Amamentação pode aumentar o QI do bebê, diz estudo

Resultados são percebidos em crianças a partir dos três anos de vida

POR REDAÇÃO - PUBLICADO EM 30/07/2013

As mães podem adicionar mais um item à lista de benefícios que a amamentação proporciona: aumentar o QI das crianças. É o que sugere uma nova pesquisa, liderada por um cientista do Hospital Infantil de Boston (EUA) e publicada online dia 29 de julho no JAMA Pediatrics.

Os estudiosos acompanharam mais de 1.300 crianças com três anos de idade. As mães foram questionadas sobre a amamentação, e se pararam quando o bebê completou seis meses ou 12 meses. Os bebês completaram os testes de inteligência padrão com três anos e depois com sete anos. Segundo os pesquisadores, crianças que foram amamentadas pontuaram mais nesses testes, mesmo levando em conta outros fatores que podem afetar o QI de uma criança, tais como a inteligência da mãe ou ingestão de ômega 3.

Os bebês que eram amamentados durante o primeiro ano de vida ganharam uma média de quatro pontos no seu QI, em comparação com os bebês que não foram amamentados. Essas crianças eram mais capazes de compreender o que os outros estavam dizendo-lhes (linguagem receptiva) aos três anos e tiveram inteligência verbal e não-verbal superior aos sete anos.

De acordo com os autores, os resultados suportam as recomendações nacionais e internacionais para promover o aleitamento materno exclusivo até a idade de seis meses e continuação do aleitamento materno por pelo menos um ano. Eles afirmam que as essas descobertas podem motivar as mulheres a amamentar por períodos mais longos de tempo.

10 benefícios da amamentação para o seu bebê
Desde a confirmação da gravidez, nenhum episódio é capaz de chamar mais atenção do que a saúde do bebê prestes a chegar. Os cuidados necessários para o desenvolvimento da criança despertam o interesse como nenhum outro assunto e a mãe faz de tudo para garantir que o bebê passe os dias longe de infecções e alergias. "Felizmente, a melhor proteção para o bebê está, justamente, nas mãos da mãe: crianças que recebem leite materno como alimento exclusivo nos primeiros seis meses de vida são mais resistentes a infecções, alergias, doenças e até mesmo complicações mais simples, como a cólica e o estresse", afirma o pediatra Sylvio Renan Monteiro de Barros, da Sociedade Brasileira de Pediatria.

A amamentação, de tão importante, tem até semana especial no calendário: o Ministério da Saúde e a Organização Mundial de Saúde (OMS) promovem, em agosto, a Semana Mundial da Amamentação, lembrando o quanto o leite materno pode fazer diferença na vida da criança, estimulando as mães a praticarem esse gesto de amor e esclarecendo as principais dúvidas sobre o tema. Se você quer saber tudo o que seu bebê ganha a cada mamada, veja os benefícios que os especialistas destacam.

Fortalece a imunidade

O leite materno possui um importante papel na imunidade dos bebês, pois contém células de defesa e fatores anti-infecciosos capazes de proteger o organismo do recém-nascido. "As infecções comuns dos primeiros seis meses, como a otite, afetam menos as crianças que são amamentadas", diz a pediatra Natasha Slhessarenko, do Laboratório Pasteur, em Brasília.