Roupa íntima: cuidados na lavagem e escolha do tecido protegem área de doenças

Alergias e até corrimento podem ser prevenidos com bons hábitos

POR CAROLINA SERPEJANTE - ATUALIZADO EM 26/02/2016

Bons hábitos de higiene são fundamentais para a saúde do corpo inteiro, principalmente da região íntima, já que um simples descuido pode aumentar o risco de proliferação de bactérias, infecções e doenças. Contudo, é preciso prestar atenção também na roupa íntima, já que essa peça está em contato direto com o órgão sexual. Confira as dicas de especialistas para escolha e cuidados adequado com as roupas íntimas e evite problemas:

Escolha do tecido

Não há dúvidas: o melhor tecido para roupas íntimas é o algodão. "Os tecidos naturais absorvem melhor a transpiração que os sintéticos", afirma o urologista José de Ribamar Rodrigues Calixto, da Sociedade Brasileira de Urologia. Elas também são mais confortáveis por conta de sua superfície macia, que não irrita a maioria das peles. "Os tecidos sintéticos causam reações alérgicas com mais frequência do que o algodão", explica a dermatologista Samantha Kelmann, do Hospital 9 de Julho. O algodão evita a transpiração e maior secreção local, que são as portas de entrada para infecções.


Uma alternativa são as roupas íntimas de tecido sintético que possuem o fundo em algodão - apesar de não ser o ideal, já auxiliam na prevenção de irritações. Além do algodão, existem novos tecidos tecnológicos que buscam a redução da umidade e facilidade de circulação do ar, como os tecidos de fibra de bambu.

Não deixe de consultar o seu médico. Encontre aqui médicos indicados por outras pessoas.