Menina gaúcha é eleita a criança mais bonita do mundo

O concurso de Mini Miss Mundo desperta a polêmica sobre os exageros na vaidade infantil

POR MINHA VIDA - PUBLICADO EM 04/09/2008

Com cinco anos, Natália Stangherlin já acumula uma série de faixas, a mais recente delas foi conquistada no Equador e rendeu o título de Mini Miss Mundo, o primeiro para o Brasil (veja entrevista com a mãe e empresária da Natália, adiante). Maquiagem, cabeleireiro e preocupação com o que vestir fazem parte da rotina da menina, que adora tirar fotos.

Vaidade demais? Para a psicopedagoga Rita Capella, diretora da Escola Fractal-Lugar de Criança, realmente é preciso ter cautela com os exageros. A criança muito focada no campo da beleza deixa de brincar e de vivenciar experiências importantes para esta faixa etária , afirma. E os prejuízos não se restringem á infância, segundo ela. Pensando no futuro, isso também abala emocionalmente, pois essa criança tende a ser um adulto sempre preocupado com as questões da imagem. E não com a própria essência .

A escola é em casa
Para a especialista, o segredo para controlar a preocupação desmedida com a aparência deve vir de casa: é observando os pais que a criança vai descobrir o quanto deve se dedicar aos cuidados com a beleza .

Não é caso de pensar em desleixo: seja na infância ou na fase adulta, qualquer pessoa gosta de se sentir bonita e bem arrumada. Só não vale transformar isso numa obrigação, que exija esforço e consuma o tempo que a criança deveria dedicar à escola ou às brincadeiras.

O normal é o cuidado com a higiene: a criança tem que escovar os dentes, pentear o cabelo. As meninas adoram se sentir bonitas, isso é natural , afirma a psicopedagoga. Transformar isso o único interesse é que traz problemas e precisa ser combatido. Se a criança insistir no foco da vaidade, os pais devem oferecer outras situações que motivem prazer e sempre ressaltar que esse cuidado mais intenso com a aparência é um comportamento de adulto.

Graça de bailarina
No caso das meninas, atividades como o balé ajudam a trabalhar esse lado. A dança trabalha a graciosidade e a leveza de uma maneira positiva, desenvolvendo novas habilidades sensoriais e motoras , afirma Rita Capella. Os concursos de beleza são interessantes, mas é preciso tomar cuidado com a rotina que, algumas vezes, eles impõem às crianças. Se a pequena miss passa a ter um papel social de representar o cargo que ela assumiu, com compromissos, há uma perda quantitativa e qualitativa da infância , afirma Rita.

Os pais precisam oferecer outros estímulos, na opinião da especialista, e deixar claro que a beleza é passageira. Se a criança é fundamentada nestas bases, com o passar do tempo, terá muita dificuldade de se aceitar. E ainda há o risco de ser discriminada pelos coleguinhas, pois essas crianças acabam vivendo para cuidar da sua beleza. Não participam livremente das brincadeiras porque podem ficar descabeladas ou se machucar , afirma. Seu filho pode não se sentir pertencente ao grupo, pois o seu foco é outro: enquanto os outros querem brincar, as pequenas misses só pensam em ficar bonitas.

Olho na turminha
As dificuldades de convívio, aliás, são um alerta imediato e certeiro de que algo vai mal, junto ao desinteresse pelas atividades relativas à faixa etária. A infância é uma fase muito importante, e não deve ser interrompida: a criança desenvolve habilidades que são fundamentais para saber lidar com as outras pessoas; vai aprendendo a reconhecer os próprios sentimentos e admitir as frustrações. É muito importante usar esse tempo para entender o mundo e se conhecer melhor , diz a diretora da Escola Fractal. É improvável que as meninas tenham a maturidade para lidar com todas as frustrações inerentes a um concurso de beleza .

Miss mundo aos 5 anos de idade
A rotina da escola e o tempo para as brincadeiras são a maior preocupação de Daniela, mãe e empresária da primeira brasileira que conquistou o mini miss mundo. Natália acaba de ganhar o título no Equador e, recentemente, tem se desdobrado para atender todos os convites de entrevistas e desfiles. Eu me preocupo muito em respeitar o tempo da Natália, sem descansar ela não dá um sorriso. E olha que os desfiles são a grande paixão da vida da minha filha , afirma Daniela.

Como aconteceu o envolvimento da Natália com esse tipo de concurso?
Foi tudo muito natural. A organizadora do concurso Miss Rio Grande do Sul convidou a Natália, como representante da nossa cidade, Santa Maria. Mas, antes de aceitar, o pai dela e eu perguntamos se ela queria participar. Mas, no fundo, a gente já sabia a resposta: a Natália sempre gostou muito de se arrumar. Ela põe purpurina na maquiagem dela, quer usar as minhas coisas... 

E você deixa que ela use?
Nem sempre. Mas já fomos juntas à dermatologista, porque eu não sabia se a pele da criança suporta os cosméticos adultos. A dermatologista disse que não há problema desde que, depois, a gente lave o rosto (como fazem os adultos). Escolhendo uma marca boa, tudo bem.



Quais são os prêmios desses concursos?
É tudo simbólico: uma faixa, troféu, a coroa e, eventualmente, uma lembrança oferecida por algum patrocinador. Mas as despesas de viagem e hospedagem correm por conta da gente, você se envolve por prazer, mesmo.

A Natália se diverte com os desfiles?
Sim, ela adora. Quando era tempo de inscrição para o Miss Brasil, meu marido perguntou se ela não queria trocar o desfile por uma viagem à Disney. A Natália disse que não na hora, avisando que prefere conhecer os parques quando o irmão dela crescer, assim eles vão poder brincar juntos (o irmão da mini miss chama-se Mateus e tem 3 anos).

A rotina dela na escola fica prejudicada por causa das viagens?
Minha filha está bem adiantada na escola: ela está no fim do primeiro ano. Mas não posso negar, a rotina atrapalha. Ainda bem que as professoras oferecem muito apoio. Quando é preciso perder aula, elas convidam minha filha para a casa delas e dão aula de reforço. Foi uma iniciativa das próprias professoras, que me deixa muito tranqüila, nem penso na idéia de que ela venha a perder um ano. Aos 5 anos, a Natália já lê e escreve tudo, é uma menina muito interessada e inteligente.

E quanto ás brincadeiras, ela tem alguma restrição?
Nenhuma, a Natália brinca de tudo. Ela se suja na terra, usa argila, anda descalça, fica descabelada, pinta o rosto com tinta. Cada coisa no se tempo. Quando ela precisa pintar as unhas para um desfile, por exemplo: a manicure trabalha e ela fica o tempo todo quietinha. Em casa, quando brinca de esmalte, as unhas não duram duas horas pintadas.

Ela vai sempre ao salão de beleza?
Não sempre, porque não precisa. Mas ela gosta deste ritual de beleza, de fazer babyliss, escova, pôr cílios postiços, fazer maquiagem, ela é muito vaidosa. Adora passar cremes, tem os perfumes dela. A única coisa que deixa a Natália irritada é direcionar o jato quente do secador para a raiz, ela reclame e fica de mau humor na hora. Mas é porque isso machuca, mesmo.

Se precisa escolher um presente, ela prefere um brinquedo ou uma roupa?
Nenhum dos dois. Se você quer agradar a Natália, dê tinta, livro, canetinha, massa de modelar. Ela adora essas coisas de escola.

Falando EME Scola, como as coleguinhas lidam com o sucesso da Natália?
Hoje, está tudo bem. A Natália é uma espécie de ídolo na sala, todo mundo quer saber como foram as viagens, os desfiles, querem ver as fotos dela com os famosos. Mas, no começo do ano, tive que conversar com a diretora do colégio. As outras meninas tinham inveja porque a Natália, apesar do uniforme, está sempre muito bem arrumada. Eu faço penteados no cabelo dela, ponho apliques de strass nas roupas, uso polainas, mantas... Ela tem o uniforme customizado e isso estava causando ciúmes. Mas, agora, já está tudo resolvido, as colegas têm orgulho dela e os meninos brincam, dizendo que querem casar com minha filha. Mas ela já tem um escolhido, ele se chama Bruno.

Tanta gente em volta é um problema para ela?
Não, ela adora ser o centro das atenções. Quando viaja, a Natália sempre pensa em comprar lembrancinhas aos amigos. Mandamos fazer um folder, com a foto dela autografada para distribuir na rua entre as pessoas que a reconhecem. Ela é muito sociável, tem facilidade para isso.

Ela tem ciúme do irmão mais novo?
Não, de jeito nenhum. Ela sempre pensa no Mateus. Quando vamos numa loja e ela ganha um presente, pede que compremos outro para o irmão. A Natália reparte tudo o que tem com ele, até um bombom: ela come metade e guarda a outra metade para ele. Outro dia, ouvi quando ela brigou com a babá que tinha dado uma bronca no Mateus. Ela disse que ia me contar tudo e que ninguém deveria gritar com o irmão dela.

Este conteúdo ajudou você?
Sim Não