PUBLICIDADE

Consumo de gordura diminui a tristeza

Pesquisa afirma que o consumo de ácidos graxos afeta diretamente o nosso humor

A Universidade de Leuven, na Bélgica, descobriu que as pessoas sentem vontade de comer doce e outros alimentos gordurosos quando estão tristes não só pela sensação agradável ao paladar, mas também por conta de uma ligação entre o estômago e o cérebro.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

A pesquisa, publicada na revista Journal of Clinical Investigation, usou exames de ressonância magnética para investigar os efeitos que uma injeção de ácidos graxos (gorduras), aplicada diretamente no estômago, causaria ao sistema nervoso. Os pesquisadores contaram com a participação de 12 voluntários - seis receberam a injeção de ácidos graxos, a outra metade injetou apenas uma solução de salina.

Com esse método, os pesquisadores conseguiram contornar a distorção causada pelo estímulo do paladar, evitando a influência do estímulo cerebral causado pelo gosto saboroso dos alimentos.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Sem saber qual substância haviam recebido, os voluntários deram notas de um a nove para o seu estado de espírito antes e depois das ressonâncias. Entre os que recebiam ácidos graxos, o "nível de tristeza" caía pela metade.

Os estudiosos concluíram que o consumo de gorduras torna as pessoas menos vulneráveis a emoções tristes, mesmo se elas não souberem que estão consumindo gorduras.

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Embora o trabalho tenha implicações para a obesidade, depressão e transtornos alimentares, os pesquisadores disseram que é preciso aprofundar as pesquisas para determinar se as conclusões podem servir no tratamento dessas doenças.

Saiba escolher as gorduras que protegem o coração

É um erro muito comum pensar que pessoas com maior risco cardíaco devem evitar qualquer tipo de gordura em suas dietas. Na verdade, o que faz a diferença é o tipo de gordura que você come. Existem, sim, gorduras que fazem mal ao coração e aumentam o risco de ataques cardíacos. Porém, outras podem, inclusive, proteger o coração.

As gorduras saturadas estão associadas ao aumento do colesterol ruim, conhecido como LDL. Portanto, uma boa decisão é diminuir a ingestão de manteiga, leite integral, queijos gordos, carnes gordas e frango com pele.

Outro grupo de gorduras ruins são as chamadas gorduras "TRANS", que são encontradas em vários alimentos industrializados como bolachas, biscoitos, balas, doces, gorduras hidrogenadas e algumas margarinas. Essa gordura é capaz de reduzir o bom colesterol (HDL) e aumentar o mau colesterol (LDL).

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

NÃO PARE AGORA... TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE ;)

Comer 4g de gordura trans diariamente pode aumentar os riscos de um ataque cardíaco. Uma porção de batata frita, por exemplo, pode conter até 5g de gordura trans. Portanto, preste muita atenção nos rótulos dos produtos que compra nos supermercados.

As gorduras boas são as monoinsaturadas e os ácidos graxos ômega 3. As gorduras monoinsaturadas, que podem ser encontradas em óleos vegetais, como o azeite de oliva o óleo de canola, ajudam a diminuir o LDL sem alterar o HDL. Experimente usar óleo de oliva extra virgem para cozinhar e finalizar pratos, pois ele contém antioxidantes que previnem a formação do LDL, diminuindo a chance de formação de placas de gorduras nas coronárias.

Os ácidos graxos ômega 3 podem ser encontrados em óleo de peixe, salmão, sardinha, anchovas, sementes de linhaça e amêndoas. Porém, pode ser difícil conseguir consumir a quantidade suficiente de ômega 3 somente através da deita, principalmente se você não tem o costume de comer peixe pelo menos duas vezes por semana. Nesse caso, considere o uso de suplementos indicados pelo seu médico.