publicidade

Esporão compromete a mobilidade de quem sofre com a doença

Sobrepeso e uso de calçados inadequados são algumas das causas do problema

Por Minha Vida - publicado em 11/09/2009


De repente, uma fisgada dolorida no calcanhar ou na planta do pé paralisa os movimentos. O andar fica comprometido, ficar em pé também é sofrível e a pessoa que sofre com o ataque precisa até ser carregada. Trata-se do esporão, uma doença que se caracteriza pela formação óssea provocada pela tração de um músculo ou tendão com o osso na região do calcanhar, joelhos ou cotovelos, provocando uma inflamação. Uma vez que o quadro clínico se estabelece a dor torna-se crônica e deve ser tratada com medicamentos e fisioterapia. A doença atinge jovens e adultos e apresenta períodos críticos marcados por dores intensas e outros de estabilidade, caracterizados pela ausência de dor, o que pode dificultar o diagnóstico?, explica o ortopedista Jorge Mizusaki.

O grande entrave para a recuperação completa é que a lesão ocorre em estruturas que são bastante estratégicas em nosso esqueleto e o repouso completo se torna difícil. ?É quase impossível pedir para alguém não mexer o ou o cotovelo. Eles são estruturas chaves para nossa mobilidade?, diz o ortopedista Fabio Ganum . 

Estrutura dos pés

Esporão

Jorge Mizusaki explica que a planta do pé é composta por estruturas elásticas (músculos) e rígidas (fáscias), que potencializam a força dos músculos flexores curtos dos dedos e funcionam como uma espécie de alavanca. Na prática, essas estruturas aumentam a eficiência do impulso, que é acionado quando o calcanhar se distancia do solo. Um estresse excessivo nesta região provoca um estiramento da fáscia, originando fissuras e inflamação.

Quando o esporão é localizado nos pés, tipo mais comum, parece uma espécie de bico de papagaio pendurado no calcanhar ou na planta do pé. O problema pode atingir a planta do pé ou o calcanhar de Aquiles. Como não é visível a olho nu, é detectado após a realização de uma radiografia. Quem está mais suscetível ao problema são atletas, pessoas que trabalham em pé por longos períodos ou, ainda, aquelas que sofrem com sobrepeso, já que esses grupos estão mais suscetíveis ao atrito maior nas regiões onde há a junção de osso com músculos e tendões. Outro fator prejudicial é o uso de sapatos inadequados, cuja sola não tem salto, como é o caso das sandálias rasteiras, Como estes calçados possuem a superfície reta, a tração do solo sobre a planta dos pés, que é curva, vai ser muito maior.  

Esforço exagerado

Segundo o ortopedista Jorge Mizusaki, as causas mais frequentes estão relacionadas à intensidade de tração provocada no local, portanto, é uma doença de causa mecânica. "Quanto mais causamos atrito nas regiões onde ocorre o esporão, maior é a chance de desenvolver a doença. Outro grupo de causa está relacionado a doenças reumáticas", diz. Os sintomas clássicos correspondem à dor intensa, após um período de repouso, que pode acontecer depois de dormir ou depois de ficar sentado por muito tempo. O tratamento, em geral, envolve medicamentos, medidas de reabilitação em fisioterapia, eventualmente o uso de palmilhas e até procedimentos cirúrgicos.  



Não deixe de consultar o seu médico. Encontre aqui médicos indicados por outras pessoas.
Este conteúdo ajudou você? Já ajudou você e + 1254 pessoa(s) Já avaliou

Imprima

Erro

erro

Comente

Compartilhe

Shopping Vida Saudável

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

siga o minha vida e melhore sua qualidade de vida

Saiba mais

Copyright 2006/2014 Minha Vida - Todos os direitos reservados

"As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e o acompanhamento de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas."


Você está usando uma versão antiga do seu navegador :( Para obter uma melhor experiência, atualize agora!
X