Conheça três tratamentos para quem tem dificuldade de engravidar

Relação sexual programada, inseminação e fertilização in vitro podem ajudar

ARTIGO DE ESPECIALISTA - ATUALIZADO EM 26/02/2016

Dra. Ana Lucia Rocha Beltrame de Mello
Ginecologia e Obstetrícia - CRM 97198/SP
especialista minha vida

Engravidar não é tão fácil assim. A chance por mês de um casal fértil engravidar é ao redor de 25%. Se após uma ano de tentativas não ocorrer gravidez, deve-se procurar um especialista em medicina reprodutiva. Para as mulheres acima de 35 anos, a investigação pode até começar antes, já que a idade tem um papel fundamental na fertilidade da mulher.

Após a realização de alguns exames, basicamente três tipos de tratamentos podem ser propostos de acordo com o problema apresentado: relação sexual programada, inseminação intrauterina e fertilização in vitro.

A duração de todos os tipos de tratamento é exatamente um ciclo menstrual, mas as técnicas utilizadas são diferentes. Na relação sexual programada é realizada somente a indução da ovulação, que consiste na administração de medicamentos para otimizar o processo ovulatório, ou seja, aumentar o número de folículos (bolsas que contem os óvulos) no ciclo menstrual. O controle do crescimento dos folículos é realizado por ultrassom, a fim de que se determine o momento da ovulação. Já a inseminação intrauterina, além de induzir a ovulação na mulher, realiza o preparo do sêmen em laboratório, colocando-o dentro da cavidade uterina, aumentando ainda mais as chances de gravidez.

A fertilização in vitro, por sua vez, é o famoso bebê de proveta: uma técnica de maior complexidade na qual os embriões são formados em laboratório de reprodução humana. Neste processo também há a indução da ovulação, mas os óvulos são captados para que sejam fertilizados no laboratório pela técnica de fertilização in vitro (os óvulos são colocados com os espermatozoides para que haja a fecundação) ou pelo ICSI ( injeção intracitoplasmática de espermatozoides, em que cada espermatozoide é inserido dentro do óvulo).

A coleta dos óvulos é realizada sob sedação em centro cirúrgico e os espermatozoides são obtidos na maioria das vezes por masturbação. Após cerca de três a cinco dias, os embriões são transferidos para a cavidade uterina. Este procedimento é indolor. Um cateter bem fino é introduzido dentro do útero e os embriões são depositados. O número de embriões transferidos dependerá da idade da mulher, da qualidade dos embriões e também do desejo do casal. Após aproximadamente doze dias, pode-se realizar o teste de gravidez.

Todos os processos de reprodução assistida envolvem muita expectativa apesar das chances limitadas de sucesso. Por isso, é importante que seja realizado por profissional experiente e que haja uma boa relação médico-paciente para que o casal se sinta acolhido e seguro neste processo.

Este conteúdo ajudou você?
Sim Não