Prótese dentária fixa: tire suas dúvidas

Saiba como a prótese dentária fixa funciona, como cuidar e o que esperar do resultado estético

Quem perdeu um ou mais dentes sabe o incômodo que a ausência de dentição pode causar. Tanto pelo aspecto estético, que compromete o sorriso e a fala, como pelo inconveniente de sentir um dente faltando na boca. Como alternativa a esses problemas, os pacientes podem contar atualmente com as próteses dentárias fixas. Elas podem estar apoiadas sobre implantes ou dentes e servem como substitutos para os dentes extraídos.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Embora a estética seja um dos aspectos considerados quando se propõe a prótese fixa, sua importância vai além: a função mastigatória e a fonética são outros fatores essenciais. O paciente é beneficiado ao se alimentar confortavelmente e recupera totalmente a sua capacidade de articulação de palavras e sons.

Para esclarecermos as dúvidas mais comuns sobre esse tratamento, conversamos com os dentistas Rogério Kairalla, consultor científico da Associação Brasileira de Cirurgiões-Dentistas (ABCD), Aonio Vieira, professor da EAP/APCD (Escola de Aperfeiçoamento Profissional da Associação Paulista de Cirurgiões-Dentistas) e Mariana dos Santos Fernandes, doutoranda em biologia buco-dental pela UNICAMP e membro da Associação Brasileira de Odontologia (ABO), regional ABC.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Confira a seguir:

O que é uma prótese fixa?

É uma forma de repor dentes perdidos. Pode ser unitária (para um só dente) ou parcial (quando une três ou mais dentes). Adquire função e aparência de um dente natural. Depois de instalada na boca, ela não é mais retirada.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Quando é necessário utilizar uma prótese fixa?

Há três situações em que elas são indicadas. "Quando é preciso reabilitar a função mastigatória, a fonética e a estética dental do paciente", explica Aonio Vieira, autor do livro Sorrir Faz Bem (editora Novo Século).

Quais são os materiais que compõem as próteses fixas?

Existem diversos tipos de materiais que compõe as próteses. De acordo com o cirurgião-dentista Rogério Kairalla, as mais utilizadas atualmente são as de metal com porcelana e as de porcelana pura ou com infraestrutura livre de metal. As de metal com porcelana ainda são as mais resistentes, apesar da zircônia ser uma alternativa estética ao metal, com resistência muito próxima, e as de porcelana pura serem as mais estéticas.

Podem ocorrer problemas de adaptação das próteses fixas?

Dependendo do tipo de reabilitação o paciente poderá ter um certo desconforto com as próteses devido ao novo padrão mastigatório. Mas aos poucos ocorre uma acomodação e o desconforto tende a acabar. "Além disso, conforme o grau e o tempo em que o paciente ficou sem os dentes, indica-se tratamento fonoaudiológico para trabalhar o tônus e a postura muscular de lábios, língua e bochechas para facilitar a adaptação", diz a cirurgiã-dentista Mariana dos Santos Fernandes.

Quanto tempo dura uma prótese dentária fixa?

"A durabilidade depende de alguns fatores como o correto preparo do dente que vai receber a prótese fixa, a adaptação correta da prótese ao dente, o espaço suficiente e a boa qualidade dos materiais utilizados, a adequada relação da prótese com os dentes vizinhos e antagonistas (do arco oposto)",explica Rogério Kairalla. Também são fundamentais a manutenção da higiene e visitas regulares ao consultório para profilaxia e controle.

Qual é a forma correta de cuidar da prótese fixa?

Assim como um dente natural que precisa ser escovado e higienizado regularmente, a prótese fixa também precisa de cuidados. "Os pacientes que fazem uso de próteses fixas devem redobrar a higiene bucal", alerta cargo Aonio Vieira. Na escovação, além do uso das escovas tradicionais, também é indicada a utilização de escovas especiais, como as interdentais (para a higiene entre os dentes unidos e abaixo dos dentes suspensos) e as escovas de tufo (para a limpeza entre a prótese e o dente de suporte). No caso do fio dental, usa-se um dispositivo chamado de passa-fio que ajuda a atingir a área debaixo dos dentes unidos da prótese.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

É possível comer normalmente, morder um sanduíche ou uma fruta?

As próteses fixas, de maneira geral, suportam muito bem os esforços mastigatórios, como os dentes naturais. "Entretanto, por serem materiais artificiais, requerem alguns cuidados dependendo da extensão dessas próteses fixas", alerta Kairalla.

Como é o tratamento?

Varia conforme o número de elementos que compõem a prótese (se ela é para um ou mais dentes). "Uma prótese fixa para apenas um dente passa pelas seguintes etapas: preparo do dente e confecção de um provisório, moldagem para obtenção de modelo de gesso para ser trabalhado no laboratório de prótese; posteriormente, faz-se a prova dessa prótese e ao final a sua cimentação. Esse processo pode levar de duas a quatro sessões", afirma Rogério Kairalla. Nem sempre é preciso interferir no canal antes de fixar uma prótese. Se o dente que servirá de suporte estiver em bom estado, essa etapa é dispensada. O tratamento endodôntico é recomendado, por exemplo, quando a estrutura da coroa já está destruída e não há estrutura suficiente do dente para fixar a prótese.

Quanto tempo a prótese fixa dura?

Além dos cuidados de higienização, outros fatores também influenciam no tempo de vida das peças. ?O correto preparo do dente que vai receber a prótese fixa, a adaptação da prótese ao dente, o espaço suficiente, a boa qualidade dos materiais utilizados e adequada relação da prótese com os dentes vizinhos também vão interferir decisivamente na longevidade?, explica Rogério Kairalla.

Como é o resultado estético?

O profissional produzirá a prótese dentária fixa com aparência equivalente à do dente natural do paciente. "A cor ideal da cerâmica ou da resina são avaliadas minuciosamente. Depois de confeccionadas, as próteses não podem ser mais clareadas", esclarece Mariana dos Santos Fernandes.

Há casos em que não é possível fixar uma prótese?

Sim. Existem alguns requisitos fundamentais. "É preciso avaliar os princípios biomecânicos, que garantem retenção, estabilidade e resistência para as próteses fixas e protegem os dentes onde elas se fixarão", esclarece Rogerio Kairalla. "No caso das próteses fixas unitárias é necessário ter estrutura de dente remanescente para garantir uma boa fixação e no caso das parciais, que recuperarão mais dentes perdidos, é necessário haver dentes de suporte suficientes para garantir a fixação da prótese. Isso quer dizer quando se perde muitos dentes e temos poucos dentes para servir de suporte fica contraindicado a prótese parcial fixa."