Garanta proteção máxima contra doenças perigosas

Conheça todas as vacinas disponíveis nos primeiros anos de vida

POR REDAÇÃO - PUBLICADO EM 22/03/2007

Reduzir a quase zero os riscos de o seu bebê contrair doenças graves. É para isso que servem as muitas vacinas feita ao longo dos dois primeiros anos. Especialmente nos primeiros seis meses iniciais de vida, suas visitas aos postos de saúde serão freqüentes, e o calendário deve ser cumprido à risca.

É um dever de toda mãe (e muito mais fácil e seguro) prevenir as doenças da infância. Existem vacinas consideradas obrigatórias, segundo o Programa Nacional de Imunizações, do Ministério da Saúde. Essas são encontradas nos postos de saúde e campanhas nacionais, e não custam nada. A carteirinha é dada quando o bebê nasce ou ao tomar a primeira dose de vacina da vida. Basta seguir as datas para garantir a proteção do seu filho.

Mas também há vacinas opcionais, que ainda não foram adotadas pelo governo. Geralmente, destinam-se a prevenir doenças mais simples, como catapora e gripe, e podem ser aplicadas em clínicas particulares, pagas à parte, sempre com orientação do pediatra. Em todo caso, fique tranqüila se o pequeno apresentar pequenas reações após ser vacinado. Qualquer vacina pode causar dor e vermelhidão no local de aplicação, ou até mesmo febre baixa nas primeiras 48 horas.A infectologista pediatra Sônia de Faria, do Hospital Infantil Joana de Gusmão, ajudou o Minha Vida a criar um guia especial, com informações sobre quais doenças cada vacina evita, com que idade cada dose deve ser tomada e onde ir para recebê-las.

BCG
Evita formas graves de tuberculose, uma doença dos pulmões que pode levar à morte. Sua dose é única e deve ser tomada poucos dias após o nascimento. A vacina é aplicada preferencialmente na parte superior do braço direito. A cicatrização do local, onde costuma surgir uma pequena ferida, pode levar até três meses e deixa aquela famosa cicatriz que todo brasileiro tem. Vacina obrigatória, é distribuída gratuitamente na própria maternidade ou em postos de saúde públicos.

Contra Febre Amarela
A partir dos 9 meses de idade, a criança pode receber a dose única desta vacina, especialmente se os pais forem viajantes ou se a criança viver nas regiões Norte e Centro-Oeste do Brasil, onde a doença é considerada endêmica. A aplicação se dá por injeção na parte superior do braço, sob a pele. É bom lembrar que esta vacina protege o organismo apenas por dez anos. Após esse período, ela deve ser reaplicada. Pode ser obtida em postos de saúde.

Hepatite B
Entre o nascimento e os seis meses de idade, o bebê deverá receber esta vacina em três doses (veja o calendário). A primeira dose deve ser aplicada antes que se complete 12 horas de vida, ainda na maternidade. É uma vacina, como o nome indica, contra a hepatite B, doença que provoca complicações e inflamação do fígado. Sua aplicação é por via intramuscular, no músculo lateral da coxa do bebê. É uma vacina obrigatória, que foi adotada no calendário oficial de vacinação do Ministério da Saúde há poucos anos. A segunda e a terceira doses podem ser obtida gratuitamente em postos de saúde.

Influenza
Combate o do vírus causador da gripe (também chamada de influenza). É uma vacina injetável, que deve ser aplicada por via subcutânea, na região lateral da perna ou no braço. Pode ser tomada por bebês a partir dos 6 meses de idade. São necessárias duas doses, com intervalo de 30 dias entre elas. Não está disponível em postos de saúde. Cada dose custa, em média, R$ 40,00 em clínicas particulares.

Pneumococo
Protege contra a bactéria pneumococo, responsável por infecções respiratórias, e evitando doenças graves como meningite e pneumonia. O recomendado é que a criança tome três doses, aos 2, 4 e 6 meses de idade, e um reforço entre 12 e 15 meses. dose. A injeção geralmente é aplicada no músculo lateral da coxa. Por enquanto, está disponível apenas em clínicas particulares. Cada dose custa em média R$ 230,00.

Meningococo C
Essa vacina protege contra a meningite meningocócica, uma grave inflamação das membranas que envolvem o cérebro e a medula que pode levar à morte, especialmente na infância. Dependendo do fabricante, devem ser aplicadas duas ou três doses da vacina no primeiro ano de vida, com intervalos de um mês. Entre 12 e 18 meses, repete-se mais uma dose, como reforço. Normalmente, é aplicada no músculo lateral da coxa. Não está entre as vacinas obrigatórias, mas é recomendada pela Sociedade Brasileira de Pediatria devido à gravidade da doença. Os pais que quiserem proteger seus filhos devem procurar uma clínica particular. Cada dose custa, em média, R$ 120,00.

