenvolvimento dessa habilidade (e sujeitar os olhos à exposição luminosa excessiva, prejudicando a visão ao longo dos anos), pode levar ao ressecamento da córnea - nas situações extremas, isso torna a membrana espessa e opaca a ponto de causar cegueira irreversível. Nas crianças até cinco anos, entretanto, dificilmente a dieta consegue oferecer doses suficientes de vitamina A, daí a necessidade de suplementação. 

Este conteúdo ajudou você?
Sim Não