Canções de ninar podem ajudar no desenvolvimento de bebês prematuros

Música suave melhora oxigenação do sangue de crianças, diz estudo

POR REDAÇÃO - PUBLICADO EM 15/04/2013

Historicamente, acredita-se que seja melhor para bebês prematuros a solidão e o silêncio proporcionados por uma incubadora. Um estudo publicado neste dia 15 de abril na versão online de Pediatrics mostra, entretanto, que estímulos musicais podem ajudar no desenvolvimento da criança. A descoberta foi liderada pelo diretor do Centro de Música e Medicina do Beth Israel Hospital, nos Estados Unidos.

Especialistas observaram 272 bebês em 11 diferentes unidades de terapia intensiva neonatal pelo país. Os bebês haviam nascido após 32 semanas de gestação, pelo menos. Todos eram pequenos e apresentavam diferentes características de saúde. Durante três vezes por semana por um período de duas semanas, então, musicoterapeutas estimularam as crianças com diferentes sons sincronizadas aos batimentos cardíacos das crianças e outros sinais vitais, como o ritmo respiratório. Os pais das crianças também participaram da pesquisa ao serem instruídos a cantar tradicionais canções de ninar.

Os resultados mostraram que os bebês expostos a músicas apresentaram respostas positivas em relação à saúde. Dentre as mudanças, pode ser observada melhor oxigenação do sangue, maior extensão do tempo de estado de alerta e diminuição do estresse. As canções escolhidas pelos pais, então, provaram melhorar a alimentação e o ganho de calorias.

Embora não seja possível tirar provas concretas do estudo, os especialistas afirmam que música suave pode ser capaz de contribuir com o desenvolvimento de bebês prematuros. Alarmes, ventiladores e outros sons repetitivos ou altos, por outro lado, podem afetar negativamente a criança.

Cuidados com o bebê prematuro
Agora em casa com uma criança que mais parece de vidro, os pais devem ficar atentos a cada parte da rotina do bebê. Confira os cuidados com o banho e a amamentação do bebê prematuro:

Vínculo com a mãe

Após o nascimento, o bebê prematuro pode precisar passar dias, semanas ou até mesmo meses na UTI neonatal, o que pode prejudicar o vínculo afetivo com os pais. Muitos hospitais oferecem alternativas a esse distanciamento. "Cada vez mais maternidades têm usado o "método canguru" para estimular o contato entre mãe e filho", aponta o pediatra Sylvio. O procedimento é simples e consiste em manter a criança em contato pele a pele no peito do adulto pelo maior período de tempo possível.

Além da ligação com a mãe, o método estimula o sistema sensorial do recém-nascido, eleva a oferta do leite materno - diminuindo os riscos de contrair infecções - e ainda ajuda no controle térmico do bebê. O profissional alerta, entretanto, que a aplicação do método canguru depende da gravidade do caso da criança e apenas um médico poderá autorizá-lo.