publicidade

Dor no ciático não some apenas com remédio

Ele alivia a inflamação, mas é preciso corrigir a postura e cuidar do peso

Por Minha Vida - publicado em 30/01/2009


As dores no ciático estão mais comuns do que resfriado. Difícil encontrar quem nunca tenha sofrido com as dores nas costas e nas pernas, sendo obrigado a ficar de repouso por dias. Estimativas mundiais indicam que 90% da população sofre ou vai sofrer com o problema em alguma fase da vida. "Excesso de peso e má postura são dois fatores que contribuem para o crescimento do número de pacientes com inflamação no nervo ciático", afirma o médico Wajih Abud Hares, diretor Técnico do Hospital San Paolo.

Na entrevista que você lê a seguir, o especialista ensina como lidar com as dores, fala das situações em que a cirurgia é a solução e comenta a eficácia dos tratamentos complementares, como RPG e acupuntura.

Como identificar a dor no ciático?
A dor pode ser sentida como um entorpecimento, uma pontada ou uma queimação. Às vezes, começa gradualmente, piora durante a noite, e é agravada pelos movimentos. A dor ciática também pode causar formigamento, parestesias (baixa sensibilidade) ou fraqueza nos músculos da perna afetada, antes de cursar com as fisgadas e a dor intensa.

Pessoas com idade mais avançada são mais sujeitas ao problema? Por quê?
Sim , até por terem forçado a coluna ao longo dos anos. Com o passar do tempo, os discos intervertebrais perdem a capacidade de absorção de impacto, tornando-se mais facilmente alvo de lesões e causando distúrbios na mecânica da coluna vertebral; inclusive pela perda de água (elemento natural e primordial para a manutenção dos discos intervertrebrais). Afetam ainda a distribuição de peso na coluna, lesando estruturas como as articulações intervertebrais e os ligamentos. Estas como parte do processo de defesa contra a agressão, tendem a se hipertrofiarem (são os chamados bicos de papagaio). O aumento das articulações e dos ligamentos que fazem parte da formação do canal medular acaba por diminuir o diâmetro do canal, levando a compressão da medula espinal ou da raiz dos nervos, com a possível compressão da medula espinhal ou das raízes que originam os nervos.

Em quais situações a cirurgia é indicada?
Há três indicações geralmente aceitas para uma intervenção cirúrgica:

- A indicação mais comum é a de pacientes sem alívio satisfatório da dor ciática através do tratamento com medicação. A cirurgia só é indicada a pacientes que sofrem com os sintomas há mais de um mês e que venham mantendo repouso absoluto na cama por, pelo menos, uma semana (sem melhora).

- Recorrência de episódios de dor lombar e ciática que impedem o paciente de levar uma vida normal.

- Pacientes com fraqueza significativa em algum músculo da perna ou do pé devem ser operados precocemente.

- "Síndrome da cauda eqüina" (perda parcial ou total da função urinária, intestinal e sexual devido à compressão da região lombar conhecida por cauda eqüina). Identificada pelo médico esta condição requer cirurgia de urgência para evitar seqüelas permanentes.

As técnicas cirúrgicas evoluíram muito, os riscos estão minimizados, mas eles ainda existem. Pode haver até a piora do quadro, por ocorrência de fibrose e outros distúrbios. Nos casos cirúrgicos, a recuperação ocorre em média de quatro a seis meses e envolve além da cirurgia a fisioterapia pós-operatória.

Qual a importância de tratamentos auxiliares, como RPG?
Não se indica o RPG na fase dolorosa, por causa da dificuldade em se mexer. Todo o tratamento auxiliar, incluindo o RPG, é coadjuvante e soma esforços para a melhora e adequação de vida do paciente com problemas de coluna.

Que outros tratamentos existem para aliviar o problema?
Na ordem teríamos inicialmente o uso dos analgésicos e antiinflamatórios, a acupuntura (que se mostrou bastante útil como tratamento) e a RPG. Do aspecto preventivo, o aprendizado do uso da coluna vertebral, a postura correta, o combate ao excesso de peso (obesidade), a prática de exercícios e evitar carregar peso demais também são indicados. Não se recomenda massagem na fase aguda e, sempre, é preciso muito cuidado em massagem e manipulação sobre a região das vértebras sem orientação médica e acompanhamento.

Em quanto tempo o tratamento dá resultados, normalmente?
O tratamento, em média, leva de 7 a 14 dias para apresentar resultados. Alguns pacientes, no entanto, demoram até três meses. E há casos com melhora após um ano e meio. Hoje uma pequena parcela é indicada a cirurgia, sendo a tendência mundial de cada vez operar-se menos e tratar mais.

Algum exercício é proibido para pacientes com inflamação no nervo?
Os exercícios com carga e de esforços, antes do fortalecimento da musculatura paravertebral, estão proibidos. No lugar deles, deve prevalecer o treino de baixo impacto e a hidroginástica.

O sobrepeso pode causar ou agravar inflamação no ciático? Por quê?
Sim, porque submete os discos intervertebrais ao esforço, além de haver a sobrecarga dos ligamentos e da musculatura paravertebral.

Quais exames são necessários para o diagnóstico correto?
O exame físico e a observação de sinais clínicos já seriam suficientes, no entanto para o melhor entendimento e condução dos casos, a Radiologia, a Tomografia Computadorizada e a Ressonância Magnética podem ajudar.

Por que, geralmente, a dor acontece só de um lado da perna?
A dor unilateral é mais freqüente porque os "pinçamentos" tendem a acontecer de um lado da coluna, por desvio ou escorregamento do disco.

Qual a relação entre a hérnia de disco e a inflamação no ciático?
Uma boa parte dos casos de dor ciática está relacionada com a hérnia discal, porém não é a única causa, temos os casos de artrite da coluna, as fraturas, os traumas e outros processo infecciossos.

No caso das mulheres, os saltos devem ser evitados? E como deve ser o colchão da cama?
Os saltos altos, assim como a ausência de salto, prejudicam a coluna porque modificam a curvatura natural dela. Os saltos devem ter de 2,5cm a 3cm para oferecer conforto. O colchão deve ser firme, não duro, e preencher os espaços das curvaturas naturais da coluna, cuidado com a altura do travesseiro e evite dormir de bruços (posição que força a região lombar).

A dor chega a ser incapacitante?
Na fase aguda a dor é incapacitante, impedindo a locomoção. Em algumas vezes, os movimentos da perna são travados e a flexão da coluna é impedida, o que determina o repouso absoluto.



Não deixe de consultar o seu médico. Encontre aqui médicos indicados por outras pessoas.
Este conteúdo ajudou você? Já ajudou você e + 1254 pessoa(s) Já avaliou

Imprima

Erro

erro

Comente

Compartilhe

Mais sobre:

Shopping Vida Saudável

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

siga o minha vida e melhore sua qualidade de vida

Saiba mais

Copyright 2006/2014 Minha Vida - Todos os direitos reservados

"As informações e sugestões contidas neste site têm caráter meramente informativo. Elas não substituem o aconselhamento e o acompanhamento de médicos, nutricionistas, psicólogos, profissionais de educação física e outros especialistas."


Você está usando uma versão antiga do seu navegador :( Para obter uma melhor experiência, atualize agora!
X