Rotavírus
A vacina protege contra esse vírus, que causa inflamações graves no estômago e intestino. Por ter levado à morte muitas crianças nos últimos anos, recentemente tornou-se obrigatória. Sua aplicação é feita via oral, em duas doses. A primeira deve ser tomada aos 2 meses, outra aos 4 meses de idade. O Brasil é um dos poucos países que disponibiliza esta vacina na rede pública de saúde, gratuitamente.

SRC
Conhecida como Vacina Tríplice Viral, tem função de evitar sarampo, rubéola e caxumba, como indica sua sigla. Uma única dose deve ser aplicada através de injeção na parte superior do braço, aos 12 meses de idade. Está na lista de vacinas obrigatórias, disponível para a população nos postos de saúde. Uma dose de reforço deverá ser tomada aos 4 anos de idade.

Tetravalente (DTP + Hib)
Essa é uma vacina poderosa. Mantém o bebê protegido contra difteria, tétano, coqueluche e infecções como meningite. São necessárias três doses, aplicadas por via intramuscular aos 2, 4 e 6 meses de idade, e uma dose de reforço, que deve ser tomada por volta do 15º mês. Faz parte do calendário de vacinas obrigatórias e pode ser encontrada em qualquer posto de saúde.

A injeção é dada no músculo lateral da coxa do bebê. É possível que depois o pequeno sinta dor no local de aplicação, fique choroso e tenha uma pequena febre, que deve sumir em até 48 horas. Caso as reações sejam muito fortes, a aplicação da segunda dose deverá ser orientada pelo pediatra do bebê. Não é preciso se assustar, pois esta é a vacina que geralmente provoca mais efeitos colaterais.

Varicela
Após completar um ano de idade, recomenda-se que o bebê tome esta vacina, que tem dose única. Ela age contra a varicela, doença mais conhecida como catapora. Ainda não faz parte do calendário básico de vacinação do Ministério da Saúde, mas alguns municípios do país, por iniciativa própria, disponibilizam na rede pública a aplicação desta vacina ligue para o posto de saúde mais próximo para se informar.

Se não for o caso, a vacina pode ser obtida em clínicas particulares, e custa em média R$ 100,00. É aplicada por injeção via subcutânea, normalmente no braço direito. Se seu filho já teve catapora, não é necessário que tome esta vacina, pois ele já está imunizado.



VOP
A Vacina Oral contra a Pólio exige aplicação de três doses entre o 2º e 6º mês, e mais um reforço aos 15 meses, para evitar com eficácia a poliomelite, também chamada paralisia infantil.

Como o próprio nome diz, ela é aplicada via oral, com duas gotinhas cada dose. É obrigatória e deve ser aplicada em postos de saúde. O governo brasileiro promove anualmente uma campanha de vacinação contra a poliomelite. É recomendável que crianças de até 5 anos sejam sempre levadas, mesmo que tenham tomado as doses obrigatórias corretamente.

Anote na agenda!

Ao Nascer
Vacina: BCG-ID
Dose: dose única

Vacina: contra Hepatite B
Primeira dose


1º mês
Vacina: contra Hepatite B
Segunda dose

2º mês
Vacina: tetravalente (DTP + Hib)
Primeira dose

Vacina: VOP (Vacina Oral contra Pólio)
Primeira dose

Vacina: VORH (Vacina Oral de Rotavírus Humano)
Primeira dose

Vacina: Pneumococo*
Primeira dose

3º mês
Vacina: Meningococo C*
Primeira dose

4º mês
Vacina: Vacina tetravalente (DTP + Hib)
Segunda dose

Vacina: VOP (vacina Oral contra Pólio)
Segunda dose

Vacina: VORH (Vacina Oral de Rotavírus Humano)
Segunda dose

Vacina: Pneumococo*
Segunda dose

5º mês
Vacina: Meningococo C*
Segunda dose

6º mês
Vacina: VOP
Terceira dose

Vacina: contra Hepatite B
Terceira dose

Vacina: Influenza*
Primeira dose

Vacina: Pneumococo*
Terceira dose
7º mês
Vacina: Influenza*
Dose: 2ª dose

9º mês
Vacina: Vacina contra febre amarela
Dose: dose inicial

12º mês
Vacina: SRC (tríplice viral)
Dose única

Vacina: Varicela*
Dose única

Vacina: Meningococo C*
Dose: reforço

Vacina: Pneumococo*
Dose: reforço

15º mês
Vacina: VOP (Vacina Oral contra Pólio)
Dose: reforço

Vacina: DTP (Tríplice bacteriana)
Dose: reforço

Até agora, qual a sua maior dificuldade nos cuidados com
seu bebê? Por quê?



PUBLICIDADE