Mãe faz campanha em prol da vacinação após a morte de seu bebê

A australiana Catherine Hughes perdeu seu filho Riley com 32 dias devido às complicações de uma coqueluche

POR REDAÇÃO - PUBLICADO EM 15/01/2016

A vacinação muitas vezes é vista com maus olhos por algumas pessoas, mas pode salvar muitas vidas. A história da família Hughes, da Austrália, é um grande demonstrativo disso. O casal Catherine e Greg já tinham uma filha pequena chamada Olivia quando um novo bebê veio a caminho. Riley nasceu dia 13 de fevereiro de 2015 e a família estava feliz e bem. "Passamos as primeiras semanas de sua vida relaxando em casa, nos adaptando a ser uma família de quatro pessoas e fazendo pequenas caminhadas ao parque ou praia para tomar um ar fresco", contou Catherine ao site Buzzfeed.

Estava tudo bem, até que o pequeno Riley, com três semanas de vida, começou a apresentar muita tosse, aparentando estar resfriado. Os pais o levaram ao médico, que disse que estava tudo bem. No entanto, alguns dias depois ele ficou mais letárgico. Os pais, preocupados, o levaram correndo ao hospital, onde ele foi diagnosticado com coqueluche. Ele foi piorando cada vez mais, até que faleceu em março de 2015, com apenas 32 dias de vida.

Desde então, sai família se lançou em uma campanha para divulgar positivamente a vacinação. Bebês só podem receber a vacina tríplice bacteriana a partir dos dois meses aqui no Brasil e na Austrália, no entanto a vacina do tipo DTPa pode ser dada para as mães sem contraindicação e protege os bebês da mesma forma. "Somos tão afortunados hoje de podermos proteger nossos bebês antes mesmo de eles nascerem. Eu queria ter tido essa oportunidade, pois assim Riley ainda estaria conosco hoje", declarou Catherine ao Buzzfeed.

Para a campanha, o casal lançou um vídeo no facebook mostrado a tosse de seu bebê através da página Light for Riley. Veja o vídeo (em inglês) abaixo:

Campanha do casal Hughes para conscientizar a vacinação na gravidez
Este conteúdo ajudou você?
Sim Não