publicidade

Sangue tipo O corre menos risco de sofrer infarto e AVC

Estudo mostra quais grupos sanguíneos estão mais vulneráveis a doenças cardiovasculares

Por Minha Vida - publicado em 16/08/2012


Saber o seu tipo sanguíneo pode ser tão importante para a saúde cardiovascular quanto fazer check-ups de rotina para verificar os níveis de colesterol e a pressão sanguínea. Isso é o que aponta um novo estudo publicado no Arteriosclerosis, Thrombosis and Vascular Biology, um periódico do American Heart Association Journal. Segundo eles, o tipo sanguíneo mais raro, o AB se mostrou o mais vulnerável, enquanto que o grupo mais popular, o tipo O, foi apontado como o menos propenso a sofrer com doenças cardiovasculcares.

A descoberta foi baseada em duas amplas pesquisas. Uma do Nurses? Health Study, com mais de 62 mil pessoas e outra do Health Follow-up Study, com mais de 27 mil pessoas. Todos foram acompanhados durante 20 anos e tinham idades entre 30 e 75 anos.

Os resultados mostraram que o grupo sanguíneo mais raro, o AB, era o mais vulnerável a doenças cardiovasculares. O risco de sofrer alguma doença cardíaca era 23% maior em relação ao grupo com tipo sanguíneo O. Adultos com sangue tipo B, por sua vez, apresentaram um risco 11% maior de ter doenças cardíacas, enquanto que o risco do grupo com tipo A era 5% maior em relação aos do tipo O.

Para os autores, a pesquisa aponta que o tipo sanguíneo pode reforçar a necessidade de mudanças no estilo de vida. O próximo passo da equipe é avaliar se pessoas com diferentes tipos sanguíneos respondem de forma diferente a essas mudanças que incluem dieta e exercícios.

Adote esses hábitos para proteger o coração

Cerca de 31,5% dos óbitos no Brasil são provocados por doenças cardiovasculares, aponta o Ministério da Saúde. Esta é, portanto, a primeira causa de morte entre a população brasileira. Confira cuidados para proteger a saúde do seu coração:

1. Combata o estresse
Um dos efeitos do estresse é o aumento do colesterol, que causa hipertensão e obstrui as artérias do coração. Além disso, a ansiedade também aumenta a liberação de cortisol no organismo, elevando as taxas de glicose no sangue, o que favorece o desenvolvimento de doenças como o diabetes, que colocam o coração em perigo.

2. Consuma óleos vegetais
Óleos tradicionais são vilões do coração, pois contêm gorduras saturadas. Prefira, portanto, os óleos vegetais, como o azeite de oliva, que ajudam a controlar os níveis de colesterol.

3. Maneire nas carnes
Principalmente a carne vermelha possui uma quantidade maior de colesterol. Por isso, limite o consumo desse tipo de carne, preferindo frango e peixe, e sempre elimine a gordura visível das peças.

4. Limite o consumo de açúcar
Um estudo publicado no Journal of American Medical Association sugere que o açúcar pode afetar as taxas de lipídios, aumentando os níveis de triglicerídeos e colesterol, fatores de risco para doenças cardiovasculares.

5. Coma mais vegetais
Um estudo publicado no periódico Circulation mostrou que o consumo de proteínas de origem vegetal está associado à redução da pressão arterial. Tal ação se deve ao principal aminoácido encontrado nessas proteínas, o ácido glutâmico.



Não deixe de consultar o seu médico. Encontre aqui médicos indicados por outras pessoas.
Este conteúdo ajudou você? Já ajudou você e + 1254 pessoa(s) Já avaliou

Imprima

Erro

erro

Comente

Compartilhe

Shopping Vida Saudável

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Copyright 2006/2014 Minha Vida - Todos os direitos reservados

"As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e o acompanhamento de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas."


Você está usando uma versão antiga do seu navegador :( Para obter uma melhor experiência, atualize agora!
X