Seu filho tem língua presa?

Nem toda alteração da fala é decorrente desse problema

Desde que me formei, recebo no consultório a seguinte pergunta por parte dos pais: meu filho não fala direito... será que tem a língua presa?

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

O curioso é que a grande maioria das pessoas usa esse termo para tentar explicar os mais variados tipos de alterações da fala e, na grande maioria, a criança apresenta tudo menos "língua presa", cujo termo correto é encurtamento ou inserção anteriorizada do freio lingual. Este, por sua vez, vem a ser uma prega que temos embaixo da língua.

Qual seriam, então, os casos em que realmente existe uma alteração do freio lingual que irá prejudicar os movimentos da língua necessários à fala e deglutição adequada?

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Vamos lá. O tamanho do freio lingual varia bastante. É sabido que após o desmame o freio tende a "liberar" os movimentos da língua a fim de que ela possa realizar os movimentos mastigatórios adequadamente.

A verdadeira "língua presa" acontece quando os movimentos linguais são diminuídos pela restrição do freio curto.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Na fala, essa restrição dos movimentos da língua pode ser percebida nos fonemas (sons) que necessitam do contato da ponta da língua com a papila (região anterior do palato duro, localizada logo atrás dos dentes incisivos superiores) para sua correta articulação.

Para visualização do freio lingual encurtado, realizamos as seguintes observações:

Nos casos em que existe algum destes problemas associados a alterações de fala, há necessidade inicialmente de uma Frenectomia (corte do freio lingual) a fim de liberar a movimentação. Essa cirurgia é realizada por cirurgiões-dentistas ou por médicos, dependendo do caso.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Após essa intervenção é possível o fonoaudiólogo atuar no sentido de adequar os padrões alterados de fala e de funções orofaciais.