Minha Vida - Saúde, Alimentação e Bem-Estar

Fuja dos sete erros mais comuns de quem curte correr

Identifique as falhas e melhore o desempenho no treino

Por Minha Vida - atualizado em 29/12/2011


A corrida parece ser um esporte simples, mas, por ser intensa e exigir uma grande quantidade de energia do corpo, ela pode trazer sérias complicações se não for bem programada. Os erros relacionados a essa atividade física são muito comuns. Lesões músculo-esqueléticas, desmaios e cãimbras estão na lista das consequências de um treino mal dosado. Para evitar que você tenha esses incômodos, estipulamos uma série de erros que podem prejudicar seu desempenho e sua saúde. Confira abaixo.

de 7

Médica - foto: Getty Images

Não consultar um profissional

O principal erro é começar a correr de qualquer jeito , afirma o treinador Alexandre Maximiliano. O sedentário que começa, e mesmo o corredor parado que volta, deve passar pelos mesmos procedimentos. Consultar um médico é imprescindível. E passar por uma avaliação com educador físico pode  melhorar os resultados. Além de evitar danos à saúde.

Peso - foto: Getty Images

Não variar o treino

O ganho de condicionamento é resultado da adaptação do corpo ao estresse imposto. Para que exista evolução, é preciso uma contínua carga de estresse e estímulo. Sem variação não há evolução. Quem faz sempre o mesmo treino chega a um nível de condicionamento e ali fica , explica o técnico Renato Dutra. 

Levantando peso - foto: Getty Images

Não encarar os pontos fracos

É humana a preferência por atividade nas quais as pessoas se sentem mais confortáveis. Por isso, não são raros corredores que cabulam os treinos de velocidade porque não se saem bem neles, ou triatletas que por terem na natação sua pior disciplina só encaram a piscina uma vez por semana. É importante praticar a atividade física que você gosta, mas incluir outras atividades na sua rotina de exercícios melhora o desempenho na corrida.

Alongamento - foto: Getty Images

Não ter um objetivo ou ter um inatingível

Sem um objetivo, o entusiasmo para treinar e competir acaba. Não precisa ser uma competição. Pode ser um objetivo estético ou o ganho de saúde , exemplifica a treinadora Cristina de Carvalho. Tem muita gente que começa achando que vai ser igual ao [corredorqueniano] Paul Tergat, mas acaba desestimulada e desiste , diz Alexandre Maximiliano. 

Homem correndo - foto: Getty Images

Treinar e competir excessivamente

A virtude está no meio termo, tudo que é em excesso dura pouco. Treinar muito, sem respeitar os descansos necessários para a recuperação do corpo, pode trazer lesões, overtraining, queda de rendimento e desmotivação. 

Lesão do esporte - foto: Getty Images

Insistir em correr lesionado

Pequenas lesões fazem parte da vida de quem quer superar limites. O problema é não tratá-las corretamente ou voltar aos treinos antes que estejam curadas. O risco é agravar o quadro ou torná-lo crônico. 

Largada - foto: Getty Images

Largar muito forte

Tanto faz se é uma prova ou um treino importante. Quem começa em um ritmo muito forte está arriscado a ficar com os músculos tão cheios de ácido lático que não chegará ao final. 

ver texto completo


Este conteúdo ajudou você? Já ajudou você e + 1254 pessoa(s) Já avaliou

Imprima

Erro

erro

Comente

Compartilhe

Mais sobre:

Shopping Vida Saudável

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

siga o minha vida e melhore sua qualidade de vida

Saiba mais

Copyright 2006/2014 Minha Vida - Todos os direitos reservados

"As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e o acompanhamento de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas."