Baixo nível de testosterona é associado à Doença de Alzheimer

Homens com hormônio em baixa têm maior predisposição à doença

POR MINHA VIDA - PUBLICADO EM 08/10/2010

Homens que apresentam baixos níveis de testosterona podem estar mais propensos a desenvolver a Doença de Alzheimer, de acordo com um estudo da Universidade de Saint Louis, nos EUA. Segundo os pesquisadores a descoberta serve como alerta para homens mais velhos com baixos níveis do hormônio e que apresentam problemas de memória ou outros sinais de comprometimento cognitivo.

Para compor esse estudo, 153 homens foram acompanhados em centros sociais. Todos eles tinham mais de 55 anos de idade e não tinham nenhum tipo de demência. Destes homens, 47 tinham comprometimento cognitivo leve ou problemas com perda de memória. Os níveis de testosterona foram acompanhados periodicamente.

Após um ano de pesquisa, 21% dos homens que faziam parte do grupo com algum desvio cognitivo, desenvolveram a Doença de Alzheimer. Todos eles tinham níveis mais baixos de testosterona em seus tecidos do corpo, além de níveis elevados de apolipoproteína E, substância que está correlacionada a um maior risco de doença de Alzheimer e pressão arterial elevada.

De acordo com os cientistas, a testosterona pode ter um valor protetor contra a doença de Alzheimer. Segundo eles, o próximo passo é realizar um estudo em grande escala que investiga o uso do hormônio masculino na prevenção da doença de Alzheimer. Para homens mais velhos, a reposição hormonal da testosterona em homens com problemas de memória, pode ser uma medida preventiva para protelar o Alzheimer.  

Combate ao Alzheimer

Tomar cafezinho todo dia pode ser outra medida preventiva para o Mal de Alzheimer. É o que sugeriu os pesquisadores da Universidade de Lisboa, em Portugal. Eles descobriram que, como a cafeína acelera a atividade cerebral e ativa a memória, contribui significativamente para a prevenção de doenças neurológicas. Por isso, cerca de uma xícara por dia ajuda a manter o cérebro ativo e sem riscos de danos neurológicos.

Mas, mais saudável que café, sua alimentação pode ser uma ótima medida preventiva também, principalmente se ela for rica em peixes, azeite de oliva, nozes e legumes. Quem trouxe essa descoberta foi a realizada pela Universidade de Columbia, nos Estados Unidos. A pesquisa americana apontou que a dieta do mediterrâneo combinada com a prática regular de exercícios físicos é ideal para manter o cérebro afiado e afastar o Mal de Alzheimer e outras doenças cognitivas.  

Não deixe de consultar o seu médico. Encontre aqui médicos indicados por outras pessoas.
Este conteúdo ajudou você?
Sim Não