Prefeitura de São Paulo lança protocolo de cuidado aos bebês com microcefalia

Já foram registrados sete casos na cidade que podem estar relacionados ao Zika vírus

POR REDAÇÃO - PUBLICADO EM 18/02/2016

O surto de casos de microcefalia possivelmente associados à infecção da mãe pelo Zika vírus em partes do Brasil motivou a Secretaria Municipal da Saúde de São Paulo a desenvolver um protocolo de cuidados específico para bebês nascidos com o quadro, para que haja intervenção precoce e eficácia para potencializar o desenvolvimento integral dessas crianças.

PUBLICIDADE

Atualmente, a cidade já registra sete bebês nessa condição. Em cinco desses casos, agestante esteve em locais onde há casos autóctones de Zika vírus ? Pernambuco, Maranhão, Sergipe e Bahia. Os outros dois casos estão em investigação, mas tiveram indícios da infecção: febre e manchas vermelhas pelo corpo durante a gestação. Não há registro de casos autóctones de infecção pelo Zika vírus no município de São Paulo neste ano.

A Secretaria de Saúde afirma que as crianças com microcefalia já tem tido um acompanhamento sendo desenvolvido de forma descentralizada nos diversos centros de reabilitação da Rede Municipal de Saúde, mas devido a previsão de aumento de casos, decidiram criar uma linha única de cuidado.

O protocolo determina que no momento da alta de uma maternidade, a mãe já deverá sair com consultas de seguimento agendadas na Unidade Básica de Saúde (UBS) mais próxima da sua casa e em algum dos ambulatórios de reabilitação. Se a criança não nasceu nas Maternidades da Rede Cegonha essa consulta poderá ser marcada através da Unidade Básica de Saúde, sem fila de espera para esses serviços.

Essas consultas e as posteriores poderão ser marcadas por meio do programa Alô Mãe, que acompanha gestantes com gravidez de risco e está disponível para solucionar dúvidas em geral sobre a maternidade.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

A avaliação e estimulação global do desenvolvimento dos bebês são feitas por uma equipe multiprofissional e, dependendo da sua necessidade, realizará reabilitação através de terapia com fisioterapeuta, fonoaudiólogo, terapeuta ocupacional e psicólogo. A periodicidade das consultas varia de acordo com a necessidade de cada paciente, mas a linha de cuidados especifica que a criança e a família terão consultas nos ambulatórios de reabilitação pelo menos uma vez por semana, salvo em casos específicos.

As consultas de puericultura na UBS serão mensais, onde a criança será avaliada de forma integral. Segundo o protocolo, serão monitorados o desenvolvimento neuropsicomotor e afetivo, a rotina familiar, o comportamento do sono, a prevenção de acidentes e outros tópicos. Quando verificada a necessidade, será prescrita a suplementação de ferro e vitaminas A e D.

Não deixe de consultar o seu médico. Encontre aqui médicos indicados por outras pessoas.