Cuidar da pele é essencial para quem tem diabetes: veja 6 dicas para mantê-la saudável

Doença aumenta tendência de ressecamento, por isso hidratação é fundamental para evitar feridas e infecções cutâneas

Mulher coçando a mão - Foto: Getty Images
Com tendência maior de ressecamento da pele, a hidratação se torna fundamental na rotina de quem convive com o diabetes

Erra quem pensa que o diabetes provoca apenas alterações metabólicas que podem ser controladas por meio da alimentação ou de medicamentos. A doença também pode causar alterações na pele que, se não for bem cuidada, sofrerá consequências importantes.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

O diabetes favorece o ressecamento excessivo da pele, que pode apresentar coceira intensa. O problema é que as unhas, ao coçarem a pele, podem causar ferimentos. Como o processo de cicatrização é mais lento em quem tem diabetes por causa da má circulação sanguínea, essas lesões se tornam mais graves e mais difíceis de tratar do que em pessoas sem a doença.

Selecionamos algumas dicas para quem tem diabetes conseguir manter a pele sempre bem cuidada e saudável:

Hidratação com produtos corretos

Com uma tendência maior de ressecamento da pele, a hidratação se torna fundamental na rotina de quem convive com o diabetes para evitar descamação, irritações e lesões.

O caminho é investir em cremes hidrantes desenvolvidos para cuidar especificamente da pele de quem tem diabetes. O creme DiabetTX® mantém a pele áspera e ressecada dos pés e das mãos profundamente hidratada. E ele pode ser usado em todo o corpo. Sua fórmula com L-Arginina foi especialmente desenvolvida para a pele de quem tem diabetes.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

O hidratante deve ser aplicado na pele limpa e seca de três a quatro vezes ao dia. O método mais eficaz para a absorção do creme é massagear a região com movimentos circulares e suaves.

Usar o creme logo após o banho

O ideal é que a pele seja hidratada imediatamente após o banho. Nesse momento do dia, os poros ficam mais dilatados, facilitando a penetração do creme e, consequentemente, assegurando uma melhor hidratação.

Além disso, o creme hidratante também cria uma camada de proteção que evita que a pele perca umidade. Capriche na hidratação dos pés e mãos, que tendem a ressecar mais ainda quando se tem diabetes.

Dar preferência para sapatos confortáveis

Os pés são regiões bastante sensíveis para quem tem a doença. Não sem motivo para isso: se feridos, podem demorar a cicatrizar por causa da circulação sanguínea deficiente.

Escolher calçados confortáveis é fundamental para afastar problemas. Lembre-se também de evitar andar descalço ou com chinelos e sandálias, como forma de proteção.

Secar bem a pele após o banho

Deixar a pele bem seca após o banho é um cuidado importante, especialmente na região dos pés. Isso é necessário para evitar a proliferação de fungos e bactérias.

Além disso, o ideal é cortar as unhas com profissionais especializados. A sensibilidade dos pés deve ser sempre avaliada na consulta médica.

Cuidar das coceiras e dos calos

Coceiras podem ser consequência de uma hidratação deficiente em quem tem diabetes. Coçar-se, no entanto, pode ferir a pele e abrir portas para infecções por bactérias e fungos difíceis de tratar.

Além disso, calos também podem se transformar em úlceras. Converse com seu médico caso para que ele analise essas condições.

Evitar cremes com álcool

Muito cuidado ao escolher o creme para hidratar a pele. Quem tem diabetes deve evitar um componente comum nas formulações: o álcool. Ele acelera a desidratação da pele, o que justamente precisa ser revertido nos casos de diabetes.