Caminhada ajuda a combater fadiga decorrente do tratamento do câncer

Exercícios leves como bicicleta e ioga também são recomendados

Um efeito colateral comum do tratamento de um câncer é a fadiga. De acordo com o Instituto Nacional de Câncer dos Estados Unidos, entre 72 e 95% dos pacientes são afetados por esse cansaço extremo que pode resultar na diminuição significativa da qualidade de vida. Entretanto, uma nova análise de 38 estudos descobriu que exercícios leves, como a caminhada, podem ser a solução para indivíduos neste estado. A descoberta foi publicada online no dia 14 de novembro no periódico Cochrane Library.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Para a pesquisa, foi comparado o estado de saúde de mais de 2.600 pessoas com fadiga decorrente do câncer que seguiam ou não um programa de exercícios. A maioria dos participantes eram mulheres vítimas do câncer de mama e as atividades mais praticadas foram caminhada, bicicleta, musculação e ioga. A frequência variou de duas vezes por semana até exercícios diários e em sessões que iam de 10 minutos a duas horas.

Os resultados mostraram que, apesar da tendência natural da pessoa de ficar parada quando está cansada, exercícios se mostraram eficazes no combate à fadiga. Mas os especialistas da University of the West of England, no Reino Unido, alertam que, pela fragilidade dos pacientes, é fundamental ter acompanhamento profissional para respeitar os limites do corpo. Além disso, alguns tipos de câncer afetam a capacidade das células de transportar oxigênio, sendo melhor praticar atividades não aeróbicas.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Como regra geral, os pesquisadores recomendam atividades leves e curtas, como caminhadas de 20 minutos duas vezes ao dia. Além da prática de exercícios, estudos anteriores apontaram que o aconselhamento nutricional e a acupuntura podem ser eficazes no combate à fadiga durante e após o tratamento do câncer.

Dicas de nutrição para pacientes em tratamento do câncer

Cultivar uma dieta balanceada também ajuda na recuperação do paciente em tratamento do câncer. O problema é que essa fase é marcada por enjoos e inapetência, principalmente durante a quimioterapia. Confira dicas para conseguir se alimentar adequadamente mesmo com essas alterações.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Paladar

Com a redução da salivação e a percepção do gosto dos alimentos decorrente do tratamento do câncer, o paciente tem o paladar prejudicado e pode ter menos vontade de comer. Por isso, enxague a boca antes da refeição e inclua ervas naturais nos pratos.

Cardápio

O risco de desnutrição no paciente com câncer é bastante alto, sendo essencial recorrer a um nutricionista qualificado que possa elaborar um cardápio nutritivo. Explique ao profissional as suas preferências para tornar as refeições mais prazerosas.

Suplementação

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

A suplementação é necessária em alguns casos, mas a única pessoa que pode indicar o uso dessas cápsulas é o nutricionista. Realize os exames solicitados na data pedida para identificar os problemas precocemente.

Refeições fracionadas

Para quem não tem fome, é mais fácil comer pouco várias vezes ao dia do que comer muito de uma só vez. Na verdade, fracionar as refeições é uma recomendação geral dos nutricionistas, já que isso mantém o metabolismo sempre funcionando.