PUBLICIDADE

Como apresentar a gravidez ao primeiro filho

Ajude seu primogênito a encarar a chegada do irmãozinho numa boa

Durante um bom tempo, ele reinou absoluto. O queridinho da mamãe, do papai, da vovó e assim por diante. A partir de agora, seu filhote será promovido de bebê da casa a irmão mais velho. Será que seu primogênito está pronto para isso? Para evitar ressentimentos e problemas de comportamento depois, é bom começar a cuidar desde já da relação entre os irmãos.

Segundo a psicóloga Vânia Torres, o importante é não adiar a notícia. O melhor é preparar seu filho para a chegada do irmãozinho.

Os pais devem contar ao primeiro filho que em breve a família vai aumentar , afirma. Se eles mostrarem como estão felizes, isso será percebido pelo mais velho de forma positiva, diz. Quem é mãe sabe que as crianças têm antena para problemas.



Se ele notar que alguma coisa está sendo escondida, pode reagir com mais angústia que alegria à notícia. Melhor mesmo é não fazer disso um bicho de sete cabeças. Pode até ser que, no final da gestação ou nos primeiros meses após o parto, seu filho mais velho fique com ciúme e inseguro afinal, as atenções estarão focadas no nenê. É natural que ele sinta medo de perder o carinho dos pais, encare o irmãozinho como concorrente, comece a aprontar e se comportar como bebê para chamar a atenção e até trate mal o recém-nascido.

O segredo para acertar o passo na convivência é não deixar que ele se sinta excluído ou rejeitado. Desde a gestação, procure envolver seu filho, deixando que ele a acompanhe na escolha das roupas, na decoração do quarto ou em um ultra-som. Aproveite todos os momentos para conversar e dar muito carinho, reforçando que os pais continuarão a amá-lo tanto quanto antes.

As crianças se sentem mais seguras quando sabem o que vai acontecer. Portanto, é uma boa idéia explicar como o bebê está se desenvolvendo e o que vai mudar no dia a dia quando ele chegar. Não adianta só fantasiar sobre a parte boa, como ter um companheiro para brincadeiras. Afinal, o bebê não vem crescido e seu filho pode se sentir enganado depois. Seja honesta e conte também dos conflitos que podem surgir, como choros no meio da noite, menos tempo para ir ao parque e brinquedos compartilhados. Assim, você prepara ele para lidar com essas situações.



É claro que o bebê precisa de mais atenção, mas isso não exime os pais de tirar um tempo exclusivo para o irmão mais velho. Ficar só nas atividades e assuntos de bebezinho aborrece a criança e fomenta o ciúme - e o mais velho deve participar da nova rotina.

Isso, mesmo: deve, sim, nem que seja alcançando a fralda para você.
E agradeça sempre a ajuda, porque essa é uma forma de fazer seu filho se sentir incluído e valorizado. Um erro comum dos pais é exigir de uma hora para outra que o filho mais velho deixe de se comportar como criança. Isso não é justo se ele ainda é pequeno. Não é porque ganhou um irmão que perdeu o direito de agir como criança. Ele não tem nem idade, nem maturidade para ser responsável pelo bebê: essa função é dos pais.

Outro problema comum é acabar com a privacidade e o pequeno patrimônio do primogênito, que de um dia para o outro se vê obrigado a dividir não só os pais, mas também o espaço, os brinquedos... Mesmo que não haja um quarto para cada um, respeite o cantinho do seu filho. Funciona muito melhor ensinar a dividir com conversa do que exigir por decreto que ele, que até então era o único, passe a ser generoso e desprendido. Não esqueça: ele é uma criança e precisa se adaptar também. A formula mágica é muito amor e diálogo, ensina a psicóloga.



Até agora, qual a sua maior dificuldade nos cuidados com
seu bebê? Por quê?



NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)