Rosto e corpo: escolha o protetor solar correto

Entenda as consequências do uso inadequado do filtro solar em partes do corpo para as quais o produto não é indicado

POR REDAÇÃO - ATUALIZADO EM 21/02/2017

A principal medida para evitar queimaduras, insolação, envelhecimento precoce e outros problemas de pele provocados pela exposição solar é a escolha do protetor. Além do fator de proteção para cada pigmentação, optar pelo produto ideal para a área do corpo que você deseja proteger é essencial e elimina efeitos indesejados, como espinhas e ressecamento da pele.

PUBLICIDADE

Delicada e, na maioria dos casos, mais oleosa, a pele do rosto merece atenção especial na hora da proteção. O uso de chapéus ou bonés e óculos escuros deve ser associado a um filtro solar específico. Com relação à substância de proteção em si, não há diferença. Porém, a textura mais leve é adequada e evita problemas de pele.

"A pele do rosto, em geral, é mais propensa a formar espinhas e apresentar algumas irritações. Existem produtos excelentes de acordo com a rotina, cor de pele, oleosidade e quantidade de pelos de cada pessoa", afirma Analexia Florentino, dermatologista da clínica Mais Excelência Médica. "Uma pele oleosa é favorecida com uso de gel, gel aquoso e loção oil free", exemplifica.

Por ser sensível, a pele do rosto pode ainda desenvolver intolerância com mais facilidade, no caso de pessoas alérgicas. "Para quem possui alergia ou pele sensível, é importante escolher um produto sem perfume e sem parabenos", indica a profissional.

Se por um lado o protetor para o corpo pode aumentar a oleosidade e dificultar a fixação da maquiagem, por exemplo, usar o produto específico para o rosto em outras partes da pele também não é boa ideia.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

"O protetor facial pode ressecar a pele do corpo, causar fissuras e coceira. Tecnicamente, a proteção solar é mantida, porém, ao não respeitar o uso para a área indicada, este tipo de consequência pode ocorrer", explica Letícia Siqueira Sousa, dermatologista da Clínica Maddarena, ressaltando a importância do protetor específico para o corpo.

"Os produtos desenvolvidos para o corpo tendem a ser mais resistentes à água e ter maior tempo de duração na pele, já que em praias e piscinas, além do corpo se manter mais tempo na água, a exposição solar é mais intensa e constante", completa Analexia.

Outras vantagens

Diante da necessidade de uso diário de protetores para o rosto, as empresas de cosméticos investem em associar cada vez mais benefícios em um único produto.

"Outra vantagem de usar protetores específicos para o rosto são os benefícios que eles trazem para a pele. Eles podem ter ativos que retardam o efeito do envelhecimento, controlam a oleosidade, minimizam o efeito visual de manchas, além de hidratarem a pele", afirma Analexia.

Para quem usa maquiagem todo dia e quer pular uma etapa do processo, existem os produtos pigmentados, que dão acabamento, escondem imperfeições e fazem o trabalho semelhante ao das bases.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)

"Alguns dermocosméticos possuem cor, o que auxilia na make e reforça a proteção contra a luz visível e infravermelha", comenta Florentino. "Esses produtos minimizam a necessidade do uso de primer e base, diminuindo a quantidade de produtos aplicados na pele, o que é benéfico", completa Sousa.

Porém, se a ideia é aplicar o protetor facial junto com a maquiagem, existe a ordem certa para fazer isso.

"O correto é passar o filtro solar antes da maquiagem, após a limpeza da pele. Passe o filtro solar, deixe secar por cerca de 5 minutos e, em seguida, aplique a base ou outro tipo de maquiagem que você normalmente utiliza. Use protetor solar para o rosto e de acordo com a sua pele para ter maior fixação da maquiagem", orienta Florentino.

Cuidados

Depois de escolhido o produto corretamente, é importante lembrar que a exposição solar deve ser evitada das 10h às 16h, todos os dias. Além disso, o indicado é reaplicar o produto de 2 em 2 horas, sendo que esse intervalo pode ser menor em caso de mergulho ou contato prolongado com a água.

Outro cuidado fundamental é a escolha do Fator de Proteção Solar (FPS). De acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia, o FPS mínimo que deve ser usado é o 30, mas esse número pode variar. Para uma avaliação mais individualizada, o melhor é consultar um dermatologista para que o profissional possa orientar sobre a escolha do fator de proteção ideal.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DESSA PUBLICIDADE ;)
Não deixe de consultar o seu médico. Encontre aqui médicos indicados por outras pessoas